Cartão de crédito: como funciona e quais as vantagens?

Cartão de Crédito: Como Funciona e Quais As Vantagens?
Share on twitter
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email

O cartão de crédito é, para alguns, algo cheio de benefícios. Mas para outros, o responsável por dívidas enormes e impagáveis. Além de ser considerado um terror da vida financeira. 

Mas na verdade o cartão de crédito é algo que, se houver conhecimento para ser utilizado corretamente, pode ser uma forma de pagamento com muitas vantagens. Entenda mais sobre ele nesse artigo. 

        1. O que é cartão de crédito?
        2. Como funciona?
        3. Crédito ou débito: qual a melhor opção de compra? 
        4. Data de vencimento e data de fechamento do cartão 
        5. Vantagens e desvantagens 
        6. Como funciona o parcelamento da fatura? 
        7. Dicas para usar o cartão corretamente  
        8. Como fazer um cartão de crédito?  

O que é cartão de crédito?

O cartão de crédito é uma forma de pagamento que contém limite de crédito definido e permite a compra de bens e serviços nos estabelecimentos que aceitam essa forma de pagamento. 

Geralmente, o consumidor paga uma fatura mensal que é resultado dos gastos e das prestações (nas compras parceladas). Essa fatura tem uma data específica de vencimento mensal, e caso não seja paga nesse dia o atraso resulta em juros.

O cartão de crédito, geralmente, vem com as seguintes informações:

  • Nome do titular do cartão
  • Número do cartão
  • Data de validade (mês e ano)
  • Itens de segurança (hologramas, entre outros)
  • Chip
  • Código de segurança 
  • Emissor (nome da instituição financeira emissor do cartão)
  • Identificação da bandeira do cartão 

Com o aumento da adesão ao cartão de crédito, muitas instituições financeiras mantêm programas de relacionamento com seus clientes. Em muitos deles, o consumidor consegue acumular pontos ao usar o cartão de crédito e podem ser trocados por produtos ou milhas. 

Um dos principais atrativos do cartão de crédito é a possibilidade de parcelar compras de maior valor. Justamente por isso é amplamente aceita no mercado, já que os comerciantes pagam taxas bancárias para receber o valor parcelado, o pagamento é garantido pelo banco. 

Além disso, é uma forma de pagamento atrativa para os comerciantes porque possui menos risco se comparado ao cheque. 

Mas, em contrapartida, para os usuários do cartão de crédito essa modalidade de pagamento pode ser considerada uma forma perigosa de acabar no endividamento. Isso porque os juros são altos caso o pagamento seja feito com atraso. 

Por isso é importante que quem usa o cartão de crédito tenha em mente que o valor disponível precisa ser pago, mesmo que de forma parcelada, a  instituição financeira emissora do cartão. Então não é algo dado, e sim uma forma de empréstimo. 

Tipos de cartão de crédito 

Cartão de Crédito: Como Funciona e Quais As Vantagens?

O BC (Banco Central) conta com a Resolução 3.919/2010 que define dois tipos de cartão de crédito no Brasil. São eles o cartão de crédito básico e o diferenciado.

No cartão de crédito básico, o titular o utiliza apenas para pagamentos de bens e serviços em alguns estabelecimentos credenciados. Nesse caso, a taxa cobrada é menor pelo emissor do cartão e pode ser nacional e também internacional. 

Já no cartão de crédito diferenciado, além das funções do cartão básico, é oferecido o programa de benefícios, milhas, recompensas, entre outros. Geralmente conta com uma anuidade maior e também pode ser nacional ou internacional. 

Além dessas opções, também há o cartão de crédito nacional e o cartão de crédito internacional. O nacional pode ser usado apenas em estabelecimentos no Brasil. Já o internacional pode ser usado tanto no Brasil quanto em outros países, além de sites internacionais

Já pensou em ser um profissional do mercado financeiro? Com os cursos do Certifiquei isso é possível! Se qualifique com as principais certificações do mercado de capitais! 

