Ações: conheça mais sobre este importante produto financeiro

Ações: conheça mais sobre este importante produto financeiro
Share on twitter
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email

Ainda que a pessoa não invista na bolsa de valores, as possibilidades de ter se deparado com o termo ações é considerável. Algo que não ocorre por acaso, isso porque este é um dos tipos de produtos mais populares do mercado financeiro, sendo também um dos mais negociados no segmento.

Dessa forma, entender o que são e como funcionam as ações é um passo relevante para quem busca investir na bolsa de valores, afinal este tipo de produto é disponibilizado tanto pelas corretoras de valores, quanto pelas boutiques de investimentos.

Já pensou em ser um profissional do mercado financeiro? Conheça os cursos do Certifiquei e se torne um profissional qualificado!

O que são as ações

Ações: conheça mais sobre este importante produto financeiro

Em suma, as ações são partes de uma empresa negociadas na bolsa de valores, sendo que o investidor que adquire tal ativo passa a ser dono de parte daquele negócio.

Para ficar mais claro o entendimento, imagine que a empresa é uma pizza, assim é possível definir as ações como as fatias da pizza.

Dessa forma, qualquer pessoa, que tenha interesse, poderia comprar parte desta pizza.

Todavia, como já é possível imaginar, os trâmites que envolvem as negociações de uma ação são consideravelmente mais complexos.

Tal questão é possível perceber pelo fato que nem todas as empresas podem negociar suas ações na bolsa de valores, sendo que para isto é necessário ter autorização da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), órgão que controla o setor, e ser uma Sociedade Anônima de Capital Aberto.

Ou seja, existe um processo longo até conseguir negociar seus ativos financeiros no mercado financeiro.

Além disso, é importante entender o funcionamento da bolsa de valores e como uma ação é negociada neste grande mercado.

Bolsa de valores

A bolsa de valores é o mercado em que as empresas colocam seus títulos, visando assim atrair investidores e, consequentemente, captar dinheiro.

Ainda vale destacar que o capital arrecadado pode ser utilizado para diversas finalidades, podendo ser alocado tanto para expansão das atividades, quanto para modernização de sua estrutura.

Enquanto, por parte do investidor, a partir do momento que ele compra uma ação, ele se torna um dos “donos” legais daquele negócio.

Assim, o acionista tem direitos e deveres acerca do negócio, incluindo a participação no lucro daquela empresa.

Dessa forma, é importante que o investidor realize um estudo acerca do negócio, antes de adquirir um título.

Afinal, as ações são produtos de renda variável, isto é, possuem volatilidade, o que pode aumentar ou diminuir o valor daquele ativo ao longo do tempo.

Portanto, é necessário se ter cuidados com os indicadores de um negócio antes de investir no mesmo. Para isso, é útil considerar diversos fatores, dos quais é possível destacar:

  • Valuation da empresa;
  • Preço do ativo;
  • Potencial de crescimento do negócio;
  • Gestão da empresa;
  • Segmento de mercado em que a empresa está inserida;
  • Momento do mercado e da economia de modo geral.

Ou seja, tanto fatores ligados à microeconomia, quanto aspectos da macroeconomia, devem ser considerados no momento de se adquirir um ativo financeiro.

Entendido como as ações existem na bolsa de valores, é necessário explicar também o mercado de ações.

EBOOK GRATUITO | Guia Certifiquei: Seja um Analista de Investimentos

Baixe o ebook gratuito para conhecer tudo sobre o Analista CNPI e entender como se tornar o profissional mais completo do mercado!

Baixe o ebook gratuito para conhecer tudo sobre o CNPI e entender qual o diferencial em se ter essa certificação!

Mercado de ações

O mercado de ações pode ser dividido entre o mercado primário e o mercado secundário.

Dessa forma, é interessante entender para o investidor entender o funcionamento destes dois mercados e suas diferenças.

Mercado primário

O mercado primário é o “local” em que se negocia as ações provenientes da Oferta Pública Inicial (IPO) do Follow Ons de uma empresa na bolsa de valores.

Ou seja, é o mercado em que se negocia os títulos diretamente com a empresa.

Assim, o valor captado no processo é destinado para empresa, sendo que com este valor ela pode realizar uma série de atividades.

Portanto, este é o momento em que um negócio de capital aberto consegue o dinheiro necessário para realizar as mudanças que deseja.

Mercado secundário

Enquanto, no mercado secundário, o foco é nos investidores da bolsa de valores.

Isso porque neste mercado só é possível se comprar e vender títulos entre os investidores, que realizaram a compra daqueles ativos no mercado primário.

Por exemplo, no processo o acionista contatará a corretora de valores informando que venderá seus títulos, após isto a instituição financeira buscará compradores para aquele ativo no mercado financeiro.

Ainda vale destacar que quanto maior for a demanda, isto é, mais pessoas buscarem aquele ativo financeiro, o preço fica elevado.

Todavia, se a busca pela ação é baixa, a tendência é que o preço da ação sofra uma queda.

Se prepare para conquistar os certificados do mercado financeiro. Acesse o Certifiquei e descubra os principais cursos preparatórios voltados para quem busca os certificados da área. Confira!

Tipos de ações

Ações: conheça mais sobre este importante produto financeiro

Tão relevante quanto entender o funcionamento das ações, é saber diferenciar os tipos de ações que existem no mercado.

