Mercado Aberto: saiba o que é e como funciona o Open Market

Mercado Aberto: o que é e como funciona esse tipo de mercado?
Share on twitter
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email

As operações de mercado aberto influenciam diretamente no estoque de moeda da economia de um país.

Ou seja, quando o Banco Central compra ou vende títulos públicos com o intuito de regular o fluxo da moeda, chamamos esta operação de mercado aberto.

O que é mercado aberto?

Em suma, mercado aberto é o nome dado ao ambiente onde ocorre a negociação de títulos públicos de bancos comerciais e outras instituições financeiras do Brasil. O acordo é feito pelo Banco Central, que compra e vende os títulos.

E esse tipo de operação é feita a fim de controlar a circulação da moeda brasileira, o real, de forma direta.

Por outro lado, o uso do mercado aberto na economia do Brasil serve como medida de auxílio para controlar a taxa de juros e de crédito em curto e médio prazo.

Vale ressaltar, no entanto, que é uma política monetária, o que faz com que tanto a responsabilidade como o controle sejam designados ao Banco Central.

Normalmente, os títulos negociados nesse espaço são de dívidas, mas a intenção é sempre a mesma.

Um ponto importante de se ter conhecimento é sobre o que é a política monetária. E podemos entender que ela é, basicamente, o controle de oferta da moeda na economia.

E é por essa razão que essa política possui uma influência grande e direta sobre pontos como o juros e crédito do mercado.

De toda maneira, vale pontuar que as operações feitas no open market, termo em inglês que utilizado para esse ambiente, somente podem ser feitos entre o Banco Central e instituições financeiras comerciais, ou mercado primário.

Nesse mercado primário, os que foram emitidos pelo Bacen somente podem ser vendidos para bancos comerciais.

Feito isso, os bancos comerciais se tornam capazes de negociar os títulos públicos no chamado mercado secundário.

Como funciona o open market?

A primeiro momento, devemos ter em mente que esse tipo de mercado de títulos possui muita flexibilidade e não tem limitações que são impostas para instituições.

Assim, torna-se possível realizar negócio com todos os bancos comerciais no Brasil, o que torna mais fácil comprar e vender os títulos públicos.

De toda maneira, devemos ter em mente que quem negocia os títulos públicos desse mercado monetário são os bancos, conhecidos como dealer, um termo em inglês para negociante.

Eles levam os títulos públicos do mercado primário ao secundário no open market, local onde as operações são feitas junto a outras pessoas do mercado, como os investidores.

Agora, ao falar sobre a forma como esse espaço funciona, devemos ter em mente que ele é o espaço de negociação, utilizado para realizar a gestão do dinheiro de um país.

Em outras palavras, todos os procedimentos feitos são uma maneira de colocar e de retirar moedas em circulação, gerando efeitos na economia.

O principal agente financeiro é o Governo, o responsável pela gestão de câmbio no país e encarregado por reservas de moedas estrangeiras.

Além disso, o Banco Central é o intermediador de todos os procedimentos, sendo a porta de entrada para todo o sistema que conta com:

  1. dinheiro, que são os títulos públicos;
  2. bancos comerciais, os dealers na relação; e
  3. investidores e outros participantes do mercado, presentes no chamado mercado secundário.

Para ficar mais fácil, podemos aplicar um exemplo, que é o caso do Tesouro Direto.

Por meio desse tipo de investimento, pessoas físicas e jurídicas emprestam dinheiro para o Tesouro Nacional, financiando o Brasil por meio do open market.

Vale pontuar, porém, que essa é uma ação considerada como de dimensões reduzidas.

Quais as operações de mercado aberto?

Como dissemos anteriormente, as operações de mercado aberto tem como finalidade causar efeitos na economia por meio da inserção e retirada de moedas em circulação.

Esse é, então, um dos procedimentos feitos para o open market. Porém, ele não é o único.

Somado ao controle de circulação das moedas, temos também a negociação dos títulos públicos, uma forma de captar dinheiro para financiar dívida pública e pagar serviços públicos.

Esses são os chamados títulos de dívida, que são emitidos pelo Banco Central e vendidos para bancos comerciais.

E junto a possibilidade de captar dinheiro, essa é uma forma de custear investimentos em segmentos como segurança e infraestrutura no país.

Vale pontuar, no entanto, que tanto bancos comerciais como outras instituições financeiras podem vender e até mesmo comprar os ativos.

Para isso, o Banco Central realiza um leilão para realizar a emissão e compra dos títulos, que só pode ser feito por uma instituição denominada dealer ou com autorização para participar.

Em contraponto, é importante lembrar que existem dois diferentes níveis que diferenciam a forma como são feitas as operações, o mercado primário e o secundário.

No primeiro são feitas as negociações entre o Bacen e os dealers.