Como funciona?

O funcionamento do cartão de crédito é feito através da emissora do cartão, que estabelece um limite de crédito que pode ser usado pelo portador do cartão e ele se compromete a pagar o valor na data de vencimento pré-estabelecida.  

Se o prazo de pagamento não for respeitado, o portador do cartão tem que pagar o valor gasto acrescido dos juros (que são altos) e multa por atraso. 

Além da emissora do cartão, as bandeiras do cartão de crédito são importantes. Elas processam as compras realizadas, enquanto a emissora administra e estabelece as tarifas. 

Outro ponto importante do cartão de crédito é o CVV. Essa sigla significa Card Verification Value, que é o Valor de Verificação do Cartão.

Esse código, geralmente, é solicitado no momento da compra porque é um código de segurança do cartão e valida as compras realizadas. Sua maior importância e função é evitar fraudes e clonagem do cartão de crédito. 

Limite de compra 

No caso do limite de compra, cada instituição financeira tem seus critérios de análise de crédito e, através desse processo, define um valor para ser concedido a cada pessoa. Isso leva em conta o histórico financeiro e perfil de quem vai solicitar o cartão. 

Em muitos casos, a emissora libera um valor inicial de crédito e tende a aumentar ao longo do tempo caso o consumidor seja pontual no pagamento da fatura e use o cartão de forma correta. 

Com o limite disponível, o consumidor consegue fazer a compra tanto à vista no crédito quanto parcelada. Se a compra for à vista, ela deve ser paga na próxima fatura do cartão. Mas caso seja parcelada, as parcelas são cobradas na próxima fatura até a dívida ser quitada. 

Taxas cobradas pelo cartão de crédito

O Banco Central do brasil tem definido cinco tipos de tarifas bancárias que podem ser cobradas pelas instituições financeiras que emitem cartões de crédito básicos:

Anuidade: considerada a tarifa bancária de manutenção que serve para custear os serviços do cartão de crédito. Pode ser cobrada tanto uma vez ao ano quanto diluída ao longo dos meses.

Mas, dependendo da instituição financeira, pode não existir ou quando existe, varia muito entre as instituições. Por isso é recomendado pesquisar antes de ter um cartão de crédito em determinada instituição. 

Avaliação Emergencial de Crédito: essa tarifa é cobrada quando o titular do cartão faz compras acima do limite disponível para ele. Algumas pessoas, quando precisam realizar uma compra que é acima do limite disponível, pedem aumento do limite do cartão, mas ele é pago e tem um custo. 

Pagamento de contas: nesse caso, a tarifa é cobrada quando é feito o pagamento de faturas e boletos de serviços (como água, luz, entre outros). Além dessa tarifa, geralmente também é cobrado o IOF (Imposto sobre Operações Financeiras). 

Saque: no caso de saque em dinheiro por intermédio do cartão de crédito no Brasil ou no exterior, essa tarifa é cobrada. Além dela, algumas instituições também cobram o IOF caso o saque seja feito fora do país. 

Segunda via do cartão: caso a pessoa precise de um novo cartão, essa tarifa é cobrada. Mas, caso o cartão seja bloqueado por falha na operação ou tentativa de fraude, essa tarifa não deve ser cobrada porque a emissora é responsável por esses problemas. 

Mas é bom reforçar que com os bancos digitais, muitas dessas taxas não são cobradas e a forma de usar o cartão de crédito mudou. 

Tarifas do cartão diferenciado 

Além das tarifas citadas acima, o emissor pode cobrar tarifas relacionadas a serviços diferenciados que o cliente deseja obter no seu cartão de crédito. 

No momento de pedir seu cartão de crédito, é indicado que o cliente solicite uma cópia do contrato e da tabela com as tarifas para ter conhecimento sobre elas. Além disso, pedir também o CET (Custo Efetivo Total) que abrange todas as taxas cobradas pelo cartão. 