Assim, é possível dividir as ações, especialmente, em três tipos. São elas:

  1. Ações ordinárias (ON);
  2. Ações preferenciais (PN);
  3. Units.

Portanto, compreender como funciona cada tipo de ação é relevante, especialmente para melhor compreensão de qual título se encaixa no perfil do investidor.

ON

As ações ordinárias são os títulos que dão direito de voto ao investidor nas assembleias que ocorrem na parte administrativa da empresa.

Ou seja, este é o tipo de título que possibilita ao investidor ter maior participação na gestão de um negócio.

Ainda assim, vale destacar que o investidor com poucas ações ON tem seus direitos limitados.

Por exemplo, imagine que determinada pessoas possui um título do tipo ON, enquanto outro possui 150 títulos ON.

Dessa forma, o voto do primeiro investidor valeria um, enquanto o voto do segundo tem o valor de 150, o número de ações que o mesmo possui.

Além disso, vale destacar que este tipo de acionista não tem responsabilidade acerca da dívida que o negócio possa ter.

Por fim, vale destacar que as ações ON são identificadas pelo dígito 3 no final do código/ticker pelo qual o ativo financeiro é negociado na bolsa de valores.

PN

Diferente dos títulos ordinários, as ações preferenciais não dão o direito de voto.

Todavia, este tipo de ativo financeiro tem preferência no momento do recebimento dos proventos distribuídos por uma empresa.

Assim, em situações que a empresa encerre suas atividades, o investidor que possui os títulos PN possui preferência no momento de receber seus direitos.

Dessa forma, este investidor terá maiores chances de não ter prejuízos em contextos assim.

Além disso, as preferenciais possuem maior liquidez no mercado financeiro, isto é, o número de negociação envolvendo este ativo é maior.

Portanto, este é um ativo mais interessante para aqueles investidores que buscam operar no mercado vendendo e comprando ativos.

Por fim, vale destacar que as ações PN são identificadas pelos números 4,5,6,7 e 8, após o final do código/ticker do ativo financeiro negociado na bolsa de valores.

Units

Por fim, mas não menos relevante, existem as ações units, também conhecidas como certificado de depósito de ações.

A principal característica deste tipo de ativo financeiro é ser composto por mais de uma classe de valores mobiliários.

Por exemplo, uma unit pode ser composta por um conjunto de ações ON e PN.

Assim, as units podem ser consideradas um pacote de classe de ativos, sendo que este tipo de produto pode ser composto por:

  • ON;
  • PN;
  • Bônus de subscrição.

Ainda vale destacar que o investidor que busca este tipo de título deseja aproveitar os benefícios que cada tipo de ação possibilita.

Além disso, as units também são buscadas, com frequência, por investidores de longo prazo.

Por fim, vale destacar que as ações units são identificadas pelo dígito 11 no final do código/ticker pelo qual o ativo financeiro é negociado na bolsa de valores.

Classes de ações

Além de tipos, as ações podem ser divididas pelo seu nível de liquidez e capitalização.

Dessa forma, o investidor que deseja conhecer estes produtos financeiros deve ter atenção a estas classes, no caso três. Sãos elas:

  1. Blue Chips;
  2. Mid Caps;
  3. Small Caps.

Blue Chips

As blue chips são as principais ações da bolsa de valores, isto é, são os títulos referentes às empresas que negociam seus ativos na bolsa de valores e possuem a maior capitalização.

Assim, a liquidez desta classe de produto financeiro é maior.

Ou seja, o número de compradores e vendedores das blue chips é consideravelmente maior na comparação com as outras classes.

Em suma, é possível definir esta classe como as ações que possuem alta liquidez, pagam maiores dividendos e são parte de empresas consolidadas no mercado.

Mid Caps

Por sua vez, as mid caps são ações de empresas de médio porte.

Assim, este tipo de título está em um nível médio de negociação, podendo apresentar maior ou menor liquidez, sendo que isto vai depender do desempenho do negócio.

Todavia, por se tratar de empresas em processo de crescimento, os títulos mid caps apresentam maior oscilação no preço.

Dessa forma, é natural que este produto possa tanto ter uma alta valorização, quanto uma forte queda.

Portanto, o investidor deve ter maior atenção no momento de realizar investimentos neste tipo de ação.

Small Caps

Por fim, existem as small caps, que, em suma, são as ações das empresas da bolsa com menor capitalização de mercado.

Assim, este tipo de ativo possui uma volatilidade baixa, pois representa maiores riscos aos investidores.

Portanto, é aconselhável que o investidor realize um gerenciamento de risco acerca destas ações, pois os prejuízos podem ser elevados.

Guilherme Almeida
Guilherme Almeida
Bacharel em Economia e Especialista em Finanças Corporativas e Mercado de Capitais pelo Ibmec-MG. Mestrando em Estatística pela UFMG, atua como professor, palestrante e porta voz das áreas de economia e finanças, tendo concedido mais de mil entrevistas para os principais meios de comunicação. Atualmente, leciona matérias ligadas à Economia e ao Mercado Financeiro em cursos preparatórios para certificações financeiras, além de ser o Economista-Chefe do departamento de Estudos Econômicos da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Minas Gerais (Fecomércio MG).

relacionadas