Extrato bancário: a arma essencial para o planejamento financeiro

extrato-bancario
Share on twitter
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email

Organizar as finanças pessoais é uma das atividades mais importantes para o início do processo de investimentos. Nesse sentido, ter em mãos o extrato bancário da sua conta irá facilitar o planejamento mensal de suas receitas e despesas.

Dessa maneira, quem deseja manter uma organização financeira que possibilite atingir a liberdade financeira, o primeiro passo é entender como funciona o extrato bancário e quais insights se pode tirar ao analisá-lo.

O que é o extrato bancário?

De forma básica, o extrato bancário é o documento responsável por demonstrar todas as movimentações financeiras realizadas em sua conta, normalmente dentro de um mês, mas podendo utilizar outros intervalos de tempo.

Ele pode ser obtido a partir de alguns meios, tanto físicos como digitais:

  • Caixa eletrônico;
  • Internet banking;
  • Aplicativos;
  • Extrato impresso.

Apesar de ser, na maior parte das vezes, um extrato mensal, o cliente poderá entrar em contato com sua instituição financeira e solicitar o extrato referente a sua conta corrente de um período específico, seja ele semanal, trimestral ou, até mesmo, desde o início da conta.

Importante dizer, que ao comparar extratos de anos diferentes, o cliente poderá entender como foi a evolução ou não da sua capacidade de cortar despesas e aumentar receitas.

Assim, para que seja possível obter controle no que diz respeito as finanças pessoais, é primordial consultar de forma mensal, no mínimo, os dados, uma vez que ali estão as informações mais confiáveis a respeito do seu perfil de consumo.

Quais os tipos de extrato bancário?

Dentre os mais variados tipos de extrato bancário disponibilizados pelas instituições financeiras, tem-se basicamente três modalidades, sendo elas:

  • Comum
  • Mensal consolidado
  • Anual Consolidado

Extrato Comum 

Em relação ao extrato comum, o cliente poderá solicitar a sua instituição financeira as informações relativas as entradas e saídas de sua conta corrente de acordo com o período que achar necessário.

Extrato Mensal Consolidado

Já o extrato mensal consolidado é uma das versões do extrato mensal em que a instituição financeira disponibiliza quais foram as movimentações efetivadas dentro do mês. 

Essa modalidade de extrato é útil não só para entender como andam as suas finanças e realizar um planejamento financeiro, mas também é um excelente resumo para utilizar quando for solicitado um comprovante de renda.

Extrato Anual Consolidado

Por fim, o extrato anual consolidado tem como objetivo demonstrar ao cliente quais foram as movimentações realizadas dentro de sua conta corrente no último ano fiscal.

 Normalmente, esse é o extrato que pessoas físicas e jurídicas solicitam às instituições financeiras para a Declaração de Imposto de Renda Anual, uma vez que ele resume todas as entradas e saídas de dinheiro.

Importante reforçar, que todas essas modalidades de extrato de movimentação bancária podem ser consultadas via site (internet banking) ou aplicativo para smartphone de sua instituição financeira.

PDPE: o primeiro passo para entender proteção de dados e LGPD

EBOOK GRATUITO | PDPE: o primeiro passo para entender proteção de dados e LGPD

Baixe o ebook gratuito para saber tudo sobre a certificação PDPE e ficar por dentro dos principais pontos da LGPD!

PDPE: o primeiro passo para entender proteção de dados e LGPD

EBOOK GRATUITO | PDPE: o primeiro passo para entender proteção de dados e LGPD

O que significam as siglas e códigos que constam no extrato?

Ao consultar o extrato de movimentação bancária, é comum não entender perfeitamente as inúmeras siglas que aparecem e são utilizadas para que ocorra uma visualização mais limpa das informações.

Nesse sentido, dentre as siglas dos extratos bancários que mais aparecem nas consultas estão:

  1. C: corresponde aos créditos, isto é, a entrada de recursos na conta;
  2. D: corresponde aos débitos, valores que são descontados da conta podendo ser desde os saques até as transferências realizadas no período. Normalmente vem o sinal (-) em frente ao valor;
  3. C/C: é a sigla para denotar que a conta se caracteriza como conta corrente;
  4. C/I: é a sigla para denotar a que a conta é uma conta investimento;
  5. Dep. Ch.: representa a entrada de recursos via depósitos realizados com cheques;
  6. Dep. Dinh.: corresponde a entrada de recursos via depósitos em dinheiro;
  7. TB: são as transferências bancárias realizadas no período;
  8. TEDs, DOCs e PIX: correspondem as modalidades de transferência de recursos mais utilizadas no mercado;
  9. IOF: Imposto sobre Operações Financeiras;
  10. ENC: corresponde a qualquer encargo que foi debitado da conta;
  11. PGTO, PAG, PAGTO ou PG COBRANÇA: são as siglas que demonstram os pagamentos de boletos;
  12. DA: é o famoso débito automático, o qual pode ser utilizado para facilitar o pagamento e evitar que incidam juros por conta de atrasos.

Ainda há a possibilidade de outros dados, sendo eles as datas das movimentações e do período da análise, cadastros de emissão de Cheques sem Fundos, os quais são registrados no Banco do Brasil e tarifas mensais de serviços.

