Administração financeira: entenda o que é e sua importância

Administração financeira: entenda o que é e sua importância
Share on twitter
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email

O planejamento financeiro é um fator chave para determinar os próximos passos de uma companhia. É nele onde reside os investimentos sobre os demais setores internos, e é nele onde se encontra a chave para o sucesso. O setor responsável por essa manutenção é a administração financeira.

Presente em empresas de diferentes portes, nichos e setores, a área desperta interesse em diversos profissionais. Quer saber mais sobre administração financeira? Continue conosco e boa leitura!

O que é administração financeira?

Administração financeira é o conjunto de práticas e ferramentas que visam a gestão de recursos de uma determinada empresa ou organização. É, sobretudo, a área que envolve o planejamento e o controle do setor financeiro, desde as finanças até mesmo a análise de dados.

Essas práticas ajudam a traçar metas, guiando o futuro da organização. Em suma, podemos dividir a área em três subcategorias:

  1. Análise de dados e resultados;
  2. Controle de gastos;
  3. Planejamento e gestão das finanças.

Principais funções da administração financeira

Todas as ações da administração impactam a saúde financeira da companhia. Confira os 7 principais objetivos da área:

  1. Primeiramente, ampliar resultados, aumentando o patrimônio e o lucro da empresa;
  2. Administrar o capital de giro;
  3. Avaliar o fluxo de caixa;
  4. Efetuar cobranças, emitir boletos e notas fiscais (NF’s);
  5. Realizar o planejamento orçamentário;
  6. Analisar e negociar a captação dos recursos financeiros necessários, bem como a aplicação dos recursos financeiros disponíveis;
  7. Analisar os resultados e planejar ações para melhorias.

Importância da administração financeira

Uma boa liquidez fornece condições básicas para o desenvolvimento das atividades, garantindo assim o bom funcionamento da empresa.

Em um mercado cada vez mais competitivo, as falhas são cada vez menos toleradas. Portanto, preços competitivos e inovação são palavras de ordem.

Nesse sentido, vale lembrar que é o setor administrativo financeiro quem assegura a expansão daquele local. Os novos investimentos advêm de uma boa saúde financeira. Afinal, uma empresa “em vermelho” não consegue adquirir equipamentos, muito menos apostar em inovações que necessitam de certo valor em caixa.

O profissional de administração financeira

O administrador financeiro carrega, acima de tudo, grandes responsabilidades dentro de uma empresa. Confira 6 atribuições desses profissionais:

  1. Planejamento financeiro e análise de resultados: antes de mais nada, a análise de todos os dados e movimentações financeiras são fundamentais para um bom planejamento;
  2. Boa utilização de recursos: efetuar a análise e negociação da captação de recursos financeiros, além de definir como esses recursos serão aplicados;
  3. Contas a receber e a pagar: controlar a entrada e saída de recursos, através do controle de contas a receber e a pagar. Entre essas contas estão, por exemplo, despesas operacionais, compras, impostos, etc;
  4. Controlar o estoque e acompanhar o volume de vendas: conhecer alguns setores e atividades operacionais é importante. Isso porque, acompanhando esses processos, o profissional consegue aprimorar o planejamento financeiro;
  5. Realizar operações e conciliações bancárias visando o controle do fluxo de caixa, evitando desperdícios e aprimorando o controle financeiro;
  6. Definir preços: muitas vezes o departamento atua diretamente na definição de preços dos produtos no mercado, a fim de acompanhar os processos financeiros da companhia.

Como trabalhar no Mercado Financeiro

EBOOK GRATUITO | Como trabalhar no Mercado Financeiro?

Baixe agora nosso ebook gratuito para descobrir o que você precisa para conseguir uma oportunidade no Mercado Financeiro!

Como trabalhar no Mercado Financeiro

EBOOK GRATUITO |
Como trabalhar no Mercado Financeiro?

Quais as profissões em um departamento financeiro?

