Certificação CNPI: o que é e como se preparar para o exame?

cnpi
Share on twitter
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email

Para se tornar um profissional do mercado financeiro, é necessário obter algumas certificações financeiras, que tornam a atividade legal perante a lei. Uma das mais importantes, nesse contexto, é a certificação CNPI.

O CNPI serve para credenciar o profissional analista de investimentos a recomendar aplicações a terceiros. No entanto, também pode ser útil para outras áreas do setor financeiro.

  1. O que é a Certificação CNPI?
  2. Como funciona a Certificação CNPI?
  3. Onde o profissional certificado pelo CNPI pode atuar?
  4. Como funciona o exame da Certificação CNPI?
  5. Quais os requisitos para obter a Certificação CNPI?
  6. Como se preparar para a prova da Certificação CNPI?
  7. Vale a pena tirar a Certificação CNPI?

O que é a Certificação CNPI?

O CNPI, ou Certificado Nacional do Profissional de Investimentos, é um selo obrigatório pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para quem deseja exercer a função de Analista de Valores Mobiliários.

Além disso, para os profissionais que desejam desenvolver relatórios de investimentos e também se tornarem consultores também se beneficiam com o CNPI.

A Apimec (Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais) é a instituição responsável pelo desenvolvimento dessa certificação, que possui dois tipos:

  • CNPI;
  • CNPI-T;
  • CNPI-P.

Para ser certificado com o CNPI é necessário passar por um exame realizado pela Apimec Nacional, que faz parte do conselho da Association of Certified International Investment Analysts (ACCIIA).

Como funciona a Certificação CNPI?

CNPI

A certificação CNPI é obrigatória para o exercício da função de Analista de Valores Mobiliários, de acordo com a ICVM 483/2010.

Seguindo essa atividade, o profissional atua nos processos de análise, avaliação e escolha de investimentos.

Portanto, ela serve para garantir que essas funções sejam executadas com qualidade e ofereçam segurança aos investidores, a partir da certificação da capacidade técnica do profissional.

Assim, elevando os padrões dos profissionais de investimento brasileiros a níveis internacionais.

A certificação é dividida em três categorias:

CNPI

Direcionado à formação do Analista Fundamentalista, que atua na determinação de valores de um título a partir da análise e avaliação de companhias na economia.

Além disso, esse profissional também é capaz de reconhecer as diferentes características dos mais diversos produtos disponíveis no mercado.

CNPI-T

Voltado para quem deseja se tornar um Analista Técnico, sendo capaz de indicar o tipo de investimento ideal a partir do perfil de cada investidor e os riscos envolvidos em cada operação financeira.

O Analista Técnico é aquele que reconhece oportunidades de investimento a partir da leitura de padrões gráficos, gerenciamento de riscos e criação de estratégias de curto prazo.

CNPI-P

Direcionado à formação do Analista Pleno, ou seja, que trabalha de maneira fundamentalista e técnica.

Essa é a mais completa das categorias, já que habilita o profissional a exercer a análise de investimentos a partir de diversas perspectivas.

Interessado em trabalhar como analista de investimentos? A Certifiquei oferece o melhor curso preparatório para você tirar a sua certificação CNPI. Confira!

Onde o profissional certificado pelo CNPI pode atuar?

Além da análise e recomendação de investimentos em si, o profissional certificado com a CNPI também pode ser importante para profissionais de outras áreas, como:

  • Administração de Recursos;
  • Consultoria;
  • Análise e Pesquisa Financeira;
  • Investment Banking;
  • Finanças Corporativas;
  • Administração de Riquezas;
  • Relações com Investidores;
  • Vendas e Operações nos Mercados Financeiros e de Capitais.

Portanto, é possível tirar o CNPI até mesmo se você quiser ampliar seus conhecimentos e se tornar um investidor profissional.

Como funciona o exame da Certificação CNPI?

Os exames para o CNPI oferecidos pela Apimec são realizados nos Centros de Testes da FGV, distribuídos em praticamente todo o território nacional.

Para ganhar o CNPI, o candidato precisa ser aprovado nas seguintes provas:

CB – Conteúdo Brasileiro

Essa fase é comum tanto para quem deseja se tornar um analista fundamentalista quanto técnico ou pleno.

Nela, os candidatos devem realizar uma prova com 2 horas de duração que é dividida em 60 questões de múltipla escolha.

Os conteúdos cobrados são:

  1. Sistema Financeiro Nacional;
  2. Mercado de Capitais;
  3. Mercado de Renda Fixa;
  4. Conceitos Econômicos;
  5. Mercado de Derivativos;
  6. Conduta e Relacionamento;
  7. Governança Corporativa;
  8. Relações com Investidores;
  9. Vendas e Operações nos Mercados Financeiros e de Capitais.

O custo da prova é R$390 para associados Apimec e R$520 para não associados.

CG1 – Conteúdo Global 1

Essa fase é voltada apenas para quem deseja se tornar um analista fundamentalista.

O exame é aplicado durante 2 horas, com 60 questões de múltipla escolha contendo os seguintes conteúdos:

  1. Análise e Avaliação de Ações e Finanças Corporativas: 30 questões;
  2. Contabilidade Financeira e Análise de Relatórios Financeiros: 30 questões.

O custo da prova é R$520 para associados Apimec e R$695 para não associados.

CT1 – Conteúdo Técnico 1

A fase CT1 é voltada para quem deseja se tornar um analista técnico, com uma prova de 2 horas de duração com 60 questões de múltipla escolha.