Quer trabalhar no mercado que melhor remunera e mais abriu vagas nos últimas anos? O Certifiquei oferece os melhores cursos preparatórios para você tirar a sua certificação. Confira! 

Como tirar o extrato da conta bancária?

Como o extrato permite entender como anda a organização financeira, ele é um instrumento essencial aqueles que pretendem ter noção de como estão divididos os seus gastos.

Assim, para que seja possível ter o demonstrativo das movimentações em mãos, a forma mais prática e rápida seria via aplicativo do banco ou, até mesmo, no próprio site via internet banking.

Caso não tenha acesso a um desses modos, o extrato poderá ser extraído nos ATMs, mais conhecidos como caixas eletrônicos, ou diretamente com o gerente da conta, por meio de atendimento presencial.

Como o extrato bancário pode ajudar no controle de gastos?

Dentre os inúmeros benefícios de acompanhar as movimentações financeiras via extrato bancário, a maior delas é poder comparar a evolução de receitas e despesas entre períodos diferentes.

Assim, ao realizar o acompanhamento mensal da conta corrente, é possível iniciar o planejamento financeiro, o qual possibilitará perceber quais despesas podem ser reduzidas, encontrar formas de aumentar as receitas e, consequentemente, iniciar o processo de investimento.

Ainda dentro do planejamento financeiro, acompanhar extrato de movimentação bancária permite identificar as taxas que estão sendo pagas e propor, caso possível, uma redução delas junto a instituição financeira.

Importante salientar que o extrato da conta bancária, por se tratar de um histórico de todas as transações, sejam elas a crédito ou a débito, é o principal instrumento para estimar o orçamento dos próximos períodos e, principalmente, adequar os objetivos financeiros.

Após consultar o extrato, o primeiro passo é identificar quais foram as contas do período que poderiam ser excluídas nos próximos meses, seja por serem rendas ou despesas pontuais ou despesas que não são essenciais.

Assim, ao concluir essa etapa, inicia-se a previsão de receitas e despesas para os próximos meses pautando-se nas informações coletadas. Com isso, será possível criar um plano para corte de despesas e traçar todos os objetivos financeiros.

Dentre os objetivos financeiros possíveis estão o início do planejamento de uma aposentadoria privada, a faculdade dos filhos, investimento em cursos e especializações que permitam aumentar a renda, dentre outros.

Para facilitar as análises criteriosas das despesas e receitas, é importante ter uma planilha de planejamento financeiro pessoal, para controlar o fluxo das finanças e o permitir a tomada de melhores decisões de gastos.

Extrato bancário e sigilo

Os extratos bancários dos clientes de instituições financeiras estão amparados pelo sigilo bancário, que nada mais é do que uma garantia de privacidade para as informações de cada cliente.

Dessa forma, elas devem guardar todas as informações relativas aos seus correntistas, sejam dados pessoais ou aplicações, o que garante a privacidade no que diz respeito a propriedades, bens e impostos.

Apesar disso, em casos excepcionais, poderá ser solicitada a quebra do sigilo bancário, principalmente nos casos de lavagem de dinheiro, que pode ser comprovada a partir das movimentações em conta corrente.

Como essas movimentações são registradas e consultados no extrato, é possibilitado a terceiros o acesso, mas somente em casos de indícios de crimes (lavagem de dinheiro, terrorismo e corrupção).

Assim, para que a instituição financeira libere o extrato é necessário que Ministério Público, Polícia Federal, Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) ou o Conselho de Controle de Atividade Financeira façam a solicitação.

Tem desejo de mudar de profissão e entrar para o mercado mais meritocrático do país, o financeiro? Confira agora mesmo os cursos disponíveis para você tirar a sua certificação.

Considerações Finais

Conforme exposto em todo o artigo, encontrar as informações relativas as movimentações da conta corrente são fáceis, podendo ser extraídas de diversas maneiras, sejam elas de forma física ou virtual.

Através dessas informações, será possível comprovar renda, ter um resumo de todas as receitas para realizar a Declaração Anual de Imposto de Renda, criar um histórico de evolução das receitas e despesas e, principalmente, iniciar um planejamento financeiro.

Para auxiliar na implementação do planejamento das finanças, uma planilha de gastos e receitas é indispensável, uma vez que ela permitirá perceber como evoluem os recursos e as despesas.

Após montar a planilha, deve-se preencher com as informações do extrato, para que seja possível ter noção de como andam as finanças e, a partir desses dados, começar a extrair ideias de como conquistar seus objetivos financeiros.

Assim, em resumo, se existe o desejo de reduzir despesas e criar um plano para atingir objetivos financeiros e pessoais, o primeiro passo é encontrar o extrato bancário e identificar todas as entradas e saídas de recursos.

 

 

Guilherme Almeida
Guilherme Almeida
Bacharel em Economia e Especialista em Finanças Corporativas e Mercado de Capitais pelo Ibmec-MG. Mestrando em Estatística pela UFMG, atua como professor, palestrante e porta voz das áreas de economia e finanças, tendo concedido mais de mil entrevistas para os principais meios de comunicação. Atualmente, leciona matérias ligadas à Economia e ao Mercado Financeiro em cursos preparatórios para certificações financeiras, além de ser o Economista-Chefe do departamento de Estudos Econômicos da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Minas Gerais (Fecomércio MG).

relacionadas