EVA: o que é o indicador Economic Value Added?

EVA: o que é o indicador Economic Value Added?
Share on twitter
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email

Ao se investir, olhar para os principais indicadores financeiros é essencial para analisar os ativos de forma assertiva e fundamentar sua tomada de decisão. Dentre os mais utilizados, podemos destacar o EVA, ou Economic Value Added.

Já que o objetivo é ter retorno sobre o capital investido, o EVA é um indicador importante para analisar se um investimento trouxe ganhos aos acionistas.

O que é EVA?

O EVA é a sigla para Economic Value Added, que significa Valor Econômico Agregado (ou valor econômico adicionado) e é um indicador que mede o desempenho da empresa com base na riqueza criada após a dedução do custo do capital investido de seu lucro operacional.

Ou seja, o EVA se refere ao lucro econômico de uma instituição e indica se a atividade produz o retorno esperado pelos investidores.

Esse indicador é importante porque é baseado na premissa de que todo investimento só é vantajoso quando gera o maior retorno financeiro possível para os seus acionistas sobre o capital investido inicialmente.

Portanto, para uma empresa ser considerada atraente e um bom investimento, a taxa de retorno precisa ser acima do custo de capital.

Se torne um profissional qualificado para atuar no mercado financeiro. Conheça os cursos do Certifiquei!

Como trabalhar no Mercado Financeiro

EBOOK GRATUITO | Como trabalhar no Mercado Financeiro?

Baixe agora nosso ebook gratuito para descobrir o que você precisa para conseguir uma oportunidade no Mercado Financeiro!

Como trabalhar no Mercado Financeiro

EBOOK GRATUITO |
Como trabalhar no Mercado Financeiro?

Para que é utilizado esse indicador?

EVA: o que é o indicador Economic Value Added?

O indicador de valor econômico agregado existe para, acima de tudo, avaliar uma empresa em relação às suas operações e criar estratégias importantes para o desenvolvimento econômico.

Além disso, o EVA traduz de forma simples a geração de lucro para o acionista da empresa. Outros indicativos como o EBITDA, apesar de importantes, não conseguem esse resultado e por isso o EVA é considerado tão importante.

Isso porque esse indicador supre a lacuna deixada por outros índices, já que leva em consideração o retorno mínimo esperado pelo acionista investidor.

Ele também reflete a administração da empresa em seus resultados e avaliar seu desempenho, além de:

  • auxiliar na definição de metas financeiras da empresa;
  • medir a performance da empresa;
  • definir o orçamento de capital;
  • avaliar projetos.

Assim, o EVA auxilia os gestores a analisar o desempenho das atividades e, através dos resultados, priorizar as que demonstram ser mais vantajosos.

Como calcular o EVA?

O cálculo do EVA é realizado através dos componentes do lucro operacional, custo de oportunidade do capital total (também conhecido como Custo Médio Ponderado de Capital, ou CMPC) e o capital total.

O lucro operacional se refere aos ativos da empresa (investimento). Já o custo de oportunidade do capital total também pode ser chamado de Weighted Average Capital Cost (WACC) e se refere à recursos que estão disponíveis da empresa.

E, por último, o capital total se refere à soma das dívidas onerosas e o patrimônio líquido. Assim, a fórmula do valor econômico agregado é a seguinte:

EVA = Lucro Operacional – CMPC (Custo Médio Ponderado de Capital)

Ou seja, o custo total investido da empresa é deduzido do lucro operacional líquido (após a dedução dos impostos) e assim o resultado é o lucro econômico criado pela empresa em questão.

As vantagens e desvantagens do EVA são que, apesar de ser um índice importante e muito utilizado, ele não pode ser utilizado sozinho, já que é um índice que deduz apenas um resultado.

Por fim, é importante lembrar novamente que o EVA deve ser combinado com outros indicadores para se fazer uma análise assertiva, resultando assim em ótimas estratégias que serão revertidas em lucro para os acionistas e todos os envolvidos no negócio.

 

 

Guilherme Almeida
Guilherme Almeida
Bacharel em Economia e Especialista em Finanças Corporativas e Mercado de Capitais pelo Ibmec-MG. Mestrando em Estatística pela UFMG, atua como professor, palestrante e porta voz das áreas de economia e finanças, tendo concedido mais de mil entrevistas para os principais meios de comunicação. Atualmente, leciona matérias ligadas à Economia e ao Mercado Financeiro em cursos preparatórios para certificações financeiras, além de ser o Economista-Chefe do departamento de Estudos Econômicos da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Minas Gerais (Fecomércio MG).

relacionadas