Os conteúdos cobrados são:

  1. Fundamentos de Análise Técnica;
  2. Teoria de Dow;
  3. Conceito de Tendência;
  4. Figuras Gráficas;
  5. Teoria das Ondas de Elliott;
  6. Padrões de Candlestick;
  7. Indicadores;
  8. Gerenciamento de Risco;
  9. Estratégias Operacionais;
  10. Trading Systems.

O custo da prova é R$520 para associados Apimec e R$695 para não associados.

O profissional aprovado no CB e CG1 é certificado com o CNPI, sendo então considerado um Analista Fundamentalista.

Já o profissional aprovado no CB e CT1 consegue a certificação CNPI-T, sendo então um Analista Técnico.

No entanto, quem for aprovado no CB, CG1 e no CT1 é certificado com o CNPI-P, podendo fazer recomendações através de relatórios de análise fundamentalista e gráfica.

É possível se inscrever separadamente em qualquer um dos exames pelo site da FGV, em datas distintas.

Quem for aprovado em um exame possui o prazo de 12 meses para concluir outro. Após esse prazo, será preciso fazer uma nova inscrição e obter novamente a aprovação nos exames.

Vale lembrar que não é exigida nenhuma ordem de realização, possibilitando que o candidato escolha por qual exame começar, caso queira realizar os três disponíveis e se tornar um Analista Pleno.

Quais os requisitos para obter a Certificação CNPI?

Para tirar a Certificação CNPI, é preciso se inscrever no site da FGV e prestar o exame da Apimec em um dos centros de teste da Fundação.

No entanto, é preciso que o candidato tenha nível superior completo, em qualquer área, para fazer o exame.

O comprovante é exigido no momento de credenciamento, possibilitando que o candidato complete o curso dentro de um prazo de até 24 meses.

Isso porque o exame pode ser realizado em até 12 meses e, após a aprovação, a requisição do certificado pode ser feita em até 12 meses, com o envio dos documentos necessários.

Como se preparar para a prova da Certificação CNPI?

Passar na prova do CNPI pode ser um desafio, já que os conteúdos cobrados são extensos e exigem muito tempo de estudo para um resultado positivo.

No entanto, existem algumas estratégias que podem ajudar aqueles que desejam obter a certificação e se qualificar profissionalmente.

Confira algumas dicas para estudar para o exame CNPI:

1. Faça revisões do conteúdo

Revisar conteúdos novos é fundamental para que o nosso cérebro perceba a importância do registro de todas as informações recentes.

Para isso, você pode recorrer aos famosos mapas mentais ou aos tradicionais resumos escritos.

O importante, antes de tudo, é registrar e revisar o conteúdo das provas do CNPI no formato mais confortável e prático para você.

Intensifique os estudos próximo à data da prova

Mesmo que os conteúdos sejam bastante variados, não é preciso tanto tempo assim para se preparar para o exame da certificação CNPI.

Na verdade, espaçar demais os estudos faz com que o risco de esquecer partes do que foi estudado aumente.

Portanto, crie uma rotina constante e compacta de estudos que seja realista com seu tempo disponível após suas atividades diárias.

Assim, você economizará tempo e se sentirá mais motivado para estudar todos os dias.

3. Priorize os tópicos mais fáceis

Um erro comum ao estudar para exames é focar naquilo que você tem mais dificuldade e deixar de lado os assuntos com maior domínio, achando que isso vai ajudar.

Ao contrário do que parece, isso prejudica bastante seus resultados na prova, já que não é preciso acertar todas as questões.

Portanto, garanta excelência naquilo que você já possui facilidade e, só então, passe para os conteúdos mais difíceis.

Assim, mesmo que você não acerte tudo, terá acertos suficientes para obter a certificação.

4. Busque por cursos e materiais preparatórios

Para quem possui pouco tempo para estudar, montar uma estratégia sozinho pode ser um grande desafio.

Como alternativa a isso, existem algumas opções de cursos preparatórios, como o curso de CNPI oferecido pela Certifiquei.

Nele, oferecemos conteúdos de acordo com o que é cobrado na prova de maneira estrategicamente estruturada — tornando assim o seu estudo mais eficiente.

Quer tirar sua certificação CNPI? Confira o curso da Certifiquei e se prepare para o exame com o suporte dos melhores profissionais do mercado.

5. Refaça provas anteriores

Uma das melhores estratégias para estudar para provas é utilizar versões anteriores do exame.

Isso ajuda o candidato a se acostumar com o estilo da prova, seja com o formato das questões ou com o tempo de realização.

Além disso, demonstra quais conteúdos são priorizados ou não dentro do exame.

Vale destacar que existem alguns sites que disponibilizam a resolução dessas questões, para que você possa comparar com suas respostas.

Vale a pena tirar a Certificação CNPI?

A Certificação CNPI é importante para os profissionais que atuam em processos de decisão de investimentos.

Com ela, além de obterem um melhor conhecimento técnico, os profissionais também ganham mais credibilidade para atuar no mercado financeiro.

Isso porque eles são submetidos a um Código de Ética e Padrões de Conduta Profissional que oferece garantias aos investidores que sigam suas orientações.

Assim, quem tira o CNPI consegue atuar não só como Analista de Investimentos, mas em quaisquer outras áreas que os conteúdos do exame abranjam.

Guilherme Almeida
Guilherme Almeida
Bacharel em Economia e Especialista em Finanças Corporativas e Mercado de Capitais pelo Ibmec-MG. Mestrando em Estatística pela UFMG, atua como professor, palestrante e porta voz das áreas de economia e finanças, tendo concedido mais de mil entrevistas para os principais meios de comunicação. Atualmente, leciona matérias ligadas à Economia e ao Mercado Financeiro em cursos preparatórios para certificações financeiras, além de ser o Economista-Chefe do departamento de Estudos Econômicos da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Minas Gerais (Fecomércio MG).

relacionadas