Independência Financeira: o que é e como conquistar essa liberdade?

independência financeira
Share on twitter
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email

Alcançar a independência financeira e viver de renda passiva é um objetivo de muitos atualmente. Mas para chegar a esse patamar é preciso trilhar um longo caminho.

Afinal, para chegar a independência financeira é necessário aprender a usar o dinheiro de modo consciente e equilibrado, praticando o que chamamos de educação financeira.

O que é independência financeira?

Independência financeira é o nome dado a capacidade de viver por tempo indeterminado com seus rendimentos financeiros, sem precisar de um emprego para se manter.

Muitas pessoas associam o sucesso com não ter que se preocupar com o dinheiro, um fator presente na liberdade financeira.

E para conquistar essa estabilidade financeira, mantendo as contas no azul todos os meses, um caminho muito utilizado é o dos investimentos.

Aqui, vale pontuar que não existe somente um caminho que pode ser seguido, o que torna possível conquistar essa autonomia por meio de investimentos com renda fixa, com renda variável, ações na Bolsa ou ainda por meio de qualquer rendimento passivo.

Ou seja, o caminho para essa independência não importa, desde que ela seja conquistada.

Porém, mesmo sendo algo muito desejado, são poucas as pessoas que sabem como conseguir viver, financeiramente falando, sem precisar de um emprego.

Porém, para alcançar a real independência econômica, essa geração de dinheiro deve ser abundante o suficiente para manter, por tempo indefinido, um padrão de vida.

De onde esse faturamento pode vir?

Quando falamos na origem do faturamento mensal que uma pessoa pode ter para alcançar a estabilidade, é necessário ter em mente que existem quatro opções:

  • trabalhar em uma empresa com altíssima remuneração;
  • coletar o aluguel de uma grande quantidade de imóveis;
  • ganhar mesada em valores altos durante toda a vida;
  • por meio de renda conseguida através de algum produto/serviço vendido de forma vitalícia; ou
  • por meio de investimentos.

E apesar de não existir somente um caminho, como podemos observar, o mais indicado, e até mais procurado, é por meio das aplicações.

O problema, no entanto, é que muitas pessoas não sabem investir e se comportar no mercado financeiro como deveriam, não conseguindo um bom retorno nos investimentos.

Estabilidade econômica é sempre relacionada a não precisar trabalhar mais?

Apesar de normalmente estar associada a possibilidade de não precisar trabalhar por uma boa quantia de tempo, ou até mesmo nunca mais precisar trabalhar, essa não é a única forma de conquistar a independência econômica.

Afinal, a autonomia está mais relacionada com conseguir manter um padrão e qualidade de vida sem quaisquer sacrifícios em termos financeiros.

Em outras palavras, entendemos que a independência econômica não diz respeito somente a ter um faturamento mensal de milhões ou milhares de reais.

Até porque, é necessário ter em mente que, quanto mais dinheiro uma pessoa possui, é comum que o estilo de vida que ela possui mude. Dessa maneira, ela pode acabar tendo seus gastos mensais maiores do que eram anteriormente.

E é justamente por isso que o essencial para ser independente financeiramente é ser capaz de continuar com o padrão de vida e conseguir arcar com as despesas mensais.

Entretanto, tudo isso deve ser feito sem entrar no vermelho, cair em dívidas ou precisar de um empréstimo para pagar todas as contas ao fim do mês.

Existe algum custo para conquistar esse tipo de liberdade?

Levando em consideração que o caminho mais procurado é a independência financeira com ações e outros tipos de investimentos, um ponto que abordaremos agora é sobre quanto custa essa liberdade.

E a primeiro momento, não é totalmente possível indicar um valor certo de quanto deve ser investido a fim de alcançar a segurança financeira desejada.

Afinal, isso depende de alguns fatores que podem variar entre os meses e os anos, que é a renda mensal que a pessoa possui hoje e taxas como juros, inflação e rentabilidade dos investimentos.

