Fundos DI: saiba mais sobre esta categoria de fundo de investimento

Fundos DI: saiba mais sobre esta categoria de fundo de investimento
Share on twitter
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email

Investidores de longo prazo tendem a buscar formar uma carteira de investimentos que consiga aliar liquidez e volatilidade, isto é, conter riscos e potencializar ganhos. Assim, é importante que o investidor conheça produtos financeiros que facilitem essa estratégia, como é o caso dos fundos DI.

Isso porque os fundos DI são produtos financeiros que conseguem dar estabilidade ao investidor na questão de risco, assim se torna um ativo útil em uma carteira de investimentos diversificada. Não à toa, este é um assunto em provas de certificação para profissionais da área, como é o caso da CPA 10.

Descubra como se tornar um profissional de sucesso no mercado financeiro. Faça os cursos do Certifiquei!

O que são fundos DI

O fundo DI, ou Fundos de Renda Fixa Referenciados DI, é um tipo de fundo de investimento que deve ter no mínimo 80% do capital aplicado em produtos financeiros que representem baixo grau de risco.

Nesse sentido, é possível destacar três produtos que costumam fazer parte deste tipo de fundo. São eles:

  1. Títulos públicos federais atrelados à Selic;
  2. Ativos financeiros com baixo risco de crédito;
  3. Cotas de fundos de investimento em renda fixa.

Além disso, este tipo de fundo tende a seguir a rentabilidade do Certificado de Depósito Interbancário (CDI).

Dessa forma, é possível apontar este tipo de produto financeiro como seguro para o investidor, inclusive possibilitando um rendimento acima da inflação.

Portanto, os fundos DI são uma alternativa interessante para diferentes perfis de investidores.

Assim, torna-se importante compreender as características deste tipo de ativo financeiro.

Características dos fundos DI

É possível separar os fundos DI de acordo com as seguintes características:

  • Liquidez;
  • Tributação;
  • Garantias;
  • Taxas;
  • Aporte inicial.

Liquidez

Quem realiza investimento em fundos DI deve se atentar que este tipo de produto financeiro possui, na maior parte das vezes, liquidez diária.

Ou seja, é possível resgatar o patrimônio investido sem haver a cobrança de carências.

Dessa forma, esta se torna uma alternativa interessante em cenários de emergência.

Tributação;

Assim como ocorre em outros tipos de fundos de investimentos, a alíquota cobrada diminui ao longo de tempo.

Dessa forma, o imposto regressivo acontece da seguinte forma:

  • 22.5% sobre aplicações com prazo de até 180 dias;
  • 20% sobre aplicações com prazo entre 181 e 360 dias;
  • 17.5% sobre aplicações com prazo entre 361 e 720 dias;
  • 15% sobre aplicações com prazo acima de 720 dias;

Assim, este produto financeiro se torna interessante para investidores de longo prazo, pois o pagamento da alíquota é menor em períodos longos.

Todavia, vale destacar que este tipo de fundo também sofre pelo imposto “come-cotas”, isto é, nos meses de maio e novembro é cobrado uma alíquota de 15% sobre os rendimentos do período.

Este montante serve como um adiantamento da incidência do Imposto de Renda.

Home

Garantias

Estes fundos de renda fixa não fazem parte da garantia do Fundo Garantidor de Crédito (FGC), algo comum entre outros títulos de renda fixa, como LCI, LCA e CDB.

Ou seja, estes fundos não são cobertos pelo principal plano de garantias do mercado financeiro.

Ainda assim, existem garantias do patrimônio investido nos fundos DI em situações em que a instituição financeira responsável decrete falência.

Isto ocorre porque juridicamente o patrimônio do fundo é separado do patrimônio da instituição financeira, assim dando maior segurança para este negócio.

Contudo, é importante que o investidor pesquise sobre a instituição responsável pelo fundo antes de realizar um aporte financeiro.

Afinal, este tipo de cuidado pode fazer diferença posteriormente, especialmente na questão que envolve a proteção do capital investido.

