Banco Cooperativo: o que é e como escolher essa instituição?

banco cooperativo
Share on twitter
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email

As instituições financeiras do Brasil atuam no mercado de diferentes maneiras. Um dos exemplos disso é o banco cooperativo. Apesar de possuir especificidades, esses bancos oferecem produtos bancários similares aos demais bancos.

O formato de banco cooperativo consiste em fazer dos clientes os próprios donos da instituição. Isso só pode ser possível, pois, no banco cooperativo, os cooperados participam de todas as suas decisões e divisão de lucros.

O que é um banco cooperativo?

Um banco cooperativo é uma instituição financeira privada em que os acionistas controladores são cooperativas de crédito. Por conta disso, para que ele seja criado, é preciso que as cooperativas tenham, ao menos, 51% das ações ordinárias da empresa. Assim, a maioria das decisões relativas a essa empresa acabam sendo desse grupo.

Diferente de um banco convencional que é associado o Banco Central do Brasil, as cooperativas de crédito devem se associar ao Banco Cooperativo do Brasil, o Sicoob. Essa instituição funciona também como regulador desse setor.

O banco cooperativo pode ser constituído como um banco comercial, que oferece opções de empréstimos e financiamentos. Mas também pode ser um banco múltiplo, o qual oferta produtos para outras instituições financeiras.

Portanto, esse formato de banco pode oferecer todos os serviços que uma instituição bancária original oferece.

Qual a diferença de banco e cooperativa?

Os bancos tradicionais e os cooperativos costumam oferecer a mesma linha de serviços, como:

  • Cartão de crédito;
  • Cartão de débito;
  • Conta corrente;
  • Empréstimo pessoal;
  • Poupança.

Isso porque, mesmo que seja controlado por cooperativas de crédito, o banco cooperativo continua sendo uma sociedade de capital com foco em captar novos clientes. No entanto, entre suas diferenças em relação às instituições tradicionais, destacam-se as taxas e juros cobrados, que costumam ser menores nos bancos cooperativos do Brasil.

Isso ocorre, pois os preços não variam de acordo com o número de clientes e o objetivo principal da empresa não é somente lucrar, diferente de outras instituições dentro do mercado de crédito. As cooperativas de crédito são formadas de pessoas associadas com o objetivo de administrar seus recursos financeiros para o crescimento mútuo.

Os associados, por não serem apenas clientes, têm direito a parte dos lucros, já que é preciso pagar para se associar a uma cooperativa de crédito.

Vale lembrar que, por possuírem uma estrutura menor que a dos bancos tradicionais, as cooperativas possuem uma maior influência social, com foco no desenvolvimento de sua região. Por conta disso, é comum encontrar algumas dessas associações no interior do país, onde o desenvolvimento é mais necessário.

É possível investir em uma cooperativa?

Assim como nos bancos, é possível investir por meio das cooperativas de crédito. No entanto, com algumas vantagens.

Em geral, são oferecidas aplicações tradicionais, como:

  • Tesouro Direto;
  • Letra de Crédito Imobiliário (LCI);
  • Letra de Crédito do Agronegócio (LCA).

Mas além disso, os associados também podem aplicar seu dinheiro no Recibo de Depósito Cooperativo (RDC).

Banco cooperativo é seguro?

banco cooperativoPor conta do desconhecimento sobre esses bancos pelos consumidores, a maioria ainda acaba possuindo dúvidas sobre a integridade dessas instituições. Entretanto, participar de uma cooperativa é algo tão seguro quanto ser cliente de um banco tradicional.

Os bancos possuem proteção do FGC (Fundo Garantidor de Crédito) em casos de falência ou calote financeiro até o valor de R$250 mil. Já as cooperativas possuem um outro fundo garantidor: o FGCOOP (Fundo Garantidor das Cooperativas).

Ele funciona da mesma forma que o FGC, garantindo R$250 mil por CPF em caso de quebra da cooperativa.

Como participar de uma cooperativa?

Caso os benefícios oferecidos por um banco cooperativo façam sentido para você, é possível se associar em uma cooperativa através do aplicativo oficial do Sicoob.

Para isso, basta apresentar alguns documentos, como:

  • Comprovante de residência;
  • Comprovante de renda;
  • Documento de identificação com foto.

Com isso, serão apresentadas as instituições existentes em sua região, além daquelas relacionadas a bancos cooperativos. Além disso, informações sobre o patrimônio total da cooperativa também são cedidas antes da associação. Assim, fazendo com que seja possível saber a quantidade de dinheiro que existe no caixa da empresa.

Qual a melhor cooperativa de crédito?

Para escolher a melhor cooperativa e, consequentemente, um bom banco cooperativo, é importante estar atento a informações como:

  • Resultado;
  • Juros ao capital pago;
  • Valor integralização de ingresso;
  • Valor integração contínua;
  • Dia de cobrança de integralização contínua;
  • Dia de cobrança de pacote de serviços.

Elas são fundamentais para que você analise, além da saúde financeira, se os benefícios oferecidos fazem sentido para seus objetivos financeiros.

Portanto, fazer a busca e as devidas comparações é essencial para saber qual banco cooperativo escolher antes de qualquer cadastro. Isso porque, como dito anteriormente, eles exigem uma aplicação inicial.

Guilherme Almeida
Guilherme Almeida
Bacharel em Economia e Especialista em Finanças Corporativas e Mercado de Capitais pelo Ibmec-MG. Mestrando em Estatística pela UFMG, atua como professor, palestrante e porta voz das áreas de economia e finanças, tendo concedido mais de mil entrevistas para os principais meios de comunicação. Atualmente, leciona matérias ligadas à Economia e ao Mercado Financeiro em cursos preparatórios para certificações financeiras, além de ser o Economista-Chefe do departamento de Estudos Econômicos da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Minas Gerais (Fecomércio MG).

relacionadas