ANBID: conheça a sua importância no mercado financeiro

ANBID: conheça a sua importância no mercado financeiro
Share on twitter
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email

A ANBID exerceu um papel importante e imprescindível no mercado financeiro brasileiro. Apesar da sua importância no seu período de existência, poucos conhecem suas funções e como atuava. 

Assim como a ANBIMA, algumas entidades têm o foco principal de auxiliar o mercado financeiro e sua regulamentação. Foi o papel da ANBID enquanto instituição atuar na capacitação de profissionais entre outras funções importantes.  

O que é ANBID?

A ANBID é a sigla para Associação Nacional dos Bancos de Investimento e foi uma organização criada para certificar e capacitar profissionais do mercado financeiro. 

Além disso, ela atuou reforçando e aumentando a presença de instituições financeiras no desenvolvimento econômico brasileiro. Sendo assim, a ANBID era uma entidade de classe, já que atuava regulamentando as atividades que eram exercidas pelos profissionais do mercado de capitais. 

A Associação Nacional dos Bancos de Investimento foi fundada em 1967, pouco depois do mercado de capitais no Brasil ser regulamentado. Sua sede era na cidade do Rio de Janeiro. 

O principal foco da ANBID era representar tanto os bancos quanto seus investimentos. Mas, em 1990, a associação mudou sua atuação e passou a representar todas as atividades relacionadas às instituições financeiras do Brasil, ampliando sua atuação. 

Já pensou em ser um profissional do mercado financeiro? Conheça os cursos do Certifiquei e se qualifique! 

Qual a importância dessa instituição no mercado?

A ANBID exerceu um papel fundamental para todos os profissionais que atuavam no mercado financeiro e também os investidores no setor. Seu objetivo principal era garantir que o funcionamento das operações fosse claro e ético para todas as partes envolvidas.

Com isso, essa associação trouxe um avanço significativo para a área financeira e até os dias atuais sua atuação é reconhecida como importante para o mercado de capitais. 

Com a criação dos Conselhos de Regulação e Melhores Práticas, as regras para o mercado eram imparciais. Dessa forma, a regulamentação era livre de interferências e a abordagem financeira era feita dentro desses parâmetros. 

Além disso, a ANBID também fortaleceu a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e o estabeleceu como órgão regulador no mercado de capitais. Além de incentivar a implementação de práticas mais éticas entre os associados.

Ademais, garantiu os direitos do investidor, melhorou a infraestrutura tanto dos serviços e práticas operacionais do mercado, contribuiu para ampliar os conhecimentos dos investidores e ofereceu informações importantes sobre o mercado. 

PDPE: o primeiro passo para entender proteção de dados e LGPD

EBOOK GRATUITO | PDPE: o primeiro passo para entender proteção de dados e LGPD

Baixe o ebook gratuito para saber tudo sobre a certificação PDPE e ficar por dentro dos principais pontos da LGPD!

PDPE: o primeiro passo para entender proteção de dados e LGPD

EBOOK GRATUITO | PDPE: o primeiro passo para entender proteção de dados e LGPD

Por que a ANBID deixou de existir?

A ANBID encerrou suas atividades em outubro de 2009, e isso aconteceu por conta da evolução do mercado em relação às atividades que ela exercia. Com o fim da associação, surgiu a ANDIMA (Associação Nacional das Instituições do Mercado Financeiro).

E o resultado da união da ANBID com a ANDIMA surgiu a ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercado Financeiros e de Capitais). Mesmo sendo uma nova associação, ela mantém os mesmos objetivos da antiga. 

Também é importante ressaltar que a atuação e organização da ANBIMA é semelhante ao da ANBID, já que é baseado em pilares empresariais que tornaram essa associação relevante para os investidores. 

 

Guilherme Almeida
Guilherme Almeida
Bacharel em Economia e Especialista em Finanças Corporativas e Mercado de Capitais pelo Ibmec-MG. Mestrando em Estatística pela UFMG, atua como professor, palestrante e porta voz das áreas de economia e finanças, tendo concedido mais de mil entrevistas para os principais meios de comunicação. Atualmente, leciona matérias ligadas à Economia e ao Mercado Financeiro em cursos preparatórios para certificações financeiras, além de ser o Economista-Chefe do departamento de Estudos Econômicos da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Minas Gerais (Fecomércio MG).

relacionadas