Finanças pessoais precisam de planejamento e boa gestão

Finanças pessoais
Share on twitter
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email

Assunto que interessa diversas pessoas, as finanças pessoais são estudadas por alguns e, além disso, são motivo de grande preocupação por famílias do mundo inteiro. É importante sempre mantê-las saudáveis e organizadas.

Desse modo, as finanças pessoais precisam estar em equilíbrio para que não se passe por imprevistos. Sabendo da importância disso, acompanhe o artigo para entender melhor sobre o assunto e sobre como mantê-las em dia!

O que são finanças pessoais?

Finanças pessoais são basicamente o controle financeiro pessoal de cada indivíduo ou do núcleo familiar. O objetivo principal é, portanto, entender como o indivíduo utiliza e organiza seu dinheiro.

Na gestão financeira pessoal, diversos exemplos podem ser utilizados. Então, isso vai desde quando seu amigo pede um dinheiro até uma renda destinada para investimentos, entre outros motivos.

Como as finanças pessoais estão ligadas ao orçamento doméstico, é indispensável ressaltar que pequenas decisões podem, assim, causar grandes impactos. Isso pode determinar sua situação financeira.

Por que é importante gerir as finanças pessoais?

A gestão de finanças pessoal também envolve um controle maior de gastos. Portanto, isso diverge conforme a realidade de cada indivíduo.

Muitas vezes, é a partir de uma gestão de finanças pessoais que é possível montar uma ótima reserva de emergência. Por isso, entender e controlar as finanças pessoais é tão importante quanto saber o caminho de casa.

É preciso ter em mente que o dinheiro é um importante integrante de nossas vidas. Sem ele é praticamente impossível ter acesso a uma série de recursos, mesmo os mais básicos.

Por conta disso, quem não entende e nem controla as suas finanças pessoais tem grande possibilidade de se tornar refém das dívidas.

Por exemplo, existem pessoas que, para manter uma imagem, acabam se endividando. Geralmente, isso é um erro muito comum na gestão de finanças pessoais.

Assim, o indivíduo inicia uma bola de neve para manter algo que não condiz com sua realidade. Quando se dá por conta, tudo está grande demais e, então, muito difícil de ser revertido.

Maiores benefícios de cuidar das finanças pessoais

A partir do momento em que se assume o papel de gerenciador financeiro pessoal, é possível, assim, usufruir de ótimos benefícios. Controlar as despesas pessoais nos faz respirar aliviados.

Existem diversos benefícios que podem ser claramente observados quando as finanças pessoais estão em dia. Para exemplificar, é possível citar:

  • conforto e segurança financeira;
  • possibilidade de usufruir de uma vida mais equilibrada;
  • conquistar sonhos e objetivos com maior rapidez e tranquilidade;
  • corte de gastos desnecessários e supérfluos;
  • mais facilidade para investir com frequência e consistência.

É indispensável também citar que quem faz o planejamento financeiro pessoal consegue identificar desperdícios mais facilmente. Assim, os gastos são controlados e garante-se uma folga financeira.

Melhores práticas para organizar as finanças pessoais

Organizar finanças pessoais não é tão difícil quanto se imagina. É preciso foco e disciplina, mas não é nada impossível de conseguir. Metas e objetivos a serem concretizados são, portanto, fatores que ajudam.

Acontece que a gestão de finanças pessoais exige mudar mais o comportamento e a mentalidade do que qualquer outra coisa. Afinal, os gastos desnecessários estão ligados a esses dois fatores.

Porém, outros hábitos também podem ser muito úteis de se implementar. Um deles, por exemplo, é ter autoconhecimento financeiro e estabelecer um orçamento. Para entender melhor, acompanhe as ideias a seguir.

Gaste menos do que aquilo que ganha

Muitas pessoas não têm o hábito de sentar e analisar quanto ganham e quanto gastam. Isso passa longe de ser benéfico para garantir a saúde das finanças pessoais.

Por isso, é necessário praticar a arte do básico, essa é uma das melhores formas de gastar menos do que ganha. Para começar, indica-se três passos:

  1. analise o extrato bancário com frequência;
  2. anote tudo o que entra e tudo o que sai;
  3. corte gastos desnecessários.

Sabemos que existem algumas despesas que são praticamente impossíveis de excluir, como a parcela do carro ou da casa, aluguel, entre outros. Porém, tudo aquilo que for supérfluo precisa ser cortado.

Adquira educação financeira

Diferente do que muitas pessoas pensam, organizar as finanças exige estudo. A educação financeira pessoal pode ser, portanto, adquirida através de livros ou até mesmo vídeo aulas.

O importante é sempre aprender algo novo e colocar em prática, se cabível com a situação. Assim como outras coisas que deseja aprender, é importante sempre revisar o conteúdo.

Crie hábitos

Antes de começar a guardar dinheiro é preciso desenvolver hábitos financeiros saudáveis. Caso contrário, não será possível manter a consistência na hora de guardar dinheiro e investir.

Uma pessoa que nunca melhorou ou procurou estudar suas finanças pessoais pode demonstrar um comportamento infantil com o dinheiro.

Mais importante do que buscar somente ter rentabilidade, é também importante desenvolver o hábito de poupar um pouco por mês. Dessa forma, será mais fácil se manter firme nos objetivos.

Esses hábitos precisam estar alinhados com a realidade financeira de cada um. Ademais, isso é algo muito pessoal e que depende da renda e rotina de cada pessoa ou família como um todo.

Reserva de emergência

Montar a reserva de emergência é indispensável para quem quer organizar as finanças pessoais de maneira mais tranquila. Pode levar tempo, mas é algo necessário para qualquer pessoa.

Para saber como calculá-la, basta ver quanto é necessário do seu salário para sustentar seu padrão de vida atual por 6 meses. Por exemplo, um custo de vida de R$ 2 mil ao mês exige, portanto, uma reserva de R$ 12 mil.

Seriedade nas finanças pessoais

Saber cuidar das finanças pessoais é indispensável para garantir o sucesso e independência financeira. Nesse sentido, o ato de cuidar das finanças representa maturidade financeira e pode ser uma garantia de segurança.

É essencial tratar esse assunto com seriedade e, se necessário, até mesmo contar com o apoio de uma consultoria de investimentos. Dessa maneira, as finanças pessoais ficam em dia e garantem tranquilidade financeira.

Guilherme Almeida
Guilherme Almeida
Bacharel em Economia e Especialista em Finanças Corporativas e Mercado de Capitais pelo Ibmec-MG. Mestrando em Estatística pela UFMG, atua como professor, palestrante e porta voz das áreas de economia e finanças, tendo concedido mais de mil entrevistas para os principais meios de comunicação. Atualmente, leciona matérias ligadas à Economia e ao Mercado Financeiro em cursos preparatórios para certificações financeiras, além de ser o Economista-Chefe do departamento de Estudos Econômicos da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Minas Gerais (Fecomércio MG).

relacionadas