Se torne um profissional qualificado para atuar no mercado financeiro! Conheça os cursos do Certifiquei! 

Crédito ou débito: qual a melhor opção de compra? 

Cartão de Crédito: Como Funciona e Quais As Vantagens?

O cartão de crédito e débito tem como principal diferença é que, na modalidade crédito, o pagamento é feito somente quando a fatura fecha. Enquanto que, na modalidade débito, o pagamento é feito na hora.

Por isso é importante entender qual a modalidade é mais indicada na hora da compra, especialmente para não entrar em um problema financeiro. 

Mas na dúvida sobre qual método de pagamento escolher, tudo depende de como está seu planejamento financeiro. Uma pessoa pode tanto manter os gastos apenas no cartão de débito ou de crédito, mas o importante é controlar os gastos para evitar gastar mais do que ganha.

Qual opção é a melhor? 

Em regras gerais, os especialistas indicam que para as compras do dia a dia é mais indicado utilizar o cartão de débito, já que é possível controlar mais o quanto é gasto (no caso de compras como supermercado, farmácia, alimentação, entre outros).

Isso porque esses gastos já estão listados no orçamento mensal e no final do mês eles não estarão na fatura do cartão de crédito. 

Agora, para quem participa de programas de pontuação, fazer as compras no cartão de crédito é mais vantajoso justamente para acumular pontos e garantir os benefícios desses programas. 

Outro ponto que pode ser levado em conta na hora de escolher o método de pagamento é se a compra é um item de valor mais alto como eletroeletrônicos, eletrodomésticos, móveis, passagens áreas e outros itens.

A vantagem de realizar esse tipo de compra no cartão de crédito é que, nessa opção, é possível tanto parcelar quanto acumular pontos caso seu cartão de crédito seja diferenciado.

Mas se a compra for parcelada, é importante ter cuidado e se planejar para conseguir efetuar o pagamento das parcelas mensais da compra, além de não acumular muitas parcelas no mesmo período. 

Data de vencimento e data de fechamento do cartão

Uma dúvida muito comum entre os usuários do cartão de crédito é sobre a data de vencimento e fechamento do cartão, e se são a mesma coisa. Mas não, são coisas distintas.

A data de vencimento se refere a data limite para o pagamento da fatura. Sendo assim, é a data de vencimento do boleto que será pago pelo titular do cartão com todos os gastos e parcelas do mês. 

E a data de fechamento do cartão de crédito se refere a data na qual os gastos do mês são encerrados. Isso significa que as próximas compras serão cobradas na fatura do próximo mês. Geralmente a data de vencimento e fechamento não são a mesma. 

Com essa diferença, a data de vencimento e fechamento tem um espaço de dias entre a efetuação da compra e a data limite para pagamento. Esse período é considerado um bom momento para utilizar o cartão, especialmente após o fechamento da fatura, já que essa compra só será cobrada no próximo mês. 

No planejamento financeiro essas datas precisam estar sinalizadas. Caso as finanças estejam apertadas, por exemplo, é possível esperar a data de fechamento para comprar algo urgente e pagar no próximo mês, por exemplo. 

Vantagens e desvantagens 

Como todo método financeiro, o cartão de crédito tem vantagens e desvantagens ao escolher seu uso. Mas tudo depende do objetivo e planejamento financeiro de cada pessoa. 

A principal vantagem da modalidade de cartão de crédito é o poder de fazer compras a prazo, permitindo adquirir bens com valor alto e duráveis de forma mais acessível que não à vista. 

A opção do parcelamento permite comprar esses itens e criar parcelas que se enquadram nas finanças mensais, sem comprometer a renda completa. 

Outra vantagem considerável é que para os usuários do cartão de crédito que tem programas de pontuação podem utilizá-las para passagens aéreas ou outros itens listados no programa. 

Mas assim como tem vantagens, tem desvantagens também. Uma delas é o possível descontrole financeiro nas compras e acabar no rotativo do cartão de crédito, que eleva a cobrança de juros do cartão em cima do valor a ser pago. 

