Nota de corretagem: saiba mais sobre este documento financeiro

Nota de corretagem: saiba mais sobre este documento financeiro
Share on twitter
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email

Compreender como funciona a parte legal acerca de um investimento é um passo importante para quem busca começar a investir. E, entre os assuntos relacionados com esta temática, vale a atenção em relação ao funcionamento da nota de corretagem.

Isso porque a nota de corretagem faz parte da rotina de qualquer investidor da bolsa de valores, pois faz parte das negociações que envolvem desde ações de empresas de capital aberto, até títulos de renda fixa.

Busca ter uma carreira de sucesso no mercado financeiro? Acesse agora o Certifiquei e descubra os principais cursos preparatórios voltados para quem deseja as certificações da área. Confira!

O que é a nota de corretagem

Nota de corretagem é um documento financeiro emitido pela corretora de valor quando o investidor realiza a compra de algum ativo na bolsa de valores.

Ou seja, a nota de corretagem é uma espécie de nota fiscal de investimentos, sendo que nela estão contidas diversas informações acerca da negociação, sendo possível listar, por exemplo:

  • Dados do cliente;
  • Ações negociadas (compradas e vendidas) no pregão;
  • Valor das negociações;
  • Taxas;
  • Valor referente a corretagem, se esta existir;
  • Soma dos custos.

Dessa forma, é possível perceber que a nota de corretagem é um documento financeiro que traz as principais informações relacionadas a uma negociação.

Portanto, compreender sua utilidade é útil para quem busca ter atividades ligadas à bolsa de valores.

Utilidade

Inicialmente, vale destacar que a nota de corretagem tem um peso importante para o investidor, sendo que através deste documento é possível manter o controle das operações.

Ou seja, através da nota fiscal dos investimentos o investidor terá o controle de três importantes informações acerca de sua atuação no mercado. São elas:

  1. Rendimento do investimento;
  2. Volume de ativos financeiros negociados;
  3. Período em que ocorreu a negociação.

Como é possível perceber, o investidor, através deste documento, consegue gerir de modo mais eficaz seus negócios.

Além disso, a nota de corretagem também é importante para gestão do imposto de renda, pois o documento contará com informações relacionadas ao valor que o investidor deve pagar em impostos.

Portanto, é possível não só monitorar o montante pago em impostos, mas quando foi cobrado em cima do lucro obtido em cima do investimento.

Em suma, a nota fiscal de investimentos tem como uma das principais utilidades servir para reduzir as perdas financeiras.

Afinal, através deste documento é possível ter maior controle sobre os rendimentos e gastos relacionados aos investimentos realizados na bolsa de valores.

Como funciona a nota de corretagem

Nota de corretagem: saiba mais sobre este documento financeiro

Como visto até aqui, a nota de corretagem tem como utilidade documentar operações na bolsa de valores realizadas pelo investidor.

Para isto, a corretora responsável pela compra ou venda do ativo financeiro emite a nota referente à negociação no mesmo dia.

Dessa forma, independente de quais negociações o investidor realize no mercado financeiro, a corretora disponibilizará uma nota com as informações referentes àquele negócio.

Tal controle serve tanto para instituição financeira registrar suas atividades, quanto para o cliente monitorar suas ações dentro do mercado.

Assim, é possível ter acesso às principais informações que fazem parte de uma transação apenas observando um documento financeiro.

Não à toa, a nota de corretagem possui tanto relevância no mercado, sendo um dos principais documentos financeiros disponibilizados pelas corretoras de valores.

Guilherme Almeida
Guilherme Almeida
Bacharel em Economia e Especialista em Finanças Corporativas e Mercado de Capitais pelo Ibmec-MG. Mestrando em Estatística pela UFMG, atua como professor, palestrante e porta voz das áreas de economia e finanças, tendo concedido mais de mil entrevistas para os principais meios de comunicação. Atualmente, leciona matérias ligadas à Economia e ao Mercado Financeiro em cursos preparatórios para certificações financeiras, além de ser o Economista-Chefe do departamento de Estudos Econômicos da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Minas Gerais (Fecomércio MG).

relacionadas