Taxas

Assim como ocorre em outros tipos de fundos de investimentos, existe uma cobrança de taxa de administração referente aos fundos DI.

Este valor pode variar de acordo com a instituição financeira responsável pelo fundo.

Dessa forma, é aconselhável que o investidor pesquise as opções existentes no mercado e faça um comparativo.

Além disso, é útil destacar não haver a cobrança da taxa de performance para fundos DI, algo que ocorre entre outros tipos de produtos de renda fixa.

Aporte inicial

Por fim, mas não menos relevante, existe a questão envolvendo o valor do aporte inicial dos fundos DI.

Vale destacar que o fundo DI necessita de um valor inicial investido menor que outros tipos de fundos de investimentos.

Inclusive, este valor tende a variar de acordo com a instituição financeira responsável pela gestão do fundo.

Todavia, é necessário apontar que, por mais que o aporte seja baixo, o valor das taxas cobradas pela instituição financeira pode ser alto.

Portanto, é aconselhável que o investidor pesquise e analise estes dois pontos antes de optar por um fundo DI.

Além disso, aportes adicionais de valores pequenos são permitidos nos fundos DI.

Qual a melhor certificação para me tornar Consultor Financeiro

EBOOK GRATUITO | Qual a melhor certificação para me tornar Consultor Financeiro?

Baixe o ebook gratuito para conhecer as principais certificações do Mercado Financeiro e saber tudo sobre a profissão de Consultor Financeiro

Qual a melhor certificação para me tornar Consultor Financeiro

EBOOK GRATUITO | Qual a melhor certificação para me tornar Consultor Financeiro?

Vantagens e desvantagens dos fundos DI

Fundos DI: saiba mais sobre esta categoria de fundo de investimento

Tal qual grande parte dos produtos financeiros, existem vantagens e desvantagens ao se investir nos fundos DI.

Dessa forma, o investidor deve compreender estes pontos e concluir se este tipo de fundo de investimento se encaixa em seu perfil de investimentos.

Vantagens

Talvez a principal vantagem dos fundos DI seja o baixo risco que este tipo de investimento representa.

O que não é à toa, afinal, como visto, boa parte do patrimônio de um fundo de investimento deste tipo é aplicado em títulos públicos, um dos produtos mais seguros do mercado financeiro.

Além disso, a liquidez diária deste tipo de produto financeiro também é uma vantagem, especialmente para questões de emergência.

Por fim, as questões que envolvem o aporte inicial e aportes adicionais também é outro ponto a favor desta categoria de fundo.

Afinal, os valores baixos servem para democratizar este produto financeiro, inclusive tendo potencial de atrair novos investidores.

Desvantagens

Enquanto, como desvantagem, é possível iniciar destacando o fato dos fundos DI não serem cobertos pelo FGC, negócio que dá garantia de até R$250 mil por CPF.

Dessa forma, existem outros produtos de renda fixa com garantias mais interessantes que as referentes a esta categoria de fundo de investimento.

Além disso, a rentabilidade dos fundos DI pode ser encarada como uma desvantagem por alguns investidores, pois esta é limitada e tende a ser mais interessante no longo prazo.

Ainda assim, os fundos DI são alternativas interessantes para construção de uma carteira de investimentos, não à toa este é um produto financeiro que possui certo destaque na bolsa de valores.

Guilherme Almeida
Guilherme Almeida
Bacharel em Economia e Especialista em Finanças Corporativas e Mercado de Capitais pelo Ibmec-MG. Mestrando em Estatística pela UFMG, atua como professor, palestrante e porta voz das áreas de economia e finanças, tendo concedido mais de mil entrevistas para os principais meios de comunicação. Atualmente, leciona matérias ligadas à Economia e ao Mercado Financeiro em cursos preparatórios para certificações financeiras, além de ser o Economista-Chefe do departamento de Estudos Econômicos da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Minas Gerais (Fecomércio MG).

relacionadas