ROE: conheça este indicador utilizado na análise fundamentalista

ROE: conheça este indicador utilizado na análise fundamentalista
Share on twitter
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email

Ao se analisar um investimento é comum se utilizar de indicadores financeiros. Todavia se apegar apenas a um tipo de indicador é pouco eficiente. Entre os indicadores que o investidor deve considerar em sua análise está o ROE.

O ROE é um indicador utilizado por investidores experientes e profissionais do mercado financeiro ao realizar uma análise fundamentalista de um investimento.

O que é o ROE

ROE, sigla para Return on Equity, é o indicador que representa o Retorno Sobre Patrimônio Líquido, ou seja, através desta métrica é possível se entender quão eficiente um negócio é em relação a sua capacidade para gerar lucro.

Para chegar ao ROE é necessário realizar a divisão entre o lucro líquido que uma empresa teve em seus últimos 12 meses, sobre seu patrimônio líquido.

Portanto, para compreender o que significa este indicador e sua importância, é necessário compreender também o que são o lucro líquido e o patrimônio líquido de uma empresa.

Lucro líquido

O lucro de uma empresa significa o valor que restou após subtrair da receita todos os custos que o negócio teve para realizar suas operações.

Todavia, este valor pode ser apresentado de duas formas.

A primeira é o lucro bruto, que ocorre quando apenas as despesas variáveis relacionadas à produção de um produto ou a realização de um serviço são subtraídas da conta.

Enquanto, no lucro líquido, também são subtraídos todos os custos que envolvem o negócio, como, por exemplo, impostos, salários, aluguel, matéria prima, entre outros fatores.

Patrimônio líquido

O patrimônio líquido (PL) de um negócio é a diferença entre os ativos que uma companhia possui com os seus passivos, sendo que este valor é apresentado na moeda que a empresa utiliza, no caso do Brasil, o Real.

Ou seja, o PL é um dado de importância para as empresas, especialmente por ser um indicativo de como está a saúde financeira do negócio.

Além disso, vale ressaltar que este dado é normalmente apresentado na divulgação do balanço patrimonial disponibilizado por um negócio.

Entendido esses dois fatores, é possível compreender de modo mais amplo a utilidade do ROE.

Utilidade do ROE

A grande utilidade do ROE é indicar se a empresa está conseguindo obter resultados financeiros com suas atividades, ou seja, está gerando lucro com suas operações.

Portanto, esta métrica ganha ainda mais relevância para os investidores, afinal este indicador consegue servir para indicar de forma instantânea o retorno que o negócio possibilita aos seus acionistas.

Dessa forma, o investidor consegue ter uma projeção mais clara de qual será seu retorno em forma de lucro.

Todavia, para isto ser efetivo, o investidor deve saber interpretar o indicador ROE, especialmente quando o resultado apresentado é baixo.

Quer trabalhar na bolsa de valores? Acesse o Certifiquei e descubra os principais cursos preparatórios voltados para quem deseja as certificações da área. Confira!

Interpretando o ROE

ROE: conheça este indicador utilizado na análise fundamentalista

É comum que o investidor iniciante ao se deparar com um ROE baixo descarte prontamente aquela opção de investimento. Porém, tal decisão pode ser equivocada.

Um Retorno Sobre o Patrimônio Líquido baixo pode ocorrer devido a uma política de distribuição de renda realizada pela companhia.

Isso é, o negócio pode ter situação financeira controlada, contudo opta por acumular seu lucro ao invés de distribuir entre os acionistas, fator que interfere diretamente na queda deste indicador.

Ainda que seja intuitivo pensar que um ROE alto é bom e prove que a empresa é eficiente, provendo retornos aos seus investidores, este mesmo dado pode significar as seguintes situações:

  • O negócio possui um valor de ativos baixo, ou seja, um patrimônio líquido baixo. Assim a companhia está mais exposta a situações de crise financeira;
  • A empresa possui um passivo elevado, o que também acarreta um patrimônio líquido baixo. Novamente o negócio estará mais exposto a instabilidades financeiras.
  • O valor de um índice ROE pode ser ocasionado por conta de uma receita excepcional, ou seja, aquele indicador representa uma situação não recorrente no negócio, aumentando assim o risco do investimento.

Desse modo nem sempre um Retorno Sobre o Patrimônio Líquido alto indica certeza de retorno acerca do investimento, assim como este valor baixo também não representa prejuízo ao investidor.

Portanto, para avaliar o negócio de modo mais eficiente é necessário aliar o ROE junto de outros indicadores.

Além disso, é válido comparar o resultado deste indicador em diferentes empresas do mesmo setor.

Afinal, ao se comparar negócios em situações semelhantes é possível perceber qual empresa é mais efetiva na geração de lucro.

Pontos para se analisar na interpretação do ROE

Portanto, ao investidor cabe ficar atento aos seguintes pontos:

  1. Não tomar sua decisão baseada apenas em um ROE alto ou baixo;
  2. Comparar este indicador com outras métricas de avaliação de um negócio;
  3. Comparar o ROE de diferentes empresas do mesmo setor na busca por negócios mais eficientes.

Porém, o investidor ainda pode se deparar com uma terceira situação, no qual o Retorno Sobre o Patrimônio Líquido apresentado pelo negócio é negativo.

