Economia de mercado: o que é, como funciona e quais os tipos?

Economia de mercado: o que é, como funciona e quais os tipos?
Share on twitter
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email

Já ouviu falar em economia de mercado? Tem interesse em economia ou iniciou sua jornada como investidor e quer entender mais sobre esse universo? Confira nas próximas linhas os principais conceitos e definições.

Economia de mercado trata-se de um sistema complexo, mas essencial para compreender os princípios básicos da economia ou ser um primeiro norte no mundo corporativo. Aproveite, prepare suas anotações e bons estudos!

O que é economia de mercado?

Economia de mercado é um sistema que sofre pouca interferência de agentes governamentais, sendo controlado em sua maioria pela iniciativa privada. No Brasil, o sistema econômico segue essa linha, assim como na maioria dos países.

Em primeiro lugar, o modelo segue ideais liberais, cujo sistema prioriza pouca ou nenhuma interferência estatal na economia do país, o tão famoso Estado mínimo. Ele surge com o objetivo de intensificar as trocas monetárias, iniciadas no século XXI.

Já em 1970 surge o neoliberalismo, que também pregava o Estado mínimo, mas defendia a interferência estatal em momentos de crise e instabilidade econômica.

Como a economia de mercado funciona?

De acordo com essas teorias, a interferência do Estado é desnecessária. Em tese, o mercado se auto regularia através da livre concorrência e da lei da oferta e da procura:

  • Livre concorrência: o mercado dita os preços de cada produto a partir da concorrência. Ou seja, a partir dos preços nas empresas do mesmo setor;
  • Lei da oferta e procura: imagine um produto com uma quantidade elevada no mercado, mas que possui uma baixa procura. Esse cenário geraria uma queda nos preços, certo? Agora, pense no oposto: um produto com grande procura e pouca quantidade, no caso, teria seus preços elevados. Em outras palavras, esse vai e vem é o que chamamos de lei da oferta e procura (ou lei da oferta e demanda), que explica o equilíbrio que economistas do mundo todo buscam.

Nessa economia, também existem empresas estatais, mas em menor quantidade e não ditam o comércio. O Estado atua com o intuito de buscar o respeito às leis do livre mercado e fiscalizando esses processos.

Portanto, pode-se dizer que a economia de mercado está centrada no comércio. No terceiro setor, também podemos destacar o avanço do processo de terceirização, que amplia a prestação de serviços. Nela, uma empresa contrata uma especializada para serviços internos como, por exemplo, limpeza, marketing e segurança.

Principais características da economia de mercado

Quais são as características da economia de mercado? Confira!

  • Autonomia das empresas no que tange ao seu funcionamento, gestão e administração;
  • Liberdade para definição de preços através da livre concorrência;
  • A produção de bens e serviços são controlados pela lei da oferta e procura;
  • Fomento ao comércio exterior: importações e exportações enfrentam menos burocracias e impostos;
  • Proteção das propriedades privadas pela lei, fiscalizada e regida pelo Estado;
  • A maioria dos produtos advém da iniciativa privada;
  • O Estado é o fiscalizador e regulador da economia de mercado;
  • Em suma, o mercado acontece através da interação entre o consumidor e o produtor.

Quer aprender mais sobre economia e se tornar um profissional muito mais capacitado? Confira os cursos do Certifiquei!

Tipos de economia de mercado

Confira a seguir 7 tipos de economias de mercado:

  1. Economia Mundial: conjunto de sistemas econômicos realizados no mundo. Em alguns casos, pode ser dividida de acordo com o nível dos países em questão – economias desenvolvidas, subdesenvolvidas e emergentes;
  2. Economia Centralizada: sistema de economia global fiscalizado por um país ou um bloco específico. Isso acontece entre locais com interesses econômicos comuns. Um bom exemplo são os Estados Unidos, já que a economia em escala global é guiada pelo dólar;
  3. Economia do Desenvolvimento: é um campo de conhecimento que estuda o desenvolvimento econômico global, de maneira a compreender as sociedades e suas fontes de renda;
  4. Economia Dirigida: é um modelo onde os recursos de um país são controlados pelo Estado;
  5. Mista: Na economia mista, a esfera pública e privada coexistem. Assim, existem setores estatais e privados nesses locais;
  6. Economia Industrial: avalia o desempenho das organizações e suas relações com o mercado;
  7. Economia Política: é a área que estuda as economias em todo o mundo, levando em conta questões comportamentais. Apresenta, então, duas vertentes:
    • Macroeconomia: aborda a economia de forma mais ampla, em nível mundial, nacional e regional;
    • Microeconomia: são estudos realizados em menor escala, analisando famílias, indivíduos, empresas e comércios.

Prós e contras

Como todas as áreas, a economia de mercado possui algumas vantagens e desvantagens:

A vantagem desse sistema está na liberdade dada às empresas, beneficiando os empreendedores. Em síntese, a possibilidade de lucro por parte das empresas é maior, além do maior fomento à inovação, visto que cada empresa decide seus meios de produção e em quais bens investir.

Por outro lado, esse sistema contribui para o aumento de desigualdades. Diversas empresas, principalmente terceirizadas, priorizam o lucro, promovendo metas absurdas e condições de trabalho ruins.

Outro ponto negativo é a formação dos chamados cartéis, que ocorrem quando empresas concorrentes juntam-se a fim de regular preços de uma região. Essa prática vai contra a livre concorrência, uma vez que prejudica a entrada das pequenas empresas no mercado.

Economia de mercado x economia planificada

A economia planificada, também chamada de economia centralizada, é um modelo adotado principalmente por modelos econômicos socialistas. Atualmente, é adotado por países como China, Cuba, Coreia do Norte e Vietnã.

Algumas características da economia planificada:

  1. As empresas estatais são maioria no país;
  2. Não existe concorrência empresarial e as empresas estrangeiras que seguem moldes capitalistas precisam passar por forte regulamentação;
  3. Processos administrativos e de regulamentação são mais burocráticos;
  4. Os processos econômicos sofrem interferência direta do Estado;
  5. Os interesses do governo estão sempre acima da vida privada;
  6. O Estado também decide assuntos como produção e planejamento da economia.

Por fim, podemos afirmar que os países capitalistas seguem os princípios da economia de mercado. Seu oposto, a economia planificada, é adotada por países de economia socialista.

Agora que você já sabe os principais conceitos da economia de mercado, é hora de aprofundar ainda mais seus conhecimentos em finanças. Navegue pelo blog do Certifiquei e saiba tudo sobre os assuntos mais importantes do setor!

Guilherme Almeida
Guilherme Almeida
Bacharel em Economia e Especialista em Finanças Corporativas e Mercado de Capitais pelo Ibmec-MG. Mestrando em Estatística pela UFMG, atua como professor, palestrante e porta voz das áreas de economia e finanças, tendo concedido mais de mil entrevistas para os principais meios de comunicação. Atualmente, leciona matérias ligadas à Economia e ao Mercado Financeiro em cursos preparatórios para certificações financeiras, além de ser o Economista-Chefe do departamento de Estudos Econômicos da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Minas Gerais (Fecomércio MG).

relacionadas