Home broker: saiba mais sobre está importante ferramenta

Home broker: saiba mais sobre está importante ferramenta
Share on twitter
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email

Entre os motivos que afastam novos investidores para o mercado financeiro, existe a ideia de uma complexidade que envolve o meio, fazendo com que pareça uma área exclusiva para um público específico. Todavia, existem diversas ferramentas na bolsa de valores que facilitam as atividades no mercado, como é o caso do home broker.

Isso porque o home broker possibilita a conexão entre investidores e o mercado de capitais, inclusive por servir como uma ferramenta facilitadora para as partes, fazendo com que até pessoas menos experientes consigam investir na bolsa de valores.


Tenha uma carreira de sucesso no mercado de capitais! Acesse o Certifiquei e descubra os principais cursos preparatórios voltados para quem busca os certificados da área. Confira!

O que é home broker

Home broker: saiba mais sobre está importante ferramenta

O home broker é uma plataforma digital cujo objetivo é possibilitar que ativos financeiros sejam negociados de forma online, isso é, através desta ferramenta é possível realizar a compra e venda de ações por meio da internet, facilitando está atividade.

Além disso, vale destacar que através desta plataforma é possível realizar os mais diferentes tipos de operação, envolvendo várias categorias de investimentos.

Assim, é natural que o domínio desta home broker seja importante para aquelas pessoas que desejam atuar no mercado, tanto no papel de investidor, quanto de profissional da área.

Afinal, está ferramenta facilita e dinamiza as operações de mercado, duas características importantes para quem busca ter sucesso no setor.

Portanto, compreender a história desta plataforma é um passo inicial importante para compreender sua relevância.

 História do home broker

Com o avanço da tecnologia ao longo do tempo, diversos segmentos passaram por transformações. E o mercado financeiro não ficou alheio a este processo.

Prova disto é como a inovação tem impacto nas bolsas de valores ao redor do mundo, incluindo a bolsa do Brasil.

No início da década de 70, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), se tornou o primeiro mercado de capital do país a implementar o pregão automatizado em suas atividades.

Tal atividade era ligada a rede de computadores e possibilitava aos investidores acompanhar as informações em tempo real.

Posteriormente, seriam empregados outros avanços nas atividades relacionadas à bolsa de valores nacional.

Como foi o caso do Sistema Privado de Operações por Telefone (SPOT), na década de 80, e o Sistema de Negociação Eletrônica (CATS), no início dos anos 90.

Todavia, a grande “revolução” possibilitada pela tecnologia no mercado aconteceu no final da década de 90, em 1997, quando foi criado a Mega Bolsa.

Programa que investiu no desenvolvimento da área de serviços digitais relacionados á bolsa, possibilitando a criação da ferramenta home broker e do after-market na década seguinte.

Por fim, em 2006, a Bovespa passou a operar apenas na forma de pregão eletrônico, aumentando a eficiência das atividades executadas pelo mercado de capitais e cristalizando o impacto da tecnologia no setor.

Ainda assim, as mesas de negociação de operação seguem existindo, sendo de utilidade para aqueles investidores que não desejam operar sozinhos.

Compreendido como foi a linha do tempo até sua criação, é possível entender como se dá a utilização do home broker.

Utilização do home broker

Como apontado até aqui, o home broker foi criado para facilitar as operações existentes na bolsa de valores.

Para isso, esta plataforma funciona através da emissão de ordens realizada pelo investidor, sendo essas destinadas a instituições financeiras que atuam na área, como é o caso de corretoras e bancos.

Assim, o investidor, através de um intermediário, consegue realizar suas operações de mercado em um curto espaço de tempo e com praticidade.

Além disso, o encurtamento do processo de compra e venda de ativos, aliado a instantaneidade deste processo, também trouxe a vantagem de baratear está atividade, pois demanda menos recursos por parte da instituição financeira, o que ocasionou em uma redução na taxa de corretagem.

Ou seja, fez a bolsa de valores se tornar um campo acessível para um público maior de pessoas.

Ainda vale ressaltar que cada instituição financeira que atua na área possui seu próprio home broker, tendo especificidades que vão de acordo com o objetivo da empresa.

Portanto, cabe ao investidor ficar atento a qual plataforma se encaixa melhor no seu perfil de investimentos.

Após definir em qual empresa realizará seus investimentos, é necessário ficar atento também ao passo a passo de como se investir.

Como investir na ferramenta home broker

Para investir via home broker, é necessário entender o seguinte processo:

  1. Abrir conta em uma instituição financeira;
  2. Aplicar capital na conta;
  3. Acesso ao site ou aplicativo referente a conta;
  4. Selecionar os ativos para se investir;
  5. Aplicar o valor desejado neste produto.

Para ficar mais claro como ocorre este processo, faz-se necessário se aprofundar melhor em cada um destes cinco passos.

Abrir conta em uma instituição financeira

O primeiro passo para começa a investir pelo sistema home broker é decidir em qual instituição financeira será utilizada como meio para isto.

Ou seja, o investidor ou profissional da área devem pesquisar os negócios que atuam na área e estudar qual opção se encaixa melhor com seu objetivo.

Para isto, pode-se considerar alguns pontos, como, por exemplo:

  • Taxas cobradas pela instituição financeira;
  • Credibilidade que o negócio possui no meio;
  • Tipos de produtos que a instituição financeira trabalha;
  • Plataforma utilizada.

Vale ressaltar que estes são apenas alguns dos pontos que vale a atenção antes de se definir uma instituição financeira para abrir uma conta.

