Venda a descoberto: saiba mais sobre este tipo de operação financeira

Venda a descoberto: saiba mais sobre este tipo de operação financeira
Share on twitter
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email

Ao longo de sua jornada na bolsa de valores, o investidor vai se deparar com uma série de estratégias que visam o lucro, sendo que, por vezes, não haverá semelhanças entre elas além do objetivo final. E, dentre estas opções, é possível destacar a venda a descoberto.

Visando ganhos no curto prazo, a venda a descoberto é uma estratégia utilizada com frequência entre investidores que buscam este tipo de lucro, assim, é natural que outros tipos de atividades, como o equity research e análise fundamentalista, sejam deixados de lado no processo de análise de um ativo.

Trabalhe no mercado financeiro! Acesse o Certifiquei e descubra os principais cursos preparatórios voltados para quem deseja as certificações da área. Confira!

O que é a venda a descoberto

A venda a descoberto, também conhecida como short selling, é uma estratégia cujo objetivo é lucrar com a queda do valor de um ativo, sendo que tal negociação é feita sem que o operador tenha de fato o papel.

Ou seja, este tipo de estratégia tem como foco a venda de um ativo financeiro na alta e depois recomprá-lo na baixa, sendo que isto pode ser feito no day trade ou em pregões diferentes.

Dessa forma, para uma operação de venda a descoberto ser bem sucedida, é necessário que no momento da recompra, o valor do ativo esteja mais baixo do que no período da venda.

Assim, esta se torna uma estratégia útil em mercados que apresentem tendência de queda, pois o objetivo do investidor será lucrar com a desvalorização do ativo.

Ainda que tenha sua complexidade e, especialmente, seja uma medida de risco, tal prática é muito comum entre os investidores da bolsa de valores de todo mundo.

Portanto, entender as características deste tipo de negociação é útil para quem busca operar focado em obter lucro no curto prazo.

Características

Inicialmente, é necessário reforçar que a venda a descoberto é uma operação de especulação, isto é, um tipo de negociação em que o investidor busca “acertar” o que vai acontecer com a bolsa de valores.

Assim, é natural que este tipo de negócio seja mais arriscado, podendo causar prejuízos ao investidor.

Dessa forma, é importante que quem utiliza este método de investimento domine, em especial, três fatores. São eles:

  1. Macroeconomia;
  2. Microeconomia;
  3. Avaliação de investimentos.

Ou seja, mesmo não excluindo os riscos, tais conhecimentos possibilitaram com que o investidor que opera desta forma tenha maiores chances de sucesso.

Ainda assim, este tipo de negócio é mais recomendado para investidores que tenham um perfil mais agressivo e maior aceitação ao risco, pois, como visto, é uma prática que pode causar prejuízos.

Compreendido isto, é relevante também entender os tipos possíveis de venda a descoberto.

Tipos de venda a descoberto

Os dois principais tipos de venda a descoberto são:

  • Realizadas no mesmo dia;
  • Realizadas em alguns dias.

Assim, compreender as diferenças de ambas estratégias pode fazer diferença no momento de seguir este método.

Mesmo dia

Quando se utiliza a estratégia day trade, o investidor realiza a ordem de venda e, em seguida, recompra os mesmos ativos por um preço mais baixo, sendo que toda a operação é realizada no período de pregão.

Dessa forma, se a medida surtiu o efeito desejado pelo investidor, o mesmo obterá lucro em um curto espaço de tempo.

Ainda vale destacar que em casos de day trade não há necessidade de se alugar a ação, visto que aquele já possui tal ativo em sua carteira de investimentos.

EBOOK GRATUITO | Guia Certifiquei: Seja um Analista de Investimentos

Baixe o ebook gratuito para conhecer tudo sobre o Analista CNPI e entender como se tornar o profissional mais completo do mercado!

Baixe o ebook gratuito para conhecer tudo sobre o CNPI e entender qual o diferencial em se ter essa certificação!

Alguns dias

Enquanto no swing trade, a venda a descoberta ocorre entre pregões diferentes.

Ou seja, o investidor, através de sua análise, acredita que o valor do ativo cairá ao longo dos dias seguintes à venda, devido ao fluxo especulativo do mercado.

Além disso, em negociações deste tipo o investidor não costuma possuir aquele ativo em sua carteira.

Assim, diferente do tipo anterior, neste tipo de operação existe a necessidade de realizar a verificação da disponibilidade para locação de tal ação.

Para isto é necessário consultar o Banco de Títulos CBLC, ou BTC, sendo que este é o local onde investidores disponibilizam suas ações para locação.

Portanto, é necessário realizar uma análise sobre as projeções acerca da volatilidade do negócio e sua disponibilidade.

Visando exemplificar tal operação, imagine o seguinte cenário.

O investidor aluga uma ação cotada em R$50, em seguida vende aquele ativo.

Dias depois aquele ativo está sendo negociado por R$35, neste momento readquire aquele ativo.

Por fim, ele devolve aquele ativo com todos os custos referentes à negociação, e, no processo, obteve um lucro de R$15 com a operação.

Vantagens e desvantagens da venda a descoberto

Venda a descoberto: saiba mais sobre este tipo de operação financeira

Assim como grande parte dos investimentos do mercado financeiro, a venda a descoberto possui vantagens e desvantagens.

Dessa forma, cabe ao investidor saber identificar esses pontos e analisar se vale ou não utilizar este tipo de operação.

Vantagens

Entre as vantagens deste tipo de operação do mercado financeiro, é possível destacar, por exemplo:

  • Conseguir obter lucro mesmo em um período de queda do mercado financeiro, em que os períodos tendem a desvalorizar;
  • Obter lucro em um curto espaço de tempo;
  • Contar com ativos que não necessariamente façam parte da carteira de investimentos para obter lucro;
  • Possibilidade de aproveitar boas oportunidades do mercado que apareçam de forma repentina;
  • Forma de proteção para operações de hedge, sendo utilizada para contrabalancear os riscos dos investimentos.

Portanto, este tipo de negociação acaba por apresentar vantagens consideráveis, especialmente se o investidor tiver um perfil mais agressivo.

Contudo, também vale ficar atento aos riscos por trás destas operações.

Desvantagens

Assim como grande parte dos investimentos em renda variável, as principais desvantagens deste tipo de operação estão atreladas aos riscos que ela representa ao investidor.

Dessa forma, é útil o investidor ficar atento a determinados pontos, como, por exemplo:

  • Risco de prejuízo, com perdas ilimitadas;
  • Operar contra a tendência histórica do mercado, pois o lucro deste tipo de operação só é possível em baixas;
  • Short Squeeze, isto é, sofrer com uma operação ilegal que existe na bolsa de valores;
  • Valor pago nas taxas de aluguel.

Assim, é possível perceber que operações com estes moldes tendem a expor o investidor a situações de risco.

Portanto, cabe-lhe definir se seu perfil aceita os riscos de se realizar venda a descoberto, pois atuação com especulação financeira requer a compreensão de que os prejuízos podem ser elevados.

Guilherme Almeida
Guilherme Almeida
Bacharel em Economia e Especialista em Finanças Corporativas e Mercado de Capitais pelo Ibmec-MG. Mestrando em Estatística pela UFMG, atua como professor, palestrante e porta voz das áreas de economia e finanças, tendo concedido mais de mil entrevistas para os principais meios de comunicação. Atualmente, leciona matérias ligadas à Economia e ao Mercado Financeiro em cursos preparatórios para certificações financeiras, além de ser o Economista-Chefe do departamento de Estudos Econômicos da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Minas Gerais (Fecomércio MG).

relacionadas