SCFI: conheça as sociedades de crédito, financiamento e investimento

SCFI: conheça as sociedades de crédito, financiamento e investimento As SCFI, são instituições privadas que fornecem linhas de finaciamento para aquisição de bens, serviços e capital de giro. Clieque e saiba sobre as SCFI.
Share on twitter
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email

O universo das finanças pode ser muito mais amplo do que o que aparece no cotidiano. Por exemplo, a maioria das pessoas conhece e, até mesmo, são clientes dos bancos múltiplos, tendo acesso a diversos produtos, como o financiamento, por exemplo. Todavia, não são apenas essas empresas que trabalham com este tipo de empréstimo, tendo uma variedade de outros negócios com foco nessa atividade, incluindo as SCFI.

Ainda que pouco conhecida do público em geral, as SCFI possuem um importante papel para economia nacional, causando impacto direto no setor industrial. Inclusive, é possível encontrar semelhanças entre o papel deste tipo de negócio e o banco cooperativo.

Tem o sonho de trabalhar no mercado financeiro? no Certifiquei você encontra os principais cursos preparatórios voltados para quem deseja conquistar as certificações da área. Confira!

O que são as SCFI

As sociedades de crédito, financiamento e investimento, ou SCFI, são instituições privadas que têm como objetivo fornecer linhas de financiamento e empréstimos para aquisição de bens, serviços e capital de giro.

Dessa forma, as “financeiras”, como também são conhecidas, possuem um trabalho relevante para o desenvolvimento de setores chaves da economia.

Não à toa, esta instituição financeira foi criada no contexto de expansão dos setores industriais e comerciais no Brasil.

As SCFI foram criadas em 30 de novembro de 1959, pela portaria do Ministério da Fazenda 309, em um período em que diversos segmentos da economia brasileira estavam em período de crescimento.

Portanto, compreender seu funcionamento é relevante para entender o porquê de seu impacto.

Funcionamento do SCFI

Inicialmente, vale destacar que as SCFI, deve ser constituída na forma de sociedade anônima, sendo que em sua denominação social é necessário colocar o termo “Crédito, Financiamento e Investimento”.

Outro ponto para se ressaltar é que as sociedades financeiras podem ser divididas em quatro categorias. São elas:

  1. Independentes – sociedade financeira que atua sem vinculação a outra instituição financeira;
  2. Ligadas a conglomerados financeiros;
  3. Associadas a estabelecimentos do ramo comercial;
  4. Com ligação a grandes grupos do setor industrial, 

O mais recorrente é que as sociedades de crédito, financiamento e investimento são ligadas às instituições financeiras bancárias.

Contudo, muitas financeiras, que não são ligadas aos bancos, costumam funcionar como um braço de financiamento de conglomerados comerciais e industriais.

Ou seja, algumas empresas optam por criar sua própria sociedade de crédito, financiamento e investimento, sendo que esta será responsável pelas operações financeiras do próprio grupo.

Tal prática é comum em grupos que atuam no segmento de montagem de veículos e em lojas de departamento.

Outra característica deste tipo de negócio é a possibilidade de operar em segmentos que não possuem atendimento dos grandes bancos. 

Assim, este tipo de sociedade de crédito trabalha especialmente com financiamentos e empréstimos para este tipo de situação. 

Em contextos que se encaixam nesta ideia, é possível listar negócios de alto risco de investimento, convênios relacionados a estabelecimentos comerciais e financiamento de veículos usados.

Além de entender seu funcionamento, é importante compreender como este tipo de negócio realiza a captação de dinheiro para executar suas atividades.

Captação do SCFI

Estas instituições privadas costumam captar verba para realizar suas atividades, especialmente, por dois tipos de títulos privados, são eles: Recibo de Depósito Bancário (RDB) e Letras de Câmbio (LC).

Ainda vale um destaque especial para as LCs, através do valor captado com este tipo de produto é possível financiar empréstimos e finanças, sendo que após a captação, o montante é repassado à empresa ou consumidor. 