Aplicar capital na conta

Após abrir sua conta, é natural que o passo seguinte seja depositar o dinheiro que será voltado para realizar as aplicações financeiras.

Nesse sentido, vale ressaltar que não existe um montante de capital como regra, isso é, o investidor deve entender sua realidade financeira e objetivos antes de se investir.

Profissionais da área costumam indicar que reservas de emergência que representem o período de três a seis meses são necessárias para quem busca ter uma saúde financeira em dia.

Assim, é necessário que o investidor tenha cuidado na quantidade de capital que vai alocar para investimentos.

Acesso ao site ou aplicativo referente a conta

Como visto no primeiro passo, um dos pontos a se considerar antes de abrir uma conta é o home broker da instituição financeira.

Ou seja, a plataforma que a empresa disponibiliza para que seus clientes e profissionais.

Nos últimos as empresas que atuam na área tem investido em ferramentas que consigam aliar clareza e eficiência, isso é, tanto sites quanto aplicativos são intuitivos.

Assim, acabam atraindo investidores iniciantes, pois, até mesmo com pouca experiência, conseguem operar suas atividades com clareza.

Dessa forma, o melhor home broker vai de acordo com o “gosto” do investidor.

Portanto, após colocar seu capital na plataforma, o investidor e profissional devem acessar o site ou aplicativo da instituição financeira.

Selecionar ativos para se investir

Após acessar o aplicativo, basta selecionar os ativos no qual deseja realizar o investimento.

Todavia, é necessário que o investidor, em especial, tenha um conhecimento prévio dos produtos existentes no mercado e qual se encaixa melhor no seu perfil.

Para isso, considerar alguns pontos pode fazer toda diferença em sua tomada de decisão. Nesse sentido é possível destacar, por exemplo:

  • Tipo de rentabilidade;
  • Riscos que envolvem o ativo;
  • Prazo do investimento;
  • Proventos.

Ou seja, parte da construção do perfil de um investidor passa pelos seus objetivos ligados à rentabilidade, riscos, período que ele busca o retorno e os proventos que ele ganha ao longo do tempo.

Assim, ao entender seu comportamento perante essas informações, este investidor deve acessar a plataforma e escolher qual ou quais produtos se encaixam melhor em seus objetivos.

Aplicar o valor desejado neste produto

Por fim, o investidor deve aplicar o valor desejado naquele produto, isso é, realizar o investimento.

Após feito isso, basta esperar o comprovante de conclusão da compra daquele ativo financeiro.

Além disso, é gerado um recibo relacionado ao valor investido.


Se prepare para conquistar as especializações do mercado financeiro! Acesse o Certifiquei e descubra os principais cursos preparatórios voltados para quem busca os certificados da área. Confira!

Vantagens do home broker

Home broker: saiba mais sobre está importante ferramenta

Ao longo do texto foi apresentado que aqueles investidores que sabem como utilizar o home broker tendem a ter uma série de vantagens.

Ou seja, está ferramenta tende a ser de grande valia para aqueles que atuam no mercado. Entre os motivos para isto, é possível citar algumas vantagens que está ferramenta possui:

  • Praticidade para se investir;
  • Estruturar operações;
  • Redução de custos.

Praticidade para se investir

Uma ferramenta como home broker possibilita com que o investidor tem autonomia para investir, isso é, ele não depende para de intermediários para realizar uma operação no mercado.

Ou seja, através desta plataforma o investidor depende apenas de si para realizar um investimento.

Além disso, é possível realizar as operações que deseja onde estiver, desde que o local tenha acesso à internet.

Afinal, os aplicativos e sites onde são realizadas as operações não dependem de um acesse especial, podendo ser acessado pela internet que os usuários utilizam em sua rotina.

Tal fator ainda aumenta a praticidade que o investidor tem no momento de acompanhar suas operações e o rendimento delas.

Estruturar operações

A capacidade de estruturar suas operações de acordo com seu perfil de investimentos é outra vantagem do home broker, influenciando especialmente nas atividades daqueles que buscam seus ganhos através da especulação.

Afinal, é possível colocar ordens de sopt loss em suas operações, isso é, restringir o limite de perdas.

Fator que faz com que este investidor tenha um limite de prejuízo pré-estabelecido pela ferramenta home broker.

Redução de custos

Por fim, mas não menos importante, o home broker possibilitou com que houvesse uma redução de custos para se investir no mercado.

Principalmente porque as taxas para se utilizar está plataforma são mais baratas do que as cobradas na mesa de operações.

Além disso, está ferramente ainda possibilitou uma redução dos valores cobrados pelas instituições financeiras em relação aos serviços de operação de mercado.

Dessa forma, é possível compreender porquê o home broker impactou o mercado. Afinal, além de reduzir os custos para se realizar as operações de mercado, se tornou mais simples realizar tarefas importantes dentro da bolsa de valores, como, por exemplo, a construção de uma carteira de investimentos.

Guilherme Almeida
Guilherme Almeida
Bacharel em Economia e Especialista em Finanças Corporativas e Mercado de Capitais pelo Ibmec-MG. Mestrando em Estatística pela UFMG, atua como professor, palestrante e porta voz das áreas de economia e finanças, tendo concedido mais de mil entrevistas para os principais meios de comunicação. Atualmente, leciona matérias ligadas à Economia e ao Mercado Financeiro em cursos preparatórios para certificações financeiras, além de ser o Economista-Chefe do departamento de Estudos Econômicos da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Minas Gerais (Fecomércio MG).

relacionadas