O cartão de crédito é, justamente, uma forma de pagamento causadora de dívidas em grande parte dos brasileiros inadimplentes. Por isso exige cuidado ao utilizar e controle financeiro. Até a pessoa mais organizada pode acabar endividada. 

Mas o pagamento em dia pode evitar os juros altos do cartão de crédito, já que só são cobrados quando há atraso do pagamento da fatura e aumentam proporcionalmente ao tempo de atraso. 

Por isso, os especialistas financeiros indicam ter o cartão de crédito quando há noção básica de educação financeira. Isso porque esses ensinamentos podem ajudar a administrar as finanças e evitar uma dívida impagável. 

Escolha atuar em um dos mercados com mais oportunidades para profissionais qualificados. Se qualifique com os cursos do Certifiquei e atue no mercado financeiro! 

Como funciona o parcelamento da fatura?

Quando uma fatura está em atraso de pagamento, a maioria das instituições financeiras permitem parcelar a fatura para ser paga aos poucos. Porém, é cobrado juros para essa opção. 

No caso do pagamento mínimo da fatura, ela não pode ficar mais do que 30 dias no crédito rotativo. Quando essa opção é requerida, o cliente deve pagar a fatura anterior somada à fatura atual ou parcelar o valor. 

A instituição financeira responsável por emitir o cartão pode oferecer diferentes opções para o financiamento da dívida, o que também é chamado de parcelamento da fatura. Se o cliente não escolher a opção, é possível que a dívida seja parcelada automaticamente por uma linha de crédito. 

Em compensação, o crédito parcelado tem juros mais baixos do que o crédito rotativo. Mas, ainda sim, são mais altas do que um crédito pessoal ou um empréstimo, por exemplo. O ideal é se informar de todas as taxas e decidir a melhor opção para o bolso. 

Como comparar as taxas do cartão de crédito? 

Segundo a Anefac (Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade), um dos juros mais altos são os do cartão de crédito, por isso esse método de pagamento deve ser usado com cuidado. 

Um bom hábito dos usuários do cartão de crédito é pesquisar as taxas cobradas nas diferentes instituições financeiras. Esses dados podem ser encontrados em diferentes instituições, como:

Abecs (Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços): aqui é possível consultar e fazer comparações das tarifas dos cartões. 

Banco Central: uma das instituições mais importantes do país, o BC permite a consulta de tarifas e anuidades cobradas pelo Sistema de Divulgação e Tarifas de Serviços Financeiros, o STAR. 

Procon: nesse caso, ele informa que o Custo Efetivo Total (CET), que são todas as taxas e encargos cobrados, deve ser informado pela instituição emissora do cartão. Assim, o consumidor pode escolher a empresa com menor CET. 

Dicas para usar o cartão corretamente 

O cartão de crédito pode ser uma armadilha financeira para quem não tem planejamento das finanças ou controle sobre o dinheiro. Por isso, separamos algumas dicas de especialistas para você utilizar o cartão da melhor forma.

1- Esteja atento à data de vencimento da fatura

Uma das grandes razões de dívidas no cartão é o pagamento após a data de vencimento, justamente pelos altos juros cobrados no período de atraso. Por isso, para evitar dívidas, é importante se planejar e pagar a fatura antes de vencer. 

2- Defina um limite financeiro de compras

Definir um limite de compras é importante para gastar de acordo com a sua renda. Por isso é essencial anotar os gastos e despesas para não ultrapassar a meta financeira mensal. 

3- Analise as parcelas antes de comprar

O parcelamento das compras de alto valor é uma das principais vantagens do cartão de crédito. Mas para isso ser realmente viável, é preciso analisar o valor total da compra e ver se as parcelas se encaixam no valor mensal e se o valor total da compra vale a pena.

Além disso, o ato de fazer várias parcelas para apenas uma compra pode ocupar o limite do cartão por muitos meses. Por isso, antes de comprar, é preciso ver se vale a pena. 

