Investimentos responsáveis: saiba sobre esta filosofia de investimentos

Investimentos responsáveis: saiba sobre esta filosofia de investimentos
Share on twitter
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email

Investir na bolsa de valores é um caminho interessante para quem busca obter novas formas de renda ou, até mesmo, conquistar sua independência financeira. Todavia, apenas o lucro não vem sendo o bastante, não à toa diversos perfis estão buscando causar impacto social através de seus investimentos responsáveis.

O que não é à toa, afinal os investimentos responsáveis são voltados para empresas e negócios com uma atuação que vai além de seu objetivo principal, assim causando um impacto além de suas atividades. Tal modelo de gestão tem atraído inclusive o investidor profissional.

Deseja ter uma carreira de sucesso no mercado financeiro? Acesse agora o Certifiquei e descubra os principais cursos preparatórios voltados para quem deseja as certificações da área. Confira!

O que é são os investimentos responsáveis

Em suma, os investimentos responsáveis são aqueles que analisam o impacto social, ambiental e de governança que uma empresa, isto é, este é o tipo de aporte que tem o potencial de mudar a sociedade, pois é direcionado para negócios que “fazem a diferença”.

Assim, ao realizar um investimento responsável o investidor incentiva o crescimento e a evolução de negócios que entregam coisas para sociedade em geral, não se limitando apenas aos seus serviços bases.

Dessa forma, esta é uma filosofia de investimentos que busca ganhos financeiros e, em simultâneo, sociais.

Quando analisado o contexto atual, algo que ganha ainda mais força, especialmente pelas necessidades de repensar o modelo social e as responsabilidades ecológicas.

Portanto, para entender mais sobre tal tema, é importante compreender qual conceito que a forma.

Conceito por trás dos investimentos responsáveis

investimentos-responsaveis

Tão importante quanto entender o que são os investimentos responsáveis, é saber o conceito por trás desta prática, especialmente os critérios utilizados na construção dele.

Em suma, são utilizados três pontos para definir esta prática. São eles:

  1. ESG;
  2. ODS;
  3. Acordo de Paris.

Dessa forma, é importante entender separadamente cada um destes conceitos.

ESG

Inicialmente, vale destacar o Environmental, Social and Governance, ESG, em português conhecido como “ambiental, social e governança”.

Assim como o próprio nome indica, este conceito visa analisar as práticas relacionadas à gestão, meio ambiente e sociais de uma empresa.

Ou seja, aqui é medido quais políticas um negócio utiliza para amenizar seus impactos ambientais, ao mesmo tempo que aplica políticas de desenvolvimento socioeconômico ao seu redor e utiliza modelos sustentáveis de gestão corporativa.

Dessa forma, é natural que este conceito seja relevante para investidores que priorizem investimentos responsáveis.

Afinal, empresas que apresentam ESG se tornam uma boa opção para este perfil de investidor.

Além disso, vale destacar que o “Environmental, Social and Governance” ganhou ainda mais espaço durante a pandemia de Covid-19, que teve início em 2020.

Segundo pesquisa global realizada pelo MSCI, 77% dos investidores aumentaram ou buscaram realizar aportes em empresas com boas práticas ESG.

Acompanhando este movimento, foram criados fundos ESG, que possuem como principal característica juntar empresas que possuem esta filosofia.

Neste contexto, foram criados três tipos de títulos, são eles:

  • Verde;
  • Social;
  • Sustentável.

Verde

Os títulos verdes, ou green bonds, são ativos financeiros relacionados a empresas que possuem responsabilidade com o meio ambiente, especialmente visando diminuir ou zerar o impacto que suas atividades causam no planeta.

Assim, é natural que algumas atividades ganhem destaque no meio, sendo possível destacar:

  • Trabalho com energia renovável, tanto na sua aplicação, quanto em seu desenvolvimento;
  • Prevenção, controle e amenização da poluição em todas as suas formas;
  • Conservação da biodiversidade, com investimentos e iniciativas socioeducativas;
  • Aplicação de uma cultura de preservação e respeito ecológico na filosofia da empresa.

Ainda vale destacar que estas são apenas algumas das atividades realizadas por empresas que se encaixam nas green bonds.

Dessa forma, é natural que este seja um investimento interessante para quem busca investir em negócios ativos em relação às questões ambientais.

Social

Por sua vez, os títulos sociais, ou social bonds, são relacionados a empresas que aplicam programas sociais em suas atividades.

Ou seja, são as ações referentes às empresas que atuam para causar um impacto social positivo aos seus funcionários e à população próxima ao seu local de atuação.

Entre as atividades realizadas por este tipo de empresa, é possível destacar, por exemplo:

  • Geração de empregos;
  • Segurança alimentar;
  • Criação de uma infraestrutura básica que favoreça aos funcionários da empresa;
  • Iniciativas sociais e culturais que tenham impacto de atingir funcionários e população.

Ainda existem outras atividades relacionadas às social bonds.

De todo modo, este tipo de título é interessante para quem busca investir em empresas que apresentem iniciativas que favoreçam seus funcionários e a população.

Sustentável

Por fim,  mas não menos relevante, existem os títulos de sustentabilidade, ou sustainability bonds.

Em suma, esses são títulos de empresas que aliam características das duas citadas anteriormente.

Ou seja, são ações de empresas que conseguem aliar características de “green bonds” e “social bonds”.

Dessa forma, este se torna um ativo financeiro interessante para quem busca alocar seu patrimônio em investimentos socialmente responsáveis.

ODS

Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, ou ODS, são que visam o crescimento sustentável e consciente das empresas.

Criado pela Organização das Nações Unidas, os ODS são formados por 17 atividades cujo objetivo é promover o desenvolvimento sustentável da economia de modo geral.

