Correspondente bancário: entenda mais sobre essa profissão

correspondente bancario
Share on twitter
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email

Por conta do aumento no número de clientes dos bancos, o serviço do correspondente bancário tem sido cada vez mais procurado.

Para ser um correspondente bancário é preciso cumprir alguns critérios, como obter uma certificação bancária, por exemplo. No entanto, o profissional que consegue se tornar um correspondente bancário possui uma grande oportunidade de crescimento profissional.

O que é um correspondente bancário?

O correspondente bancário é uma pessoa jurídica que trabalha com a intermediação financeira entre os bancos e seus clientes. Por isso, quem possui um estabelecimento comercial pode se tornar um correspondente bancário. Basta seguir os critérios estabelecidos pelo banco em que você deseja ser representante.

Como exemplo disso, temos as casas lotéricas, correspondentes bancárias da Caixa Econômica Federal que oferecem na consulta com correspondente bancário, serviços como:

  • Recebimento de transferências;
  • Pagamento de benefícios;
  • Depósito financeiro.

Também é possível ser exclusivamente um correspondente de bancos. Nesse caso, a função principal do negócio é oferecer produtos bancários em seu estabelecimento.

Como funciona o trabalho de um correspondente bancário?

Segundo a Resolução 3954/2011 do Banco Central, são funções do correspondente bancário:

  • Recebimento de contas até o vencimento ou já vencidas;
  • Recebimento de tributos com ou sem código de barras;
  • Depósitos;
  • Saques do banco correspondente e do INSS;
  • Consulta de saldo bancário;
  • Proposta para abertura de conta bancária;
  • Cartão de crédito;
  • Recargas para celular;
  • Financiamento imobiliário;
  • Financiamento de veículos;
  • Contratação de crédito consignado;
  • Crédito direto ao consumidor.

Vale lembrar que não é obrigatório prestar todos esses serviços de uma vez. Portanto, o profissional é quem escolhe com quais irá atuar. Um exemplo disso são as imobiliárias, que oferecem também crédito imobiliário para a compra do imóvel, assim como atuam lojas de veículos.

Ser um profissional certificado é o melhor passo para começar sua carreira bancária. Confira nossos cursos e se prepare da melhor forma para tirar sua certificação!

O que é preciso para se tornar um correspondente bancário?

Cada instituição bancária possui seus próprios procedimentos para adicionar correspondentes em sua rede. Por isso, para trabalhar como correspondente bancário, é preciso entrar em contato com o banco desejado.

É o Gerente ou Supervisor de Canais o profissional do banco responsável pelo relacionamento com correspondentes. Caso mais de um deles aceite uma solicitação de correspondência, é possível prestar serviços para todos ao mesmo tempo.

Para isso, dentre algumas documentações necessárias, também são exigidas algumas certificações.

Quais os tipos de correspondente bancário?

Parte do processo de entendimento sobre como ser um correspondente bancário passa pela compreensão acerca das posições possíveis para se seguir nesta área.

Nesse sentido, existem três categorias de correspondentes bancários. São eles:

  1. Negocial;
  2. Consignado;
  3. Transacional.

Em suma, o correspondente bancário negocia a intermediação relacionada ao crédito relacionado a imóveis, automóveis, entre outros.

Negocial

Nesse sentido, o correspondente de crédito imobiliário, por exemplo, se encaixa neste perfil, pois, ele trabalha oferecendo produtos como financiamento de imóvel e garantia imobiliária. 

Consignado

Enquanto, o correspondente bancário consignado, tal qual o próprio nome indica, trabalha exclusivamente na intermediação de crédito consignado.

Transacional

Por fim, mas não menos relevante, há o correspondente bancário transacional, que trabalha com o recebimento de contas. 

Ou seja, este é o tipo que trabalha recebendo contas de luz, telefone e gás, por exemplo. 

Além disso, ele também trabalha com questões relacionadas às finanças sociais. 

Nesse sentido, seu trabalho passa pelo pagamento de benefícios sociais e facilitar o resgate ou aplicação do fundo de garantia. 

Quanto é o salário de um correspondente bancário?

correspondente bancario

Inicialmente, vale destacar que conforme a Resolução 3.954 do Bacen, a remuneração deste profissional deve estar associada à gestão de risco de suas operações. 

Assim, para entender quanto ganha um correspondente bancário é necessário considerar essa particularidade relacionada à profissão.

Não à toa, quanto maior for a responsabilidade deste profissional, maior será sua remuneração. 

