Índice de Sharpe: conheça este importante indicador financeiro

Índice de Sharpe: conheça este importante indicador financeiro
Share on twitter
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email

Entre os investimentos do mercado financeiro que mais se popularizaram nos últimos anos, os fundos de investimentos em geral estão em destaque. Dessa forma, entender formas de analisar estes produtos é útil, para isto existe o Índice de Sharpe.

O que não é à toa, afinal o Índice de Sharpe é um dos métodos mais utilizados para avaliar risco e retorno, sendo que esta prática serve para avaliar desde fundos referenciados, até mesmo Fundos de Investimento Imobiliário (FII).

Almeja uma carreira de sucesso no mercado financeiro? Acesse agora o Certifiquei e descubra os principais cursos preparatórios voltados para quem deseja as certificações da área. Confira!

O que é o Índice de Sharpe

Criado pelo economista norte-americano William Sharpe, o Índice de Sharpe é um método de análise utilizado para avaliar a relação entre risco e retorno de determinado investimento, isto é, é uma prática que busca medir o potencial e a volatilidade que envolve um produto do mercado financeiro.

Assim, este se torna um indicador consideravelmente útil para investidores, em especial para aqueles que trabalham com a montagem de uma carteira de fundos.

Ainda mais quando analisado que gestores de fundos de investimento podem ter propostas distintas no momento de escolher ativos para compor uma carteira.

Dessa forma, se torna necessário uma ferramenta que consiga comparar fundos distintos.

Foi neste contexto que surgiu a índice de Sharpe.

Portanto, saber calcular este indicador é útil para quem atua na área.

Como calcular

Inicialmente, vale destacar que a fórmula do Índice de Sharpe necessita de três informações. São elas:

  1. Retorno do fundo de investimento analisado;
  2. Rendimento daquele investimento sem o risco como base de comparação;
  3. Volatilidade do fundo analisado.

Dessa forma, através destas informações é chegado a seguinte fórmula:

  • IS = (retorno – rendimento livro de risco)/volatilidade

Sendo que:

  • IS = Índice de Sharpe;
  • Retorno = Retorno total que o fundo de investimento analisado possui durante determinado período;
  • Rendimento livre de risco = Taxa da aplicação com o menor risco do mercado, sendo que para este tipo de arquivo hipotético não incorre nenhum tipo de risco.
  • Volatilidade = Riscos acerca do ativo analisado e como o mesmo é exposto ao risco.

Ainda vale destacar que esta equação também é conhecida por sua versão inglesa, que no caso é:

  • SR = (Rp – Rf) / σp
Qual a melhor certificação para me tornar Consultor Financeiro

EBOOK GRATUITO | Qual a melhor certificação para me tornar Consultor Financeiro?

Baixe o ebook gratuito para conhecer as principais certificações do Mercado Financeiro e saber tudo sobre a profissão de Consultor Financeiro

Qual a melhor certificação para me tornar Consultor Financeiro

EBOOK GRATUITO | Qual a melhor certificação para me tornar Consultor Financeiro?

Importância da utilização do Índice de Sharpe

Índice de Sharpe: conheça este importante indicador financeiro

Como apontado no início do texto, os fundos de investimentos são produtos que ganham cada vez mais destaque no mercado de capitais.

Dessa forma, se expor a este tipo de ativo é algo interessante para o investidor.

Todavia, tão relevante quanto comparar o desempenho dos fundos, é entender os riscos em investimentos deste tipo.

Assim, a análise do Índice de Sharpe se torna uma ferramenta valiosa para o investidor.

Isso porque esta ferramenta é eficiente no momento de se medir a eficiência dos fundos, podendo ser determinante na escolha do investidor.

Ou seja, este é indicador é uma forma do investidor ter um retrato mais fiel acerca do potencial do fundo analisado, além, é claro, de avaliar os riscos do mesmo.

Portanto, a utilização deste índice é interessante para quem busca investir em fundos.

Contudo, assim como grande parte dos indicadores, o Índice de Sharpe possui suas limitações. Desta forma, tanto o investidor convencional, quanto o gestor de investimentos, deve buscar aliar tal método com outros, buscando chegar a um resultado mais próximo da realidade.

Guilherme Almeida
Guilherme Almeida
Bacharel em Economia e Especialista em Finanças Corporativas e Mercado de Capitais pelo Ibmec-MG. Mestrando em Estatística pela UFMG, atua como professor, palestrante e porta voz das áreas de economia e finanças, tendo concedido mais de mil entrevistas para os principais meios de comunicação. Atualmente, leciona matérias ligadas à Economia e ao Mercado Financeiro em cursos preparatórios para certificações financeiras, além de ser o Economista-Chefe do departamento de Estudos Econômicos da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Minas Gerais (Fecomércio MG).

relacionadas