Entre estas iniciativas, é possível destacar alguns pontos, como, por exemplo:

  • Erradicação da pobreza;
  • Combate à fome;
  • Educação de qualidade;
  • Igualdade de gênero;
  • Combate às alterações climáticas;
  • Acesso à energia renovável.

Como é possível perceber através destes exemplos, tanto green bonds, quanto social bonds, podem ser ações que se encaixam entre as empresas que se enquadram nos ODS.

Acordo de Paris

Por fim, mas não menos relevante, há o Acordo de Paris, plano aprovado durante a COP21, que ocorreu em 2015, cujo objetivo é combater as alterações climáticas.

Dessa forma, este plano visa especialmente a emissão de carbona, não à toa elabora uma série de políticas que beneficiam empresas que diminuem ou zeram sua emissão de carbono.

Além disso, é possível destacar que o Acordo de Paris tem por meta fazer com que o aumento da temperatura da terra seja de no máximo 2°C se comparado com o período industrial.

Portanto, esta se tornou uma prática recorrente em diversas empresas green bonds.

Simultaneamente, diversos investidores que visam realizar investimentos socialmente responsáveis, priorizando empresas com políticas de combate à emissão de carbono.

A melhor forma de fazer uma transição de carreira e entrar no Mercado Financeiro

EBOOK GRATUITO | A melhor maneira de fazer uma transição de carreira e entrar no Mercado Financeiro

Baixe o ebook gratuito e saiba como fazer sua transição de carreira para o Mercado Financeiro!

A melhor forma de fazer uma transição de carreira e entrar no Mercado Financeiro

EBOOK GRATUITO | A melhor maneira de fazer uma transição de carreira e entrar no Mercado Financeiro

Investimento de impacto

Como visto até aqui, os investimentos responsáveis podem causar impacto direto na sociedade.

Todavia, é necessário alertar que este é um modelo de investimento que ainda está ganhando destaque.

Dessa forma, muitos investidores optam por este caminho mais por “modismo” do que pelo propósito.

Portanto, antes de realizar um aporte deste tipo, o investidor deve entender se este investimento de impacto.

Assim, é importante considerar os seguintes fatores:

  • Identidade da empresa e seus propósitos;
  • Comportamento de um negócio e a expectativa sobre as ações realizadas;
  • Produtos que podem fazer a diferença;
  • Ferramentas e serviços que causam impacto social e ecológico;
  • Educação e treinamento aplicados por investidores e empresas que possibilitam o investimento responsável;
  • Regulação de políticas públicas.

Ou seja, é importante que o investidor considere diferentes aspectos, caso o mesmo busque empresas que se encaixam como um investimento responsável.

Além disso, entender como tal prática pode surtir efeito no curto e médio prazo é outra consideração importante de se fazer em uma análise.

Especialmente porque iniciativas de impacto cultural e social demandam tempo, assim é importante entender se a empresa tem um projeto elaborado, e não está tentando apenas se aproveitar de um contexto favorável para aplicar estas iniciativas.

Quer se tornar um profissional de sucesso no mercado financeiro? Faça os cursos do Certifiquei!

Vantagens dos investimentos responsáveis

Investimentos responsáveis: saiba sobre esta filosofia de investimentos

Do mesmo modo que ocorre em qualquer investimento, a principal vantagem e objetivo do investimento responsável é possibilitar renda ao investidor.

Ou seja, o indivíduo deve considerar dados financeiros, gestão, setor de atuação, entre outros fatores, buscando assim obter lucro com tal iniciativa.

Contudo, nos investimentos responsáveis isso pode refletir no desenvolvimento de iniciativas que causam impacto além do mercado financeiro.

Sendo assim, é possível definir a melhoria social e os resultados no longo prazo como vantagens deste tipo de investimento.

Melhoria social

A partir do momento que empresas buscam investir em iniciativas de impacto social, é natural que isso cause um impacto geral no médio e longo prazo.

Dessa forma, a tendência é que internamente exista um bem-estar geral no negócio, o que tende a aumentar a produtividade do negócio.

Além disso, este tipo de política influencia além da empresa, seja por investimentos em atividades de impacto social ou na imagem da empresa para o público.

Fator que tem o poder tanto de atrair novos clientes, quanto de atrair novos investidores.

Portanto, empresas que buscam o bem-estar geral, tendem a ser “recompensadas” por tais políticas, seja direta ou indiretamente.

Não à toa, uma gestão de impacto busca aplicar tais medidas na rotina de um negócio.

Resultados no longo prazo

Outra vantagem a se destacar é o fato que empresas que investem em iniciativas sociais e ecológicas se valorizarão no longo prazo, especialmente porque estas serão pautas que ganharão cada vez mais destaque.

Dessa forma, buscar se posicionar como um negócio ESG pode ser um fator determinante no futuro da empresa.

Além disso, este tipo de lógica também atrai investidores de longo prazo, que buscam investir seu patrimônio em empresas de qualidade e com potencial de crescimento.

Portanto, investimentos responsáveis são úteis também na construção de uma carteira de investimentos que visa seus rendimentos ao longo do tempo.

Guilherme Almeida
Guilherme Almeida
Bacharel em Economia e Especialista em Finanças Corporativas e Mercado de Capitais pelo Ibmec-MG. Mestrando em Estatística pela UFMG, atua como professor, palestrante e porta voz das áreas de economia e finanças, tendo concedido mais de mil entrevistas para os principais meios de comunicação. Atualmente, leciona matérias ligadas à Economia e ao Mercado Financeiro em cursos preparatórios para certificações financeiras, além de ser o Economista-Chefe do departamento de Estudos Econômicos da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Minas Gerais (Fecomércio MG).

relacionadas