Cooperativa de crédito: entenda como funciona esse tipo de empresa

cooperativa de crédito
Share on twitter
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email

Quando o assunto é empréstimo e financiamento, muito se fala dos tradicionais bancos e financeiras, mas poucos se lembram da existência das cooperativas de crédito.

Mas assim como um banco, uma cooperativa de crédito também é uma instituição financeira é regulamentada pelo Banco Central, se dedicando principalmente às operações de crédito e muitas vezes oferecendo as melhores condições do mercado aos seus clientes.

O que é uma cooperativa de crédito?

A cooperativa de crédito é uma instituição financeira formada por uma associação de pessoas e que tem por finalidade oferecer operações de crédito aos seus cooperados. Apesar de não serem muito conhecidas, as semelhantes aos bancos comerciais. Essa semelhança pode ser observada em relação aos produtos bancários oferecidos como:

  • Conta-corrente;
  • Poupança;
  • Empréstimo pessoal;
  • Cartão de crédito;
  • Cartão de débito.

Qual a diferença entre uma cooperativa e um banco?

Uma das principais diferenças entre cooperativas e bancos é que, os juros nas cooperativas de crédito costumam ser menores.

Porém, diferentemente dos bancos, a cooperativa só presta serviços para os seus associados. Então, para usufruir de produtos e serviços, é preciso fazer parte da mesma.

Enquanto os clientes de bancos pagam pelos serviços bancários, quem se associa a uma cooperativa não precisa arcar com esses custos. Dessa forma, pode-se esperar um movimento crescente de clientes de instituições financeiras tradicionais migrando para as cooperativas.

Além disso, outra diferença marcante está na governança da instituição. Os associados de uma cooperativa participam das decisões financeiras de forma direta.

Vantagens das cooperativas de crédito

cooperativa de crédito

Além das vantagens relacionadas aos produtos e serviços oferecidos ao associado por um valor mais acessível do que os bancos tradicionais, existem outros pontos positivos que podem ser destacados:

  • Solução para negócios;
  • Desenvolvimento local;
  • Democratização do acesso ao crédito;
  • Movimentação da economia.

Mas, claro, assim como qualquer outra instituição, possui desvantagens pontuais. No entanto, isso é algo muito particular de cada associação e deve ser analisada de forma isolada.

Quais são os tipos de cooperativas?

Existem vários tipos de cooperativas no mercado, já que as mesmas costumam ser intimamente ligadas ao setor profissional onde seus cooperados atuam. Alguns dos setores que as cooperativas financeiras atuam, são:

  • Área social;
  • Emprego;
  • Consumo;
  • Transporte;
  • Turismo e lazer.

As cooperativas são formadas por uma associação de pessoas jurídicas unidas em sociedade. Assim, os sócios podem fazer movimentações financeiras de acordo com a sua participação.

Como os próprios nomes indicam, existem cooperativas direcionadas para os mais variados setores e, cada um, segue seus próprios direcionamentos, vantagens e desvantagens.

Ser um profissional certificado é o melhor passo para começar sua carreira em um banco. Confira nossos cursos e se prepare da melhor forma para tirar sua certificação!

Como funciona o empréstimo em cooperativa de crédito?

O empréstimo em cooperativa de crédito representa uma segurança para os associados. Os integrantes podem utilizá-lo para atividades, como:

  • Férias;
  • Tratamento de saúde;
  • Educação;
  • Reforma de casa;
  • Adiantamento de décimo-terceiro.

Claro que, cada tipo de empréstimo terá suas condições (taxas) definidas de acordo com os prazos. No entanto, de modo geral, continua sendo uma alternativa mais bem vista se comparada às outras alternativas de empréstimos pessoais oferecida por instituições financeiras tradicionais.

Por isso, quem quiser atuar em uma cooperativa de crédito tem grandes chances de conseguir um bom espaço profissional em um campo em desenvolvimento.

Guilherme Almeida
Guilherme Almeida
Bacharel em Economia e Especialista em Finanças Corporativas e Mercado de Capitais pelo Ibmec-MG. Mestrando em Estatística pela UFMG, atua como professor, palestrante e porta voz das áreas de economia e finanças, tendo concedido mais de mil entrevistas para os principais meios de comunicação. Atualmente, leciona matérias ligadas à Economia e ao Mercado Financeiro em cursos preparatórios para certificações financeiras, além de ser o Economista-Chefe do departamento de Estudos Econômicos da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Minas Gerais (Fecomércio MG).

relacionadas