Dólar futuro: saiba mais sobre este tipo de contrato

Dólar futuro: saiba mais sobre este tipo de contrato
Share on twitter
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email

Existem diferentes modos de se obter renda no mercado financeiro, e, entre essas opções, a especulação é uma das práticas recorrentes, especialmente entre investidores que visam lucro no curto prazo, como é o caso do trader. Para este perfil de investidor, compreender o funcionamento do dólar futuro é útil.

O que não é à toa, afinal é dólar futuro é um tipo de contrato que possibilita altos ganhos aos seus investidores, todavia também é possível ter prejuízos consideráveis com este tipo de negócio, assim é um “produto” do mercado mais indicado para o investidor arrojado.

Tenha uma carreira profissional de sucesso no mercado financeiro! Acesse o Certifiquei e descubra os principais cursos preparatórios voltados para quem deseja as certificações da área. Confira!

O que é o dólar futuro

contrato de dólar futuro é uma operação de compra e venda da moeda norte-americana, cujo valor é pré-estabelecido. Assim, o investidor busca obter renda através dos movimentos futuros que ocorrerão no preço do dólar.

Ainda vale ressaltar que esta operação acontece na B3, sendo que este produto é padronizado de acordo com os prazos de vencimento da moeda.

Dessa forma, esta se torna uma opção interessante para quem busca investir no mercado financeiro norte-americano, especialmente se o interesse do investidor for o mercado futuro.

Afinal, através do funcionamento deste contrato é possível obter lucro de acordo com as oscilações da moeda.

Contudo, assim como grande parte dos investimentos baseados em especulações, existem riscos ao se investir no dólar futuro.

Portanto, o investidor deve compreender o porquê da existência deste tipo de contrato e seu funcionamento, fatores que podem auxiliar no momento de conseguir renda e evitar prejuízos.

Motivos para existência deste tipo de contrato

A operação com dólar futuro é uma prática útil especialmente para empresas que trabalham com moeda estrangeira, isso porque esta é uma forma de amenizar os efeitos causados pela variação cambial.

Assim, esse contrato tem como principal motivo de sua existência, amenizar os riscos causados pela volatilidade do dólar.

Fator que ganha mais relevância quando compreendido que em determinadas empresas e setores, as baixas e altas do dólar tendem a afetar diretamente a cadeia produtiva.

Dessa forma é possível entender o porquê de algumas empresas terem políticas voltadas para este tipo de contrato.

Além disso, o dólar futuro também é um contrato de utilidade entre os especuladores.

Como visto anteriormente, são investidores que buscam lucrar através da variação da moeda norte-americana.

Ou seja, através das oscilações desta commodity financeira o investidor busca obter ganhos, sendo que estes podem se dar em um curto período de tempo.

Em outras palavras, é possível investir tanto na valorização quanto na desvalorização do dólar frente ao real durante o período de contrato, nesse sentido, caso a “escolha” aconteça, o investidor obterá ganhos consideráveis.

Ao mesmo tempo, investir neste mercado é algo arriscado, isto é, existe uma possibilidade maior de ter prejuízos.

Afinal, caso sua opção de contrato não se concretize, o mesmo terá prejuízos com o investimento realizado.

Como funciona o contrato

É possível compreender o funcionamento deste tipo de contrato através de um passo a passo. No caso, as etapas funcionam da seguinte forma:

  1. Para realizar a compra de contratos de dólar futuro, é necessário que o investidor busque uma corretora de valores  que disponibilize um Home Broker;
  2. Após encontrar a corretora, o investidor deve possuir e comprovar a existência de uma margem de garantia, sendo que este é um dos critérios necessários para realizar este tipo de operação. Vale destacar que esta margem pode ser títulos de CDBs;
  3. Estar atento às datas de vencimento dos contratos, sendo que estas ocorrem no primeiro dia útil da bolsa de valores de cada mês de um ano.

Além de entender os passos necessários para se investir neste tipo de contrato, também é importante entender como operar este tipo de produto.

O investidor deve ficar atento, que a incidência do imposto de renda sobre o lucro líquido da operação que envolve dólar futuro é de 15%.

Afinal, conhecer os produtos do mercado em que se deseja investir e sua nomenclatura é tão relevante quanto a escolha corretora de valores.

Nomenclatura

Inicialmente é necessário entender que existem formas para definir a nomenclatura dos contratos. Nesse sentido, são utilizados três recursos. São eles:

  • Códigos;
  • Letras;
  • Números.

Dessa forma, o contrato cheio é conhecido pela sigla DOL, enquanto o minicontrato é pela sigla WDOL.

Junto do código, é somada a letra referente ao mês de encerramento do contrato.

Por fim, é colocado os dois números que correspondem ao ano de encerramento do contrato.

Portanto, quando o contrato é finalizado, ocorre uma operação inversa da posição original, em que a posição do especulador é zerada naquela data.

Assim, o investidor da bolsa de valores que opta por investir neste produto deve ficar atento a suas particularidades.

Tipos de contratos referentes ao dólar futuro

Dólar futuro: saiba mais sobre este tipo de contrato

Do mesmo modo que grande parte dos produtos do mercado financeiro, o contrato referente ao dólar futuro é segmentado, isto é, dividido em dois tipos diferentes.

Nesse sentido, é útil compreender o funcionamento de cada um destes dois tipos, pois o conhecimento acerca do produto financeiro é um passo relevante para quem deseja obter renda no mercado.

Contrato cheio

Inicialmente vale destacar o contrato cheio de dólar futuro, que, como o próprio nome indica, é referente a movimentações de capital de maior volume.

Assim, o contrato cheio representa uma movimentação de US$50.

Ainda vale destacar que o padrão de negociação do lote mínimo é de cinco contratos.

Dessa forma, este tipo de contrato de dólar futuro totaliza em US$250.

Portanto, é natural que este tipo de contrato seja mais utilizado por empresas ou investidores que movimentam grandes fortunas no mercado.

Minicontrato

Enquanto, no minicontrato de dólar futuro, como a nomenclatura utilizada já da entender, os valores da negociação são menores.

Assim, a definição é que o minicontrato represente 20% do valor referente ao contrato cheio.

Dessa forma, é estipulado que cada contrato vale US$10 mil, sendo que não há um número mínimo para se realizar a operação.

Ainda que seja um valor elevado, o minicontrato é um tipo de produto do mercado futuro mais acessível aos investidores da bolsa, ainda mais os que buscam lucro através da especulação.

Não à toa, é o minicontrato é tão conhecido entre os investidores arrojados, afinal é uma forma possível de se expor ao contrato de dólar futuro.

Guilherme Almeida
Guilherme Almeida
Bacharel em Economia e Especialista em Finanças Corporativas e Mercado de Capitais pelo Ibmec-MG. Mestrando em Estatística pela UFMG, atua como professor, palestrante e porta voz das áreas de economia e finanças, tendo concedido mais de mil entrevistas para os principais meios de comunicação. Atualmente, leciona matérias ligadas à Economia e ao Mercado Financeiro em cursos preparatórios para certificações financeiras, além de ser o Economista-Chefe do departamento de Estudos Econômicos da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Minas Gerais (Fecomércio MG).

relacionadas