Ainda vale destacar que segundo o Vagas, site especializado na temática salarial, os vencimentos médios deste profissional no Brasil são R$1.682.

Vantagens de ser um correspondente bancário?

Como ocorre em todas profissões, existem vantagens de se trabalhar como correspondente bancário.

Nesse sentido, vale destacar algumas em especial. No caso, são elas:

  • Diversidade de atuação;
  • Autonomia;
  • Serviços personalizados. 

Dessa forma, quem busca como ser correspondente bancário, deve entender separadamente cada um destes tópicos. 

Diversidade de atuação

Esta primeira vantagem está relacionada ao fato desta profissão abrir margem para que o indivíduo realize diferentes atividades.

Ou seja, tal cargo abre possibilidades ao profissional, sendo que ele pode exercer diferentes funções como correspondente bancário.

Por exemplo, ao ter a disponibilidade para exercer este trabalho, um corretor de imóveis também poderia oferecer linhas de financiamento imobiliário.

Outro exemplo relacionado ao tema está ligado aos agentes financeiros, que, através desta posição, conseguem atuar captando recursos para clientes que desejam expandir suas atividades, porém, sem investir em patrimônio próprio inicialmente. 

Portanto, seu leque de serviços aumenta quando atua como correspondente bancário também.

Autonomia

Ocorre em diferentes profissões relacionadas ao setor financeiro, o correspondente bancário tem autonomia sobre seus horários.

Além disso, este profissional controla sua própria demanda de trabalho.

Todavia, é útil frisar ser necessário que o profissional se dedique e tenho controle sobre suas atividades, fatores que afetam em uma entrega eficiente de trabalho. 

Serviços personalizados

Por fim, mas não menos relevante, este profissional tem acesso a produtos e serviços exclusivos. 

Ou seja, o correspondente bancário pode oferecer um serviço personalizado, fator com potencial para atrair diferentes clientes. 

Certificações financeiras para ser correspondente bancário

O Banco Central determina que, para que um profissional se torne um correspondente bancário habilitado, é preciso possuir uma certificação de uma instituição credenciada.

São as certificações financeiras que permitem à pessoa jurídica o oferecimento de crédito aos seus clientes.

Para obtê-las, existem algumas instituições emissoras:

Somente com a FEBRABAN, já é possível oferecer diferentes modalidades de crédito. Além disso, assim como a ABECIP, ela é reconhecida por todos os bancos nacionais.

Quais são as certificações para correspondentes bancários?

Cada uma das certificações serve para diferentes categorias de crédito. A FBB-300 trata de Crédito Consignado, Crédito Direto ao Consumidor e Financiamento de Veículos.

É possível escolher se habilitar em apenas uma das mobilidades, optando pela FBB-310 para a modalidade consignada, FBB-320 para o CDC ou FBB-330 para o financiamento de veículos.

No caso da CA-300, ocorre a habilitação referente ao fornecimento de crédito imobiliário. É possível substituí-la pela CA-600, sendo ela uma certificação mais avançada e de maior destaque no mercado financeiro. Para consegui-las, basta fazer a inscrição e agendamento de uma prova no site da instituição emissora escolhida.

A Certifiquei oferece algumas opções de cursos preparatórios para exames de certificação financeira, como as certificações bancárias mencionadas acima. Confira!

Vale a pena ser um correspondente bancário?

Sem dúvida alguma, os serviços bancários são essenciais para a maioria da população. Por conta disso, mesmo com a maior adesão do Internet Banking, os bancos continuam cada vez mais cheios, além de não estarem presentes em todo o Brasil.

Nesse momento é que se percebe a importância do correspondente bancário. Ele serve para preencher lacunas e atender a parcela da população que deseja o acesso mais prático e acessível dos serviços oferecidos pelos bancos.

Consequentemente, o fluxo no negócio acaba aumentando, o que contribui ainda mais para os seus lucros. Portanto, se tornar um correspondente bancário pode ser uma ótima estratégia para quem busca lucratividade e sucesso profissional.

Guilherme Almeida
Guilherme Almeida
Bacharel em Economia e Especialista em Finanças Corporativas e Mercado de Capitais pelo Ibmec-MG. Mestrando em Estatística pela UFMG, atua como professor, palestrante e porta voz das áreas de economia e finanças, tendo concedido mais de mil entrevistas para os principais meios de comunicação. Atualmente, leciona matérias ligadas à Economia e ao Mercado Financeiro em cursos preparatórios para certificações financeiras, além de ser o Economista-Chefe do departamento de Estudos Econômicos da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Minas Gerais (Fecomércio MG).

relacionadas