FIE: conheça o Fundo de Investimento Especialmente Constituído

FIE: conheça o Fundo de Investimento Especialmente Constituído
Share on twitter
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email

O mercado financeiro é composto por uma série de produtos. Neste universo, os fundos de investimentos estão em destaque, sendo que dentro desta categoria existem diversas opções, como o FIE.

Ainda que não seja um tipo de fundo de investimento tão conhecido pelos investidores, o FIE tem impacto direto para uma parcela relevante da economia nacional. Não à toa, é um tema de estudo para aqueles profissionais que desejam conquistar alguns tipos de certificações financeiras, como a CEA.

O que é o FIE

Também conhecido como Fundo de Investimento Especialmente Constituído, o FIE é um fundo voltado para seguradoras e entidades abertas de previdência, isto é, um fundo de investimento voltado para um público específico.

Além dos dois exemplos citados, o FIE ainda é voltado para participantes de planos de previdência, no qual estão inclusos planos previdenciários, como por exemplo:

  1. Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL);
  2. Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL);
  3. Plano de Renda Imediata (PRI).

Fundos de investimento

Um fundo de investimento é um dos produtos mais populares do mercado financeiro, sendo uma alternativa para diferentes perfis de investidores.

Em suma, um fundo representa a junção dos investimentos de um conjunto de investidores nos ativos financeiros que constituem o portfólio deste fundo.

Trata-se de uma estrutura composta pelos recursos de vários investidores que se reúnem com o objetivo de investir de forma conjunta.

A construção e gestão deste portfólio são realizadas por um profissional da área, geralmente um gestor com especialização no tema.

Ou seja, os investidores do fundo terceirizam as decisões e operações do mercado ao investir em um produto deste tipo.

Além disso, a distribuição de lucro é proporcional ao valor que foi investido por cada pessoa que alocou seu capital no fundo de investimento.

Entendido a ideia base dos fundos de investimentos, é possível destacar os diferenciais do FIE.

Características do FIE

Como introduzido anteriormente, o FIE é um fundo de investimento voltado para recepção, seja direta ou indireta, de valores voltados para a área de seguradoras e previdência.

Dessa forma, este tipo de fundo de investimento acaba ficando sob a supervisão da Superintendência de Seguros Privados (Susep).

Assim, o público alvo deste tipo de fundo são entidades que estão sob supervisão da própria Susep.

Ainda vale destacar que o FIE tem como objetivo garantir indenizações e benefícios aos seus clientes ao longo do tempo.

Busca ter uma especialização do mercado financeiro? Acesse o Certifiquei e descubra como conquistar a CEA, um dos certificados de maior relevância do setor.

Tipos de FIE

FIE: conheça o Fundo de Investimento Especialmente Constituído

Tão relevante quanto entender o funcionamento deste tipo de fundo de investimento, é compreender os tipos de FIE que existem.

Uma carteira de Fundos de Investimento Especialmente Constituído é determinada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), sendo dividida entre títulos públicos e ativos previdenciários.

Através destes dois tipos de ativos, é possível formar três tipos de carteiras de FIE, são elas:

  • Moderada;
  • Composta;
  • Referenciada.

Em uma carteira moderada, todo o capital do fundo está alocado em títulos de renda fixa.

Assim, este é o tipo de FIE mais seguro entre as opções do mercado, de modo que a volatilidade deste fundo seja baixa ao longo do tempo.

Enquanto, uma carteira composta pode ser formada por até 49% de renda variável.

Por fim, em uma carteira referenciada o patrimônio do fundo estará alocado a algum indexador econômico.

Geralmente o FIE deste tipo está indexado aos indicadores de inflação, como IPCA e IGP-M, por exemplo.

Guilherme Almeida
Guilherme Almeida
Bacharel em Economia e Especialista em Finanças Corporativas e Mercado de Capitais pelo Ibmec-MG. Mestrando em Estatística pela UFMG, atua como professor, palestrante e porta voz das áreas de economia e finanças, tendo concedido mais de mil entrevistas para os principais meios de comunicação. Atualmente, leciona matérias ligadas à Economia e ao Mercado Financeiro em cursos preparatórios para certificações financeiras, além de ser o Economista-Chefe do departamento de Estudos Econômicos da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Minas Gerais (Fecomércio MG).

relacionadas