No segundo, consequentemente, o mercado de investimento pode realizar operações com os títulos públicos, sejam instituições financeiras ou investidores.

Assim, é por meio dessas operações que o Banco Central se torna capaz de controlar a economia do país, fazendo com que esses procedimentos sejam algo de grande importância para a saúde econômica do país.

Para que servem cada um destes procedimentos?

De forma geral, podemos três funções das operações de open market, que são:

  • controlar a oferta de moedas na economia do país;
  • negociar os títulos de dívida pública; e
  • controlar a taxa de juros (Selic) e de crédito a curto e médio prazo.

Em outras palavras, podemos ter em mente que todas as operações feitas têm o intuito de minimizar as taxas de juros no país.

Assim, o desenvolvimento do país e a abertura de crédito é incentivado.

Essas ações são importantes caso o país esteja em meio a uma crise financeira, situação que normalmente é combatida pela diminuição de taxas de juros.

Dessa maneira, é gerada uma possibilidade maior de investimentos.

Por outro lado, se o país estiver crescendo de forma gradativa, o Banco Central fará um incentivo ao aumento da taxa Selic, tendo maior incentivo de poupança em bancos.

Sendo assim, é por meio dos procedimentos de open market que o Bacen realiza o equilíbrio econômico, seja por meio do aumento da taxa de juros ou a redução dela, impedindo eventuais danos para a economia brasileira.

O que diferencia o mercado aberto do fechado?

O que diferencia o mercado aberto do fechado

Além dos mercados abertos, podem existir também os chamados mercados fechados, que possuem diferenças e particularidades.

A primeiro momento, devemos ter em mente que um fator crucial que diferencia o mercado aberto e mercado fechado é a possibilidade dos concorrentes.

Afinal, o fechado é considerado injusto quando comparado ao primeiro.

Isso ocorre uma vez que os preços são mais altos, e várias empresas competem uns com os outros para possuir clientes.

Somado a isso, existe outro ponto que torna o mercado fechado menos atrativo que é o fato dos preços não poderem ser negociados uma vez que os clientes dependem diretamente dos fornecedores.

E as diferenças se encontram nos benefícios oferecidos pelos mercados abertos, que são:

  1. inovação;
  2. qualidade;
  3. diferentes opções de escolha; e
  4. preços mais baixos e com possibilidade de negociar.

O último ponto é um dos mais importantes quando analisamos que a competição é uma prática normal e saudável por gerar o poder de escolha.

Assim, por meio da concorrência é criada a excelência no mercado, ou seja, as empresas desejam ser melhores que outras instituições, gerando um produto ou serviço que agrade ao cliente, seja em preço ou qualidade.

Por outro lado, o mercado fechado impõe restrições sobre os produtos, concedendo vantagem a empresas específicas.

O que torna o open market importante?

Para entendermos a importância do mercado financeiro aberto, devemos ter em mente que, por meio dele, é possível financiar pessoas e negócios.

Além disso, por meio das operações feitas o Banco Central consegue equilibrar a economia do Brasil e criar uma política monetária.

Por outro lado, a venda de títulos públicos é uma forma de recolher recursos para incrementar as atividades que são fundamentais para o Governo.

Assim, a forma mais fácil de compreender o que torna crucial ter o open market, é recomendado entender o quão imprescindível é a política financeira.

Essa, por sua vez, corresponde a uma série de ações que são adotadas pelo Governo Federal a fim de controlar a quantidade de moedas em circulação, a inflação e a taxa de juros.

É importante ter em mente que, para que um país possa crescer economicamente, ele depende de alguns fatores cruciais para esse processo, como por exemplo:

  • taxa de investimento que o país possui;
  • quantidade de capital humano disponível;
  • eficiência na produção; e
  • destinação de fontes de produção.

Vale pontuar que a política monetária não é a única ferramenta de avanço econômico, mas que pode servir para gerar impactos desejáveis no curto prazo.

Assim, elas são somente mais uma das ferramentas utilizadas pelo BC, que também pode fazer uso de depósitos e da taxa de redesconto para possibilitar a política monetária nos chamados open market.

E é exatamente por isso que o Banco Central realiza as negociações no mercado aberto, a fim de manter o equilíbrio financeiro no país.

Guilherme Almeida
Guilherme Almeida
Bacharel em Economia e Especialista em Finanças Corporativas e Mercado de Capitais pelo Ibmec-MG. Mestrando em Estatística pela UFMG, atua como professor, palestrante e porta voz das áreas de economia e finanças, tendo concedido mais de mil entrevistas para os principais meios de comunicação. Atualmente, leciona matérias ligadas à Economia e ao Mercado Financeiro em cursos preparatórios para certificações financeiras, além de ser o Economista-Chefe do departamento de Estudos Econômicos da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Minas Gerais (Fecomércio MG).

relacionadas