Ondas de Elliott: saiba tudo sobre está teoria da análise gráfica

Ondas de Elliott: saiba tudo sobre está teoria da análise gráfica
Share on twitter
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email

Existem diferentes formas de se investir no mercado financeiro, sendo que o investidor pode buscar seus ganhos no longo prazo ou no curto prazo. Para aqueles que escolhem a segunda opção, a utilização da análise técnica é indispensável, e, para esta ser efetiva, é necessário entender a teoria das Ondas de Elliott.

Isto porque as Ondas de Elliott buscam identificar padrões do mercado, assim, possibilitando ao investidor maiores ganhos. Tal teoria é relevante ao ponto de ser uma das ferramentas utilizadas por profissionais que possuem a certificação de CAIA.

O que são as Ondas de Elliott

A Onda de Elliott é uma teoria fundamentada na ideia que os valores das ações negociadas na bolsa de valores seguem determinados padrões gráficos, as ondas, sendo que um ativo se move em ciclos completos. Tais movimentos são ocasionados pela reação, ou sentimento, do mercado em relação aos ativos.

Criada na década de 30, pelo contador norte-americano Ralph Nelson Elliott, está teoria nasceu após uma ampla pesquisa.

Ralph reuniu informações sobre como o mercado de ações havia se movimentado ao longo de sete décadas, através deste estudo ele percebeu que os valores dos títulos seguiam um padrão gráfico.

Para conseguir explicar isto, o contador definiu alguns princípios que interferiam no mercado.

Assim, sugiram o princípio da Onda de Elliot.

A melhor forma de fazer uma transição de carreira e entrar no Mercado Financeiro

EBOOK GRATUITO | A melhor maneira de fazer uma transição de carreira e entrar no Mercado Financeiro

Baixe o ebook gratuito e saiba como fazer sua transição de carreira para o Mercado Financeiro!

A melhor forma de fazer uma transição de carreira e entrar no Mercado Financeiro

EBOOK GRATUITO | A melhor maneira de fazer uma transição de carreira e entrar no Mercado Financeiro

Princípios

Segundo Ralph, o valor das ações refletiu a emoção de seus compradores.

Dessa forma, ele definiu que as Ondas de Elliot possuem três princípios. São eles:

  1. Emoção;
  2. Impulsão;
  3. Subjetividade.

Emoção

Inicialmente, está teoria considera que as emoções dos compradores e vendedores interferem diretamente nos valores dos títulos negociados.

Assim, através de um grande volume, é possível colocar em forma de gráfico como estas emoções são “precificadas”.

Portanto, é possível estabelecer o preço real de um ativo, entendendo o melhor momento para se negociar aquele título, seja para comprar ou vender.

Impulsão

Segundo a teoria de Elliot, quando os investidores seguem um fluxo, eles estão refletindo sua impulsão.

Ou seja, não estão baseando suas decisões em análises técnicas sobre o que está acontecendo no mercado.

Tal fator é conhecido como “efeito manada” e “atitude manada”.

Subjetividade

Por fim, há a subjetividade entorno de um investimento, que, nada mais é, do que o somatório dos dois princípios anteriores.

Portanto, a defesa desta teoria é que a psicologia humana tem interferência direta nas oscilações que acontecem no mercado financeiro.

Através desta compreensão, as Ondas de Elliot servem para explicar o que levou a evolução e queda do preço de determinado ativo.

Tão relevante quanto entender os princípios, é a compreensão dos padrões desta teoria.

Padrões

Em suma, os padrões das Ondas de Elliott podem ser divididos da seguinte forma.

Três ondas de correção e cinco ondas de tendência, sendo que a onda de correção se movimento no sentido oposto a de tendência.

Este ciclo completo é uma forma de ilustrar que nem sempre a oscilação do mercado e as mudanças no volume de negociação indicam uma quebra no movimento de alta do negócio.

Em termos matemáticos, o ponto mais elevado desta onda, isso é, o “ponto de ouro”, é representado por aproximadamente 1,1618.

Vale destacar que está proporção é semelhante à utilizada na construção da Teoria de Fibonacci.

