Excedente financeiro: saiba mais sobre este tipo de renda

Excedente financeiro: saiba mais sobre este tipo de renda
Share on twitter
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email

A independência financeira ao longo da aposentadoria é um dos principais desejos da população, mas para se chegar a tal resultado é necessário planejamento. Por isso, alguns conceitos devem estar no radar de quem busca tal objetivo, e, entres estes, vale ficar atento ao excedente financeiro.

Isso porque o excedente financeiro é uma renda ativa considerável que o investidor pode ter após encerrar sua trajetória profissional, conseguindo ter uma aposentadoria “tranquila” do âmbito financeiro.

Tem o sonho de trabalhar no mercado financeiro? Acesse o Certifiquei e descubra os principais cursos preparatórios voltados para quem deseja as certificações da área. Confira!

O que é excedente financeiro

Excedente financeiro é uma remuneração extra obtida por meio dos fundos de previdência privados, sendo que tais fundos são administrados por profissionais da área.

Ou seja, esta é uma forma de renda que a pessoa pode recorrer, caso busque ter uma aposentadoria tranquila em termos financeiros.

Dessa forma, entender acerca do tema é importante para quem busca fontes de renda após parar de trabalhar.

Para isso, é necessário definir, de uma vez por todas, os conceitos que formam um fundo de previdência privada, sendo que para isto é útil introduzir o papel de um fundo de investimento e de uma previdência privada.

Fundo de investimento

Populares no meio da bolsa de valores, os fundos de investimentos são um dos produtos com maior busca no mercado financeiro.

Isso porque este é um tipo de produto que tende a atrair diferentes perfis de investidores.

Em suma, um fundo de investimento serve para que diversos investidores, também conhecidos como cotistas, aloquem seu capital.

Com a junção deste valor, os profissionais responsáveis pela gestão do fundo investem em diferentes produtos financeiros do mercado, visando possibilitar renda aos cotistas.

Ainda vale destacar que um fundo de investimento pode ter diferentes características.

Ou seja, ter foco em diferentes produtos, com destaque para três especiais, são eles:

  1. Renda fixa;
  2. Renda variável;
  3. Fundo híbrido.

Portanto, é natural que este tipo de investimento seja comum entre os investidores do mercado, sendo uma alternativa interessante para quem busca obter equilíbrio entre renda e risco.

Previdência privada

Enquanto a previdência privada é mais conhecida da população em geral, estando presente na vida de grande parte dos trabalhadores.

Em suma, a previdência privada é um investimento realizado, de forma autônoma, pelo trabalhador que busca uma renda extra após sua aposentadoria.

Portanto, um fundo de investimento previdenciário é um local onde investidores colocam seu capital sob a gestão de profissionais que buscam produtos financeiros que possibilitaram renda aos cotistas no momento de suas aposentadorias.

Justamente neste tipo de produto em que é possível existir o excedente financeiro.

Como funciona o excedente financeiro

Excedente financeiro: saiba mais sobre este tipo de renda

Como o próprio nome indica, o excedente financeiro é uma renda acima da que foi garantida no momento de contratação de um fundo previdenciário.

Ou seja, o gestor do fundo conseguiu obter ganhos além dos esperados.

Todavia, é necessário apontar que este ganho pode ocorrer de forma diferente, variando de acordo com a modalidade, que, no caso são:

  • Tradicional;
  • PGBL;
  • VGBL.

No caso da primeira, o excedente financeiro é pago durante a fase de acumulação de recursos.

Enquanto, nas outras duas modalidades, este valor é pago no período da fase de recebimento de renda.

Portanto, quem busca a independência financeira por meio do fundo previdência, deve ficar atento no modo que é estruturado o pagamento do excedente financeiro.

Guilherme Almeida
Guilherme Almeida
Bacharel em Economia e Especialista em Finanças Corporativas e Mercado de Capitais pelo Ibmec-MG. Mestrando em Estatística pela UFMG, atua como professor, palestrante e porta voz das áreas de economia e finanças, tendo concedido mais de mil entrevistas para os principais meios de comunicação. Atualmente, leciona matérias ligadas à Economia e ao Mercado Financeiro em cursos preparatórios para certificações financeiras, além de ser o Economista-Chefe do departamento de Estudos Econômicos da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Minas Gerais (Fecomércio MG).

relacionadas