No departamento, podem existir os seguintes cargos:

  • Auxiliar administrativo financeiro: o cargo está associado a atividades mais operacionais, como lançamento de notas, por exemplo;
  • Analista de contas a pagar / analista de contas a receber: analisa os prazos, elaborando meios e cronogramas para que o capital de giro seja o menor possível;
  • Gerente financeiro: administra o orçamento, avalia os projetos de investimento e, por fim, supervisiona o departamento.

Quer se tornar um especialista em investimentos? Então, não deixe de conferir nosso curso CNPI!

Princípios da administração financeira

Confira alguns termos e funções importantes na administração financeira:

  1. Controle de estoque: de fato, um bom controle de estoque proporciona um planejamento mais completo, prevendo as compras e vendas dos próximos períodos. Esse controle evita que mercadorias fiquem paradas, ao passo que contribui para um fluxo de caixa mais efetivo;
  2. Capital de giro: são ativos e passivos que circulam na organização. Essa atividade tem um papel essencial na saúde financeira do local, pois assegura que a empresa tenha recursos para suas operações básicas;
  3. Orçamento de capital: é o processo de gestão de investimentos em longo prazo. Lembre-se de que o valor do fluxo de caixa precisa ser maior que o custo desse ativo;
  4. Estrutura de capital: é a soma do capital de terceiros com o capital da própria companhia. Com a análise dessa estrutura, é possível definir quais recursos serão captados e de onde eles virão.

Administração financeira pessoal

Sem dúvida, alguns princípios da administração financeira podem e devem fazer parte da nossa vida pessoal. Não sabe por onde começar? Confira as dicas!

7 passos para um bom planejamento financeiro pessoal

  1. Em primeiro lugar, anote todos os seus gastos. Faça uma lista de gastos mensais “inevitáveis”, ou seja, aqueles que você sabe que virão, independente do mês. Entram aqui impostos, telefone, aluguel, entre outros.
  2. Anote todos os seus gastos diários. Aquele lanchinho depois do trabalho, a passagem de ônibus ou a gasolina, o produto de limpeza no supermercado… Uma dica é levar um papel no bolso e registrar cada gasto. Assim, é possível traçar uma média diária para, no futuro, montar um planejamento fiel à sua realidade.
  3. Logo após as anotações, avalie os gastos. Quais despesas podem ser cortadas ou reduzidas?
  4. Depois, estabeleça metas de curto, longo e médio prazo. Por exemplo: uma meta de curto prazo poderia ser um celular; médio prazo poderia ser montar uma reserva de emergência; longo prazo, uma viagem para o exterior. O quanto você estaria disposto a poupar e o quanto você precisa para atingir essas metas? E em relação às dívidas, quanto você pode separar para quitá-las ou renegociá-las?
  5. Compare preços. Não tenha vergonha de pedir descontos!
  6. Procure meios de obter rendas extras. Olhe ao seu redor: existe algum objeto que você não usa e poderia ser vendido?
  7. Por fim, estude sobre investimentos, aprenda o básico sobre finanças. Faça seu dinheiro trabalhar por você.

Gostou desse conteúdo sobre administração financeira? Fique ligado no blog do Certifiquei e confira muitos outros conteúdos sobre finanças, gestão, segurança da informação e muito mais!

Guilherme Almeida
Guilherme Almeida
Bacharel em Economia e Especialista em Finanças Corporativas e Mercado de Capitais pelo Ibmec-MG. Mestrando em Estatística pela UFMG, atua como professor, palestrante e porta voz das áreas de economia e finanças, tendo concedido mais de mil entrevistas para os principais meios de comunicação. Atualmente, leciona matérias ligadas à Economia e ao Mercado Financeiro em cursos preparatórios para certificações financeiras, além de ser o Economista-Chefe do departamento de Estudos Econômicos da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Minas Gerais (Fecomércio MG).

relacionadas