Free-float: saiba mais sobre este indicador financeiro

Free-float: saiba mais sobre este indicador financeiro
Share on twitter
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email

Buscar informações sobre a empresa e sua atuação no mercado financeiro é relevante para quem investe em ações, especialmente porque tal prática tem o potencial de amenizar os riscos de um investimento. Assim, quem utiliza ou deseja utilizar tal recurso, deve conhecer o free-float.

O que não é à toa, pois o free-float é um indicador que aponta diferentes informações para o investidor sobre aquele ativo, dessa forma é natural que seja utilizado por vários perfis de investidores, como, por exemplo, o investidor arrojado.

Tenha uma carreira de sucesso no mercado financeiro! Acesse o Certifiquei e descubra os principais cursos preparatórios voltados para quem busca os certificados da área. Confira!

O que é free-float

Free-float, em tradução para o português flutuação livre, é o indicador utilizado para determinar a porcentagem de ações de uma empresa de capital aberto que estão sendo negociadas na bolsa de valores.

Assim, o FF é indicativo de quantas ações de um negócio podem ser compradas ou vendidas livremente pelos investidores.

Ainda vale destacar que os títulos não negociados no mercado são de posse dos controladores, sendo que estas ações podem ser separadas detidas de quatro formas. São elas:

  1. Acionistas estratégicos e controladores;
  2. Diretoria e corpo gestor da empresa;
  3. Ação preferencial de classe especial (Golden Share);
  4. Ações em tesouraria.

Dessa forma, os títulos que não se encaixam nestes quatro contextos podem ser considerados o que fazer parte do indicador free-float.

Portanto, é útil compreender a importância deste recurso para investidor, ainda mais para aquele que deseja utilizar tal índice em uma análise de investimentos.

Importância do Free-Float para investidores

O free-float é importante para se ter um número mínimo de negociações no mercado financeiro, assim mantendo a liquidez da bolsa de valores.

Dessa forma, este tipo de negócio é de utilidade para investidores que desejam investir em ações.

Ainda vale destacar que no mercado financeiro nacional há uma maior complexidade relacionada ao mercado de renda variável, pois grande parte das ações estão concentradas em pequenas porcentagens.

Dessa forma, quando há a existência de free-float em empresas com boa avaliação, a tendência é que o processo de compra e venda do ativo seja rápido.

Além disso, a eficiência neste processo faz com que os papéis sejam convertidos em dinheiro de modo mais rápido.

A flutuação livre também interfere na precificação adequada dos títulos, afinal o volume de negociações alto auxilia neste processo de regulação do valor.

Portanto, como é possível perceber, a flutuação livre é um indicador com impacto direto na volatilidade e liquidez de um ativo.

5 passos para se inscrever na prova da ancord

EBOOK GRATUITO | 5 passos para se inscrever na prova da ANCORD

Baixe o ebook gratuito para conferir como realizar a prova de certificação ANCORD para tornar-se um Agente Autônomo de Investimentos.

5 passos para se inscrever na prova da ancord

EBOOK GRATUITO | 5 passos para se inscrever na prova da ANCORD

Volatilidade

Em suma, um free float faz com que a volatilidade seja mais baixa, pois o mesmo não estará concentrado em “poucas mãos”.

Afinal, em casos que o FF é baixo, pequenas operações já causam um impacto no preço do ativo.

Além disso, a concentração de ações faz com que qualquer decisão tomada pela gestão corporativa da empresa tenha potencial de afetar o preço dos títulos.

 Liquidez

Um FF alto indica que existem mais ações no mercado, assim este ativo terá mais liquidez.

Tal fator é importante para investidores que buscam retorno na renda variável, pois isso dá maior segurança para o investidor, especialmente aquele que tem estratégias de investimentos no longo prazo.

FF mínimo

Inicialmente, vale destacar que, em geral, não existe um free-float mínimo, isto é, as empresas não são obrigadas a negociar um montante de ações definido no mercado.

Todavia, a depender do segmento de listagem, há a possibilidade de a empresa ter que se adequar a determinada situação de acordo com o capital social.

Na bolsa brasileira este valor mínimo é de 25%, sendo que pode ocorrer nas seguintes situações:

  • Sobre o capital social de empresas de Nível 1 e Nível 2;
  • Após sete anos de listagem na Bovespa Mais e Bovespa Mais Nível 2;
  • Se a empresa for listada no Novo Mercado e tiver um volume diário de negociação acima de R$25 milhões, há uma taxação de 15% ou 25%.

Ainda vale destacar que entre as empresas que negociam mais de R$100 mil por dia no mercado financeiro brasileiro, a média do FF é de 55%.

FF ideal

Outro termo recorrente quando o assunto é free-float, é o free float ideal, isto é, a porcentagem ideal de ações que uma empresa deveria negociar no mercado.

Tal fato ganha mais peso quando é lembrado que grande parte dos indicadores fundamentalistas ganha mais força quando comparado.

Assim, com o FF, é possível se perceber alguns aspectos acerca da empresa.

Inicialmente, quanto mais próximo de 25%, isto é, o valor mínimo, mais o capital da empresa estará concentrado.

Ou seja, menor será o número de acionistas que aquele negócio possui.

Dessa forma, empresas que possuam um FF mais elevado tendem a ser mais interessantes para investidores que buscam evitar riscos.

Afinal, o free float indicará maior liquidez e menor volatilidade sobre aquele ativo.

Portanto, o investidor terá maior proteção sobre as oscilações comuns do mercado, com o potencial de crescimento no longo prazo.

Por tudo isto, alguns especialistas da área indicam que o FF ideal é de 100%, pois não haverá um controlador mantendo grande parte dos ativos e aquele negócio circula de modo mais natural na bolsa de valores.

Cuidados com o free-float

Free-float: saiba mais sobre este indicador financeiro

Como visto até aqui, o free-float é um indicador relevante para os investidores, em especial aqueles que focam suas estratégias no longo prazo.

Todavia, assim como grande dos indicadores da análise fundamentalista, este possui suas limitações.

Dessa forma, o investidor deve usar tal dado com inteligência, isto é, compreendendo que aquela amostragem não é definitiva.

Além disso, é útil combinar o FF com outros índices da empresa, sendo possível listar alguns, por exemplo:

  • Preço/lucro (P/L);
  • EBITDA;
  • Preço/Valor patrimonial (P/VPA);
  • Endividamento;
  • Taxa de juros;
  • Margem líquida;
  • Margem bruta.

A prática de combinar estes dados é relevante para se ter um retrato mais exato acerca da empresa e de seu potencial.

Ou seja, o investidor consegue ter uma noção do que esperar sobre o potencial do negócio.

Assim, aquela escolha de investimento se torna mais certeira e envolve menos riscos, dois pontos relevantes no universo dos investimentos.

Portanto, o free-float é de grande utilidade para os investidores do mercado financeiro, todavia ele ganha maior peso quando aliado a outros indicadores fundamentalistas.

Guilherme Almeida
Guilherme Almeida
Bacharel em Economia e Especialista em Finanças Corporativas e Mercado de Capitais pelo Ibmec-MG. Mestrando em Estatística pela UFMG, atua como professor, palestrante e porta voz das áreas de economia e finanças, tendo concedido mais de mil entrevistas para os principais meios de comunicação. Atualmente, leciona matérias ligadas à Economia e ao Mercado Financeiro em cursos preparatórios para certificações financeiras, além de ser o Economista-Chefe do departamento de Estudos Econômicos da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Minas Gerais (Fecomércio MG).

relacionadas