4- Evite emprestar seu cartão para outras pessoas

O hábito de emprestar o cartão de crédito para outras pessoas pode ser muito nocivo. Muitas pessoas fazem dívidas e não pagam, então você tem que arcar com elas para não ficar negativado.

Além disso, o limite do seu cartão fica ocupado com compras de terceiros, o que impede de você utilizar um recurso que está no seu nome. Sempre que puder, evite emprestar o seu cartão de crédito para outra pessoa. 

5- Não tenha vários cartões de crédito

Com a facilidade de emitir cartão de crédito, além dos bancos, outras empresas prestam esse serviço (como lojas de departamento, por exemplo). Porém, quem tem mais de um cartão de crédito precisa de controle financeiro para não virar uma bola de neve. 

Geralmente, quem tem mais de um cartão de crédito têm mais problemas financeiros e em algum momento pode enfrentar um endividamento. Para fugir dessa situação, é melhor manter um ou dois que seja possível controlar seus gastos financeiros. 

6- Escolha locais e sites seguros para fazer compras com seu cartão de crédito

Um grande problema atualmente são golpes e clonagens envolvendo o cartão de crédito. Comprar em locais e sites não seguros aumentam o risco de se envolver nesses golpes e sofrer um prejuízo enorme. 

Para quem deseja ter uma opção ainda mais segura, pode escolher ter um cartão virtual. Algumas empresas fornecem uma cópia do seu cartão mas com o CVV alterado a cada  horas, o que diminui a chance de clonagem e golpes pela internet. 

30 dicas para tirar sua certificação

EBOOK GRATUITO | 30 dicas para você se preparar para a sua prova

Baixe o ebook gratuito e confira 30 dicas que te ajudarão a se planejar da melhor forma para os exames de certificação. 

30 dicas para tirar sua certificação

EBOOK GRATUITO | 30 dicas para você se preparar para a sua prova

Como fazer um cartão de crédito?

Para quem vê vantagens em ter um cartão e tem um bom planejamento financeiro para utilizá-lo da melhor forma, a hora de solicitar um é importante. O primeiro passo é escolher o banco ou instituição financeira de sua preferência. 

Após escolher o emissor do cartão, é preciso solicitar o serviço na empresa. A depender da instituição, essa solicitação pode ser presencial ou online (a opção online é bastante utilizada pelos bancos digitais, que realizam todo o processo por aplicativos).

Geralmente, as instituições financeiras fazem uma análise do histórico do solicitante para decidir se aprova ou não a solicitação. Caso seja aprovado, o cliente recebe o cartão com um limite inicial. 

Mas os critérios variam entre os bancos para aprovar ou não o cartão. As instituições utilizam frequentemente o histórico de pagamento do cliente e a nota dele, chamada de score, para analisar o quanto será liberado de limite inicial no cartão. 

E esse limite pode aumentar ao longo do tempo. Caso o cliente mantenha o pagamento das faturas em dia e utilize o cartão com responsabilidade, o banco emissor pode analisar que o aumento do limite para o titular é uma boa opção. 

Fazer um cartão de crédito é um processo simples e pode ajudar muitas pessoas a comprar itens que não seria possível comprar à vista. Para quem sabe controlar as finanças, é um ótimo método de compra. 

 

Guilherme Almeida
Guilherme Almeida
Bacharel em Economia e Especialista em Finanças Corporativas e Mercado de Capitais pelo Ibmec-MG. Mestrando em Estatística pela UFMG, atua como professor, palestrante e porta voz das áreas de economia e finanças, tendo concedido mais de mil entrevistas para os principais meios de comunicação. Atualmente, leciona matérias ligadas à Economia e ao Mercado Financeiro em cursos preparatórios para certificações financeiras, além de ser o Economista-Chefe do departamento de Estudos Econômicos da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Minas Gerais (Fecomércio MG).

relacionadas