Agro broker: entenda o que ele faz e como se qualificar para atuar nesse mercado.

agro-broker
Share on twitter
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email

O mercado financeiro possibilita um leque de áreas de atuação, desde aquelas mais operacionais até as comerciais. Nesse sentido, o Agro broker atua das duas formas, para que seja possível conectar compradores e vendedores.

Dessa forma, o Agro Broker é o profissional que apresenta habilidades comerciais para atuar com os agentes do agronegócio e conhecimento operacional para realizar as operações na bolsa de valores.

O que é Agro Broker?

Como o nome permite inferir, o Agro Broker é o profissional que interliga os agentes econômicos aos produtos financeiros ligados ao mercado agropecuário e agrícola, dentro do mercado de derivativos.

Assim, o profissional Agro Broker irá criar diversas oportunidades de negócios para o público que quer ter acesso a esse tipo de ativos, interligando aqueles que querem comprar e vender.

Nesse sentido, ele será responsável por analisar as ofertas no mercado e ver quais se encaixam para cada um dos cenários e clientes, levando em consideração:

  • Documentação necessária;
  • Qual será o tipo de entrega do produto, a depender do mercado de atuação;
  • A forma de pagamento, a qual também está relacionada ao mercado que o cliente irá comercializar.

Por esse motivo, ele é muito parecido com o broker tradicional, mas diferentemente desse, o agro broker tem foco, principalmente, no agronegócio.

Quais são as áreas de atuação desse profissional?

A grande especialidade do Agro Broker é a negociação de commodities, como é o caso do milho, carne, café entre outros.

Dessa maneira, ele pode atuar basicamente em três mercados dentro da bolsa de valores:

  1. Mercado de balcão; 
  2. Mercado a termo;
  3. Mercado futuro.

No mercado de balcão, é possível realizar a negociação de forma direta e imediata. Assim, o valor da negociação será recebido em uma apenas uma operação.


Trabalhe no mercado que mais cresce e remunera no Brasil! Conheça os cursos do Certifiquei e se qualifique para atuar no mercado de capitais!

Já o mercado a termo, tem por característica o recebimento do montante financeiro anteriormente ao envio e entrega do produto, o que faz com que o produtor fique sujeito às flutuações do mercado.

Por fim, o mercado futuro, sem dúvidas o mais líquido entre as três possíveis áreas de atuação do agro broker, permite a negociação dos produtos, mas sem que o produto seja entregue de forma imediata.

Importante frisar, que no mercado futuro, diferente do que acontece nos outros dois mercados, existem ajustes diários da posição comprada e vendida.

5 motivos para se tornar um Agente Autônomo de Investimentos

EBOOK GRATUITO | 5 motivos para se tornar um Agente Autônomo de Investimentos

Baixe o ebook gratuito e descubra as vantagens de ser um Agente Autônomo de Investimentos

5 motivos para se tornar um Agente Autônomo de Investimentos

EBOOK GRATUITO | 5 motivos para se tornar um Agente Autônomo de Investimentos

Como se tornar um Agro Broker?

O profissional Agro Broker deve aliar tanto habilidades comerciais, quanto amplo entendimento a respeito do mercado financeiro e do agronegócio.

Nesse contexto, um dos primeiros passos para se tornar Agro Boker é possuir a certificação PQO (Programa de Qualificação Operacional) e, também, a certificação de Agente Autônomo de Investimentos (AAI).

Ambas as certificações são de responsabilidade da Ancord e, caso tenha se interessado nessa profissão, é possível acessar o curso PQO Operacional diretamente na nossa página de cursos.

Por fim, apesar de ser necessário amplo conhecimento de mercado financeiro e agronegócio, para ser Agro Broker não é necessário apresentar formação nessas áreas em que vai atuar.

Guilherme Almeida
Guilherme Almeida
Bacharel em Economia e Especialista em Finanças Corporativas e Mercado de Capitais pelo Ibmec-MG. Mestrando em Estatística pela UFMG, atua como professor, palestrante e porta voz das áreas de economia e finanças, tendo concedido mais de mil entrevistas para os principais meios de comunicação. Atualmente, leciona matérias ligadas à Economia e ao Mercado Financeiro em cursos preparatórios para certificações financeiras, além de ser o Economista-Chefe do departamento de Estudos Econômicos da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Minas Gerais (Fecomércio MG).

relacionadas