Mercado de capitais: o que é e como funciona esse mercado?

Mercado de capitais
Share on twitter
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email

Ultimamente, o mercado de capitais tem mostrado uma melhora surpreendente para muitos investidores. Dessa maneira, apresenta-se como uma das melhores opções para a composição de caixa e investimentos.

Logo, o mercado de capitais poderá deixar para trás o crédito bancário tradicional, algo que sempre foi a primeira e única alternativa. Todos os dados apontam que uma grande quantidade de investidores estão habituando-se a novas opções de investimentos.

O que é mercado de capitais?

Mercado de capitais é um mecanismo de distribuição de valores mobiliários. Possui, como principal objetivo, gerar liquidez aos títulos que são emitidos pelas empresas e, dessa forma, viabilizar o máximo possível de todo o processo de capitalização.

Em suma, o objetivo principal é direcionar de forma correta todos os recursos financeiros da sociedade como um todo. Esses recursos, conhecido também como poupança, são direcionados para:

  • Comércio;
  • Indústria;
  • Demais atividades econômicas.

Assim, permite-se que o indivíduo investidor contribua cada vez mais para o desenvolvimento econômico do país.

Como funciona o mercado de capitais?

Para entender como funciona o mercado de capitais, é preciso saber que ele se estrutura de formas diferentes. Ou seja:

  1. Ações;
  2. Debêntures;
  3. Papéis Comerciais ou Commercial Papers;
  4. Opções sobre ações.

1. Ações

Uma forma muito fácil de entender o que são as ações é simplesmente pensar em todos os títulos que são emitidos por sociedades anônimas e que, ainda assim, representam uma fração muito pequena do capital da empresa.

O investidor é uma espécie de coproprietário da sociedade anônima. Ou seja, ele tem o direito de participar de todos os seus lucros e resultados positivos, bem como negativos. Dentre as participações, estão os dividendos.

Ainda dentro das ações, elas podem ser caracterizadas de duas formas. São elas as ordinárias e também as preferenciais.

Nas ações ordinárias, o investidor pode votar em grande maioria das assembleias que a empresa realizar.

Já nas ações preferenciais, que é o tipo mais investido hoje em dia, o investidor recebe os dividendos. Tais dividendos se caracterizam por ser o percentual, uma espécie de “participação de lucros”.

2. Debêntures

O nome “debêntures” pode causar uma certa confusão em quem está iniciando nos investimentos. No entanto, o interesse para com essa modalidade está crescendo cada dia mais. O motivo é que grande maioria dos seus lucros são destinados para capitais fixos.

Contudo, o capital fixo referido é das empresas e, assim, são remunerados em juros, participação de lucros, etc. Para melhor entender, as debêntures são títulos mais específicos para longo prazo. Dessa forma, se tornam até mesmo mais seguros.

3. Papéis Comerciais ou Commercial Papers

Um dos mais fáceis de entender, os Commercial Papers são caracterizados por todas as notas promissórias de curto prazo. Ou seja, são aqueles utilizados pelas empresas no momento de financiar uma determinada parte do seu capital de giro.

4. Opções sobre ações

As opções sobre ações podem ser caracterizadas pela compra e venda de ações. Porém, a negociação se dá por preço de exercício e data de vencimento já preestabelecidos.

Esse mercado, no entanto, é mais utilizado por investidores com maior nível de experiência e que desejam garantir a proteção de suas ações.

A intenção é evitar perdas, danos, entre outros problemas que podem ocorrer a partir do momento em que a bolsa de valores começa a flutuar e apresentar inconsistências preocupantes e recorrentes.

Quer trabalhar no mercado financeiro? O Certifiquei oferece os melhores cursos preparatórios para você tirar a sua certificação. Confira! 

Tipos de mercado

Dentro do mercado de capitais, é possível observar dois tipos de mercados. Esses mercados são o primário e o secundário. Mesmo que sejam de fácil entendimento, ainda assim podem causar uma determinada confusão em quem está iniciando no assunto.

Portanto, para exemplificar de maneira básica, o primário é caracterizado por ser o ativo disponibilizado pela primeira vez e já adquirido por um investidor. Já o secundário é caracterizado a partir do momento em que o investidor negocia o título e o vende.

Vejamos mais detalhes em seguida.

1. Mercado primário

Para entender de maneira mais aprofundada, já que o mercado de capitais pede, de fato, um aprofundamento maior, o mercado primário é uma empresa que está necessitada de recursos para que suas atividades sejam devidamente financiadas.

Dentro do mercado financeiro, isso pode ser feito através do Initial Public Offering, ou popularmente conhecido como IPO. No IPO, é possível fazer com que as ações de uma determinada empresa sejam, pela primeira vez, oferecidas aos investidores interessados.

Após a ação ter sido lançada em IPO, os valores passam a ser pré-determinados, assim, os investidores miram diretamente no objetivo de ganhar dinheiro a partir da diferença do preço, já que se imagina que a ação valorizará conforme o lançamento.

2. Mercado secundário

Já para entender melhor o mercado secundário, nele, ocorre a venda da ação para outro investidor. A intenção é rever o capital e transferi-lo de um participante para outro, mas não para uma empresa.

Ainda dentro desse mercado, é possível negociar títulos também de renda variável e renda fixa.

BM&FBOVESPA

Conhecida também como bolsa de valores, a BM&FBOVESPA lidera há muito tempo o mercado de toda a América do Sul. O motivo é que, através da bolsa, é possível que o investidor possa navegar e acessar um ambiente seguro e devidamente profissional.

Além disso, a bolsa também oferece ao investidor um reforço adicional conhecido como CVM. O CVM é a sigla para Comissão de Valores Mobiliários e se caracteriza por ser uma entidade ligada ao Ministério da Fazenda.

O objetivo é, de fato, averiguar se todas as regras estão sendo seguidas de maneira minuciosa e como devem ser. Além disso, também é responsável por acompanhar todos os processos que envolvem o mercado.

De qualquer forma, sabe-se que para operar na bolsa de valores e entender bem sobre todas as ações, debêntures e demais fatores que cercam os investimentos do mercado de capitais, indica-se estudar profundamente para garantir o entendimento necessário e adequado.

Somente assim será possível ter um entendimento mais aprofundado e garantir o sucesso para operar e realizar ótimos investimentos.

Uma das melhores formas é sempre procurando informações adequadas sobre o mercado, cursos e demais informações que podem fazer grande diferença para quem quer saber mais sobre o mercado de capitais e suas nuances.

Guilherme Almeida
Guilherme Almeida
Bacharel em Economia e Especialista em Finanças Corporativas e Mercado de Capitais pelo Ibmec-MG. Mestrando em Estatística pela UFMG, atua como professor, palestrante e porta voz das áreas de economia e finanças, tendo concedido mais de mil entrevistas para os principais meios de comunicação. Atualmente, leciona matérias ligadas à Economia e ao Mercado Financeiro em cursos preparatórios para certificações financeiras, além de ser o Economista-Chefe do departamento de Estudos Econômicos da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Minas Gerais (Fecomércio MG).

relacionadas