Porém, alguns especialistas do mercado financeiro fazem uma estimativa que se torna possível alcançar uma estabilidade econômica quando se possui cerca de 200 vezes o valor de gastos mensais que se tem hoje.

Para fazer um cálculo rápido e exemplificar, uma pessoa que possui um gasto mensal na casa de R$2.000 hoje, somente possuirá independência econômica quando possuir R$400.000 em ativos, de acordo com a métrica apresentada.

É possível ser independente financeiramente em pouco tempo?

Por outro lado, existem profissionais deste ramo que indicam que é possível alcançar a independência financeira em poucos anos.

Para isso, porém, é recomendado que essa pessoa preencha alguns requisitos, como:

  1. ser organizado;
  2. controlar o dinheiro de forma a saber para onde ele vai;
  3. saber economizar de forma consciente e efetiva; e
  4. ter um planejamento, criando metas de curto e longo prazo.

Vale lembrar também, que um fator que auxilia muito para que seja possível conquistar esse status dentro desse período é encontrar os melhores investimentos, com a maior rentabilidade possível.

Boas práticas para conquistar a independência financeira

Apesar de parecer algo muito complicado e até impossível de se chegar, seguir alguns passos é essencial para alcançar essa meta. Sendo assim, confira o nosso passo a passo de como conquistar a independência financeira:

  1. faça um bom planejamento financeiro;
  2. antes de prosseguir, quite todas as dívidas e pague empréstimos, estando pronto a gerar maior rendimento mensal;
  3. defina quais são as suas metas pessoais e financeiras pensando a longo prazo;
  4. desenvolva ao máximo a sua carreira profissional, a fim de alcançar um maior padrão de vida;
  5. possua uma reserva de emergência para cobrir eventuais problemas;
  6. defina um valor que você investirá mensalmente e que não fará falta;
  7. procure o melhor investimento financeiro de acordo com o quanto de caixa você tem para aplicar;
  8. evite deixar o dinheiro preso na poupança, uma vez que este é um tipo de investimento que rende menos. Boas opções, aqui, são Tesouro Direto, LCI e LCA, ou outras aplicações de renda fixa;
  9. não invista todo o seu dinheiro em somente um tipo de título, ou seja, diversifique a sua carteira de investimentos, a fim de maximizar lucros com menos riscos;
  10. estude constantemente sobre o mercado de investimentos, sempre procurando por aplicações melhores; e
  11. mude hábitos, evitando gastar de forma excessiva e desnecessária.

Além disso, uma forte recomendação é que a pessoa organize uma planilha com todos os valores que entram e saem de sua conta mensalmente. Este é um ponto muito relacionado com organização, mas que torna possível um maior controle sobre os gastos.

Quais os estágios da independência econômica?

Existem cerca de quatro estágios da liberdade econômica, que são:

  1. liberdade em curto prazo: quando você consegue sobreviver por um período entre dois e doze meses sem salário;
  2. independência de contas: uma das fases mais difíceis em nosso país, tendo em vista que muitos brasileiros possuem dívidas;
  3. liberdade de emprego: uma evolução do primeiro, onde você possui uma segunda fonte de renda caso a primeira falte; e
  4. independência total.

Nesta última etapa, temos a tão desejada independência financeira, que somente é possível por meio de uma boa gestão das finanças pessoais.

Guilherme Almeida
Guilherme Almeida
Bacharel em Economia e Especialista em Finanças Corporativas e Mercado de Capitais pelo Ibmec-MG. Mestrando em Estatística pela UFMG, atua como professor, palestrante e porta voz das áreas de economia e finanças, tendo concedido mais de mil entrevistas para os principais meios de comunicação. Atualmente, leciona matérias ligadas à Economia e ao Mercado Financeiro em cursos preparatórios para certificações financeiras, além de ser o Economista-Chefe do departamento de Estudos Econômicos da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Minas Gerais (Fecomércio MG).

relacionadas