Além disso, as SCFI ainda podem realizar os serviços de financiamento e empréstimo por meio do repasse de verba de recursos provenientes do Estado. 

Outro forma para se realizar suas atividades é através da realização do apoio financeiro para profissionais autônomos com habilitação legal para concessão de crédito pessoal.

Ebook Trilha de estudos Ancord

EBOOK GRATUITO | Trilha de estudos Ancord

Baixe o ebook gratuito para saber o que e como estudar para a prova de certificação Ancord

Ebook Trilha de estudos Ancord

EBOOK GRATUITO | Trilha de estudos Ancord

Sociedades financeiras além da SCFI

Como visto até aqui, a SCFI possui sua atividade principal direcionada ao ramo industrial e comercial, assim, mesmo que pouco conhecida, gera um impacto na economia de um modo geral.

Todavia, não é apenas a sociedades de crédito, financiamento e investimento, que se encaixa nesse perfil de instituição financeira. 

Dessa forma, conhecer outras sociedades de crédito é útil para entender este segmento do setor financeiro nacional.

Para isso, vale destacar três exemplos de empresas deste gênero, são elas:

  • SCD;
  • SEP;
  • ESC.

SCD

Inicialmente, a Sociedade de Crédito Direto, ou SCD, talvez seja uma das sociedades de crédito de maior destaque da economia nacional, suas atividades são focadas especialmente na concessão de crédito e financiamento, sendo que suas operações são exclusivas por meio de plataformas digitais.

Dessa forma, esta instituição financeira pode ser considerada uma fintech.

Outra característica básica das SCDs é de que seus financiamentos devem ser realizados por meio de capital próprio.

Ou seja, as Sociedades de Crédito Direto não podem captar recursos de terceiros.

Além disso, vale destacar que outra característica das SCDs é o processo de seleção de clientes, em que a avaliação de risco costuma ser rigorosa.

Entre os serviços realizados por está instituição financeira, é possível destacar:

  • Análise de crédito voltada à terceiros;
  • Cobrança de crédito para terceiros;
  • Emissão de moeda digital;
  • Distribuição de produtos ligados à área de seguros.

Portanto, é possível perceber que a fintech tem peso para o setor de empréstimos e financiamentos.

SEP

Enquanto a Sociedade de Empréstimo entre Pessoas, ou SEP, é uma fintech, que como o próprio nome indica, tem seu foco voltado para intermediar relações entre investidores que desejam utilizar seu capital para empréstimo, e clientes em busca de crédito para desenvolver seus projetos.

Vale destacar que este tipo de negócio é conhecido no mercado pelo termo peer-to-peer lending.

Além disso, as SEPs utilizam somente recursos de terceiros para realizar suas operações.

Dessa forma, sua estrutura é destinada apenas a intermediação entre as partes.

ESC

Por fim, mas não menos importante, estão as Empresas de Simples Crédito, ou ESC.

Este tipo de negócio tem suas operações dedicadas ao fornecimento de empréstimos e financiamentos para Microempreendedores Individuais (MEI), microempresas e empresas de pequeno porte.

Além disso, a ESC se utiliza apenas de capital próprio para realizar tais atividades, sendo que as movimentações são realizadas por meio de débito, na conta ESC, e crédito, na conta da pessoa jurídica da parte que contratou o serviço.

Ainda que lide com valores menores e negócios de menor porte, a ESC, assim como SCFI, possui sua relevância para o funcionamento do Sistema Financeiro Nacional (SFN). 

Guilherme Almeida
Guilherme Almeida
Bacharel em Economia e Especialista em Finanças Corporativas e Mercado de Capitais pelo Ibmec-MG. Mestrando em Estatística pela UFMG, atua como professor, palestrante e porta voz das áreas de economia e finanças, tendo concedido mais de mil entrevistas para os principais meios de comunicação. Atualmente, leciona matérias ligadas à Economia e ao Mercado Financeiro em cursos preparatórios para certificações financeiras, além de ser o Economista-Chefe do departamento de Estudos Econômicos da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Minas Gerais (Fecomércio MG).

relacionadas