Taxa Selic: qual sua influência sobre os investimentos?

taxa selic
Share on twitter
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email

Frequentemente nos noticiários ouvimos falar sobre a taxa Selic, a taxa básica de juros da nossa economia.

Não é necessário trabalhar no mercado financeiro para entender a importância da taxa Selic e os impactos que ela tem sobre os bens e ativos da economia. No caso do mundo dos investimentos, ela é responsável por referenciar a rentabilidade de diversos investimentos, sobretudo os de renda fixa.

O que é a taxa Selic?

A taxa Selic é o principal instrumento de política monetária utilizado na economia brasileira. Considerada a taxa básica de juros praticada na economia, a Selic é definida pelo Banco Central, com o principal objetivo proteger o valor da nossa moeda.

Periodicamente, nas reuniões do COPOM (Comitê de Política Monetária), essa taxa é redefinida, podendo ter seu valor preservado, diminuído ou aumentado, dependendo da conjuntura econômica corrente.

Essa é, sem dúvidas, a principal taxa de juros de toda economia, influenciando as taxas cobradas pelos bancos, a remuneração de títulos de renda fixa, entre outras taxas de juros praticadas no mercado.

Diferença entre taxa Selic meta e taxa Selic over

taxa selic

A Selic definida acima, é conhecida também como a taxa Selic meta, usada como estratégia de política monetária do Banco Central. No entanto, existe uma segunda face da Selic menos conhecida, mas tão importante quanto.

A taxa Selic over é a taxa é utilizada no mercado interbancário para o financiamento de operações diárias. Basicamente, é a taxa em que os bancos emprestam aos outros bancos que precisam de recursos para executar suas atividades diárias. Essa taxa de juros é muito importante para manter o equilíbrio do sistema financeiro.

Impacto da Taxa Selic na renda fixa

Como dito anteriormente, a Selic tem muita influência sobre os investimentos de renda fixa. Grande parte deles, ou tem a rentabilidade atrelada à Selic, ou utilizam a Selic como benchmark.

Entre os principais investimentos ligados a taxa básica de juros, estão:

  • Títulos do Tesouro;
  • CDBs;
  • LCI e LCA;
  • Fundos de renda fixa.

Mesmo que alguns desses, como os CDBs, LCI e LCA, estejam atrelados ao CDI, a influência da Selic continua sendo fortíssima. Isso porque o CDI (Certificado de Depósito Interbancário) está completamente relacionado à Selic. Uma diminuição na Selic sempre acaba ocasionando uma redução no CDI.

Interessado em trabalhar no mercado financeiro? A Certifiquei oferece os melhores cursos preparatórios para você tirar a sua certificação. Confira!

Impacto da Taxa Selic na renda variável

A relação entre a Selic e a renda variável pode não ser tão óbvia quanto a relação com a renda fixa. No entanto, o nível de aquecimento dos investimentos na bolsa de valores também está muito relacionado a taxa básica de juros.

Isto ocorre porque, com uma redução da Selic, por exemplo, o rendimento dos títulos de renda fixa tendem a ser reduzidos também. Portanto, a fim de obter melhores resultados com os investimentos, os investidores tendem a migrar uma maior parte das suas poupanças para a renda variável.

Além disso, baixas nos juros geram um aquecimento geral na economia, incentivando o consumo, por exemplo. Um aquecimento na economia, normalmente, é interessante para as empresas que estão na bolsa de valores e, consequentemente, para os acionistas dessas empresas.

Entender a taxa Selic é fundamental para conseguir investir bem. Mais que isso, é fundamental para entender como funciona a nossa economia.

Guilherme Almeida
Guilherme Almeida
Bacharel em Economia e Especialista em Finanças Corporativas e Mercado de Capitais pelo Ibmec-MG. Mestrando em Estatística pela UFMG, atua como professor, palestrante e porta voz das áreas de economia e finanças, tendo concedido mais de mil entrevistas para os principais meios de comunicação. Atualmente, leciona matérias ligadas à Economia e ao Mercado Financeiro em cursos preparatórios para certificações financeiras, além de ser o Economista-Chefe do departamento de Estudos Econômicos da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Minas Gerais (Fecomércio MG).

relacionadas