Indexadores econômicos: saiba mais sobre estes indicadores

Indexadores econômicos: saiba mais sobre estes indicadores
Share on twitter
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email

Um dos principais atrativos da bolsa de valores é a capacidade de gerar renda que este setor tem, assim é natural que investidores busquem produtos que possibilitem isto. Todavia, o processo não é simples, sendo indicador que a pessoa tenha conhecimento sobre diferentes assuntos, com destaque para os indexadores econômicos.

O que não é à toa, pois os indexadores econômicos são indicadores que influenciam diretamente na rentabilidade dos produtos financeiros, dessa forma este assunto acaba sendo recorrente em provas de certificação para profissionais da área, como, por exemplo, a CPA 10 e CPA 20.

Tem o sonho de trabalhar no mercado financeiro? Acesse o Certifiquei e descubra os principais cursos preparatórios voltados para quem busca os certificados da área. Confira!

O que são os indexadores econômicos

Os indexadores econômicos são indicadores econômicos cuja função é servir como uma taxa de reajuste, sendo que estes são utilizados como referência para rendimentos de determinados produtos financeiros e ajustes de contratos.

Dessa forma, a variação destes indicadores afeta diretamente a economia, influenciando desde o valor do contrato de aluguel até a produção industrial.

Assim, este tipo de informação tem um peso relevante para a população de um modo em geral.

Contudo, ganham uma relevância ainda maior entre investidores, pois tais indicadores podem interferir diretamente na rentabilidade dos investimentos realizados, especialmente os de renda pós-fixada.

Ou seja, estes indicadores econômicos podem interferir em um investimento realizado durante todo o processo.

Portanto, é útil compreender mais a fundo como este impacto se dá no mercado financeiro.

Importância dos indexadores econômicos para os investimentos

Como introduzido, os indexadores econômicos possuem grande impacto na economia, em especial no mercado financeiro, pois afetam diretamente a rentabilidade de determinados ativos financeiros.

Assim, os investidores devem buscar se atualizar sobre o assunto e nas variações que estes indicadores sofrem.

Portanto, é possível destacar alguns pontos que estes indicadores impactam. São eles:

  • Rentabilidade de um investimento ao longo do período de contrato;
  • Valor do contrato de aluguel de imóveis, o que impacta o mercado imobiliário;
  • O cenário econômico como um todo, interferindo diretamente na bolsa de valores.

Ainda é útil ressaltar que estes são apenas três pontos, sendo que a influência destes indicadores vai além disto.

Dessa forma, investidores que não se atentam a este tipo de indicador correm o risco de ter prejuízos em seus investimentos, especialmente os de renda pós-fixada.

Afinal, este tipo de produto financeiro é dependente das variações dos indicadores. 

O que indica que quando o indicador tem um movimento de alta, a tendência é que o rendimento seja maior.

Enquanto, se o indexador está em baixo, o investidor pode ter prejuízo no investimento que realizou.

Principais indexadores econômicos do Brasil

Indexadores econômicos: saiba mais sobre estes indicadores

Ao longo do texto, foi possível compreender a importância dos indexadores econômicos para o mercado financeiro e a economia em geral.

Dessa forma, o próximo passo é conhecer sobre os principais indexadores da economia nacional, sendo possível destacar quatro. São eles:

  1. IPCA;
  2. Selic;
  3. IGP-M;
  4. CDI.

IPCA

Talvez o Índice de Preços ao Consumidor Amplo, o IPCA, seja o indexador mais conhecido do país.

O que não é à toa, pois se trata do índice de inflação oficial do Brasil, sendo que, de forma resumida, este é o processo no qual os preços aumentam, resultando na queda do poder de compra da população.

Tal indicador é construído por meio de uma pesquisa que o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o IBGE, realiza por mês.

Este levantamento considera a variação de preço de uma cesta de produtos do POF.

Além disso, esta cesta é baseada no consumo de famílias que possuem renda entre um e quarenta salários mínimos e que residam em áreas metropolitanas.

Dessa forma, o IBGE consegue realizar um cálculo com base na variação do preço na cesta de produtos e como esta alteração interferiu no poder de consumo dos brasileiros.

Portanto, este é um dos indicadores com maior peso na economia, fator que reflete no mercado financeiro, onde este se torna um dos indexadores mais relevantes.

Por exemplo, o Tesouro IPCA+ é um dos produtos de renda fixa mais populares do mercado e, como o próprio nome indica, possui sua rentabilidade atrelada ao IPCA.

Selic

Outro importante índice da economia nacional é o Sistema Especial de Liquidação e Custódia, a taxa Selic.

Tal índice é considerado a taxa básica de juros do Brasil, isto é, as outras taxas de juros do país são influenciadas pela Selic.

Ainda é importante destacar que tal índice é responsabilidade do Banco Central, que utiliza tal ferramenta para controlar as emissões e operações relacionadas aos títulos federais.

Entre os diferentes valores deste indexador, o mais conhecido e com maior impacto é a Taxa Selic Meta, índice controlado pelo Comitê de Política Monetária, o Copom.

Em suma, a Taxa Selic Meta representa o percentual de juros necessários para controlar a inflação, além de precificar o crédito.

No contexto de investimentos, este indexador econômico influencia em diversos investimentos, com destaque para o Tesouro Selic, título que depende das variações da Selic.

IGP-M

O Índice Geral de Preços do Mercado, o IGP-M, é menos conhecido que os indexadores citados anteriormente, todavia também possui grande relevância para economia nacional.

Assim como o IPCA, o IGP-M também é um índice de inflação, sendo que por anos foi considerado o principal do Brasil.

Contudo, o foco deste indicador é o atacado, assim sendo menos abrangente que o IPCA.

Ainda assim, este se torna o índice utilizado nos reajustes relacionados aos contratos, em especial no setor imobiliário.

Dessa forma, o IGP-M é o indexador mais utilizado em investimentos imobiliários, como é o caso do Fundo Imobiliário de Investimentos (FII).

Portanto, este indexador interfere na rentabilidade do investimento realizado no setor imobiliário.

5 passos para se inscrever na prova da ancord

EBOOK GRATUITO | 5 passos para se inscrever na prova da ANCORD

Baixe o ebook gratuito para conferir como realizar a prova de certificação ANCORD para tornar-se um Agente Autônomo de Investimentos.

5 passos para se inscrever na prova da ancord

EBOOK GRATUITO | 5 passos para se inscrever na prova da ANCORD

CDI

Por fim, mas não menos relevante, existe o Certificado de Depósito Interbancário, o CDI.

Ainda que tenha menos impacto na economia que os indicadores anteriores, este tem grande relevância no mercado financeiro.

Em suma, o CDI é fruto de uma estratégia que os bancos utilizam para não encerrar o dia com valores abaixo do ideal, dessa forma realizam empréstimos de curto prazo entre si.

Justamente a média de juros cobrados entre as instituições é o CDI.

Portanto, o CDI é um dos indexadores econômicos presentes em diversos produtos do mercado financeiro, como CDBs e LCAs, por exemplo.

Guilherme Almeida
Guilherme Almeida
Bacharel em Economia e Especialista em Finanças Corporativas e Mercado de Capitais pelo Ibmec-MG. Mestrando em Estatística pela UFMG, atua como professor, palestrante e porta voz das áreas de economia e finanças, tendo concedido mais de mil entrevistas para os principais meios de comunicação. Atualmente, leciona matérias ligadas à Economia e ao Mercado Financeiro em cursos preparatórios para certificações financeiras, além de ser o Economista-Chefe do departamento de Estudos Econômicos da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Minas Gerais (Fecomércio MG).

relacionadas