Bonificação de ações: uma das formas do acionista receber proventos

bonificacao-acoes
Share on twitter
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email

Ao iniciar o investimento em ações, além dos possíveis ganhos com as variações das cotações dos ativos, o investidor recebe proventos, sendo um deles a bonificação.

Importante dizer que a bonificação funciona de forma similar ao recebimento de dividendos e são uma das formas que as empresas de capital aberto utilizam para remunerar os seus acionistas.

O que é a bonificação de ações?

A bonificação de ações consiste na distribuição, por parte da companhia de capital aberto, de ações novas aos acionistas de forma gratuita.

Nesse sentido, ao realizar essa forma de remuneração a empresa está aumentando o seu capital social, mas sem que ocorra a entrada de recursos novos.

O ato de realizar a bonificação é muito bem vista pelo mercado, uma vez que ela aumenta o número de negociações e, consequentemente, traz maior liquidez ao ativo.

Como funciona a bonificação de ações?

Para remunerar o acionista com novas ações, a empresa incorpora parte de seus lucros em seu capital social.

Importante salientar, que a decisão da bonificação deve passar pelo conselho, o qual irá, além de autorizar, definir:

  • a quantidade de ações distribuídas;
  • a data da distribuição;
  • valor de cada uma das ações.

Trabalhe no mercado que mais cresce e remunera no Brasil! Conheça os cursos do Certifiquei e se qualifique para atuar no mercado de capitais!

Dentro da data de distribuição, é necessário indicar até qual dia a compra das ações garantirão o direito a bonificação.

Com tudo definido pelo conselho, a empresa deverá emitir um “fato relevante”, para informar o mercado sobre as condições da bonificação acordada.

No dia da bonificação, o investidor irá receber de forma proporcional as novas ações, o que faz com que sua participação na empresa não mude.

Quais os outros tipos de proventos disponíveis no mercado?

Apesar do grande sucesso da bonificação de ações, o acionista tem direito a outras formas de remuneração, como:

  • Dividendos
  • Juros sobre capital próprio
  • Direito de subscrição

Os dividendos nada mais são do que o lucro líquido da empresa distribuído aos acionistas. Esse valor será subtraído do preço da ação no mercado.

Os juros sobre capital próprio são os pagamentos em dinheiro de lucros retidos de exercícios anteriores, o que faz com que o valor repassado ao investidor sofra a incidência de imposto de renda, que já vem descontado na fonte.

Já o direito de subscrição, novas ações são colocadas em circulação, mas diferentemente da bonificação, o investidor tem que pagar o preço estabelecido pelas ações, isto é, não as recebe de forma gratuita.

Para que serve a bonificação de ações?

Por se tratar de uma forma de remuneração aos acionistas, a bonificação de ações é uma maneira da empresa não precisar liberar parte de seu caixa, como ocorreria com o pagamento de dividendos.

Pensando nisso, para o acionista a bonificação é excelente, uma vez que permite, no caso da distribuição de dividendos em uma data futura, um recebimento maior do que antes da bonificação.

No que versa a empresa, a estratégia é vantajosa, uma vez que ao realizar a bonificação de ações ela aumenta seu capital social sem que seja necessário diminuir a participação relativa dos acionistas, principalmente os majoritários.

Guilherme Almeida
Guilherme Almeida
Bacharel em Economia e Especialista em Finanças Corporativas e Mercado de Capitais pelo Ibmec-MG. Mestrando em Estatística pela UFMG, atua como professor, palestrante e porta voz das áreas de economia e finanças, tendo concedido mais de mil entrevistas para os principais meios de comunicação. Atualmente, leciona matérias ligadas à Economia e ao Mercado Financeiro em cursos preparatórios para certificações financeiras, além de ser o Economista-Chefe do departamento de Estudos Econômicos da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Minas Gerais (Fecomércio MG).

relacionadas