Assim, temos que as Ondas de Elliott e Finonacci poder se complementar na construção de uma análise gráfica sobre investimentos.

Ainda é necessário destacar que os padrões da Onda de Elliott podem se mostrar das seguintes formas:

  • Correção de zigue-zague;
  • Expansão horizontal;
  • Diagonal de finalização;
  • Triângulos.

Tais indicativos servem para identificar correções, reversões e tendências.

Além disso, vale que está análise pode ser utilizada em diferentes produtos de renda variável, como, por exemplo:

  • Commodities;
  • Câmbio;
  • Ações;
  • Índices;
  • Opções;
  • Derivativos.

Portanto, através desta abrangência, é possível perceber a importância que as Ondas de Elliott possuem dentro de uma análise gráfica.

Não à toa, é uma das ferramentas mais utilizadas entre aqueles que investem com base nesta teoria.

Todavia, para que está tenha maior utilidade, é necessário entender como aliar a teoria da Onda de Elliott com a Teoria de Dow, outro importante conceito.

Quer conquistar o CNPI? Acesse o certifiquei e descubra o curso preparatório mais completo para quem deseja possuir está certificação!

Ondas de Elliott e Teoria de Dow

Ondas de Elliott: saiba tudo sobre está teoria da análise gráfica

A Teoria de Dow e Elliott são dois conceitos relevantes para aqueles que desejam investir com objetivo de se obter retorno no curto prazo.

Dessa forma, entender as particularidades e semelhanças de cada uma tende a fazer diferença no retorno obtido.

Assim, é necessário se analisar os seguintes pontos:

  • Tendência;
  • Movimentação de preços;
  • Padrões;
  • Estratégia ao longo do tempo;
  • Manipulação de valores.

Portanto, a compreensão de como esses dois métodos se corvejem e divergem em cada um desses pontos é relevante.

Tendência

O conceito de tendência se aplica de mesma forma em ambas teorias.

Ou seja, a defesa desses métodos é que a tendência se apresenta de forma progressiva ao longo do tempo. Com destaque para suas primeiras três fases de aparição dentro um gráfico.

Movimentação de preços

Outro ponto de semelhança entre ambas é a forma em que consideração a razão e emoção dos investidores como motivo para as oscilações do mercado.

Todavia, nas Ondas de Elliott a questão da “emoção” tem um peso maior em sua construção, na comparação com a Teoria de Dow.

Padrões

Correção de zigue-zague, expansão horizontal, diagonal de finalização e triângulos, são padrões encontrados nesses dois tipos de análise técnica.

Contudo, a comparação com Fibonnacci só faz sentido junto da Onda de Elliott.

Estratégia ao longo do tempo

Como visto, as Ondas de Elliott possuem seu foco voltado para o curto prazo, porém podem ser utilizada em diferentes períodos.

Já a Teoria de Dow dá mais importância para investimentos com prazos maiores.

Manipulação de valores

A Onda de Elliott são pensadas com base nas oscilações do mercado, com isso o efeito destas não causa impacto neste tipo de análise.

Enquanto, na Teoria de Dow, as oscilações tendem a causar mais impacto com a progressão do gráfico.

De qualquer forma, tanto as Ondas de Elliott quanto a Teoria de Dow possuem impacto direto na rotina de investimentos de quem atua com base na análise gráfica. Dessa forma, é natural que este seja um tema recorrente em certificações voltadas para área, sendo que é um dos conteúdos cobrados no exame CNPI.

Guilherme Almeida
Guilherme Almeida
Bacharel em Economia e Especialista em Finanças Corporativas e Mercado de Capitais pelo Ibmec-MG. Mestrando em Estatística pela UFMG, atua como professor, palestrante e porta voz das áreas de economia e finanças, tendo concedido mais de mil entrevistas para os principais meios de comunicação. Atualmente, leciona matérias ligadas à Economia e ao Mercado Financeiro em cursos preparatórios para certificações financeiras, além de ser o Economista-Chefe do departamento de Estudos Econômicos da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Minas Gerais (Fecomércio MG).

relacionadas