 Retorno Sobre o Patrimônio Líquido negativo

Em situações em que o ROE é negativo o investidor deverá ter mais cuidados e buscar entender o porquê daquele dado.

Para auxiliar no entendimento disto, imagino o seguinte exemplo.

Um negócio possui um patrimônio líquido de R$400 milhões, contudo nos últimos 12 meses a companhia apresentou um prejuízo de R$20 milhões, assim seu Retorno Sobre o Patrimônio Líquido é negativo em 5%.

Ou seja, a companhia do exemplo apresenta um cenário de prejuízo.

Todavia, isto não necessariamente indica um mau sinal para o investidor, afinal este valor pode ser resultado de uma série de investimentos que o grupo realizou visando receitas futuras ou a compra de um ativo que aumentará sua capacidade produtiva no médio e longo prazo.

Ainda há a possibilidade de o patrimônio líquido da empresa ser negativo, enquanto o lucro foi positivo. Cenário assim indicam que a dívida da empresa é alta, todavia pode ser algo contornável ou não.

Por fim, existe uma terceira possibilidade, no qual os dois indicadores, lucro líquido e patrimônio líquido, seriam negativos, ocasionando em um Retorno Sobre o Patrimônio Líquido positivo.

Talvez este seja o pior tipo de situação, afinal os indicadores mostram que a empresa tem diversos problemas financeiros, mesmo com índice ROE sendo de alta.

Portanto, o investidor deverá entender a justificativa para um ROE negativo.

Contudo, quando isto não acontece, a projeção é de que aquele negócio seja um mau investimento, afinal sua eficiência em controlar as finanças e gerar lucro está comprometida.

Além disso, vale ressaltar novamente a importância de aliar o ROE com outros indicadores, especialmente ao se realizar a análise fundamentalistas sobre um negócio.

Retorno Sobre o Patrimônio Líquido ideal

Novamente, não há uma resposta direta e definitiva acerca de um ROE ideal, especialmente porque são necessários uma séries de fatores para se chegar a um resultado contundente, dos quais é possível citar:

  • Tempo de análise;
  • Momento de maturação da empresa;
  • Histórico de pagamento;
  • Situação econômica do setor e do país.

Portanto, definir uma regra sobre o entendimento de um ROE ideal seria equivocado, afinal é um indicador que depende de uma série de fatores.

Contudo, vale ficar atento às empresas que possuem um ROE superior a 15% ao ano.

Trabalhe no mercado financeiro! Acesse o Certifiquei e descubra os principais cursos preparatórios voltados para quem deseja as certificações da área. Confira!

Como trabalhar no Mercado Financeiro

EBOOK GRATUITO | Como trabalhar no Mercado Financeiro?

Baixe agora nosso ebook gratuito para descobrir o que você precisa para conseguir uma oportunidade no Mercado Financeiro!

Como trabalhar no Mercado Financeiro

EBOOK GRATUITO |
Como trabalhar no Mercado Financeiro?

Importância do ROE para profissionais do mercado financeiro

ROE: conheça este indicador utilizado na análise fundamentalista

Por ser um indicador relevante no momento de se entender a saúde financeira de um negócio e sua capacidade de gerar lucro, é relevante entender esta métrica para atuar profissionalmente, especialmente se for trabalhar utilizando a análise fundamentalista.

E uma das formas eficientes para se entender o ROE, é entendendo o passo a passo para se utilizar esta métrica, assim é possível destacar a seguinte linha:

  1. Descubra o lucro líquido da empresa;
  2. Contabilize o patrimônio líquido do negócio;
  3. Realize a fórmula do Return on Equity;
  4. Interprete o resultado.

Seguindo este passo a passo o profissional conseguirá utilizar este indicador da melhor forma.

Além disso, vale ficar atento a alguns pontos de relevância dentro deste indicador, dos quais pode-se destacar:

  • Este indicador é muito utilizado na construção de análises fundamentalistas;
  • Tal métrica auxilia o investidor a encontrar negócios que possuem equilíbrio entre gestão e geração de lucro;
  • O Retorno Sobre o Patrimônio Líquido ainda possibilita avaliar o risco de um negócio através da sua incapacidade de gerar lucro;
  • Este indicador é útil para comparação entre empresas do mesmo setor, todavia é necessário que os negócios tenham portes semelhantes e a análise englobe uma faixa de tempo igual.

Sendo esses apenas alguns pontos importantes ao entorno desta métrica, todavia que tem impacto direto na atuação do profissional que busca este tipo de análise.

Todavia, vale reforçar que apenas o ROE não faz com que uma análise de investimentos seja completa, portanto, cabe ao profissional entender os contextos para se aliar indicadores diferentes fazendo com que análise seja mais eficiente e, consequentemente, ele tenha maior sucesso em suas atividades de trabalho no mercado financeiro.

Guilherme Almeida
Guilherme Almeida
Bacharel em Economia e Especialista em Finanças Corporativas e Mercado de Capitais pelo Ibmec-MG. Mestrando em Estatística pela UFMG, atua como professor, palestrante e porta voz das áreas de economia e finanças, tendo concedido mais de mil entrevistas para os principais meios de comunicação. Atualmente, leciona matérias ligadas à Economia e ao Mercado Financeiro em cursos preparatórios para certificações financeiras, além de ser o Economista-Chefe do departamento de Estudos Econômicos da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Minas Gerais (Fecomércio MG).

relacionadas