Gestão de riscos financeiros prevê e analisa riscos

Gestão de Riscos Financeiros
Share on twitter
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email

A gestão de riscos financeiros é um aspecto que precisa de uma atenção diferenciada. Afinal, é essencial para evitar impactos negativos no fluxo de caixa e resultados financeiros de uma empresa.

Em suma, a gestão de riscos financeiros precisa ser feita de maneira assertiva e atenta. Como a intenção é manter o negócio sadio, eliminar os riscos e implementar é fundamental.

O que é gestão de riscos financeiros?

Gestão de riscos financeiros é um procedimento que tem como objetivo gerenciar as finanças de uma empresa. Dessa maneira, consegue detectar possíveis e perigosas ameaças.

Afinal, é comum que uma empresa esteja suscetível aos riscos financeiros, já que o mercado pode se mostrar instável às vezes. Ainda assim, a gestão de riscos analisa diversos pontos.

Para isso, utiliza-se de estatísticas e dados de suma importância. Isso porque tais dados conseguem mapear os acontecimentos que podem estar gerando ou gerarão prejuízos na corporação.

Além disso, o gerenciamento de riscos financeiros também é uma forma muito eficaz de saber como conscientizar a equipe. Acontece que, muitas vezes, alguns prejuízos podem estar vindo de questões inimagináveis.

É importante ressaltar que o risco indica que algo negativo pode acontecer a algo. Nesse caso, à saúde financeira da empresa.

Logo, o problema precisa ser repassado para todas as pessoas que estão, de certa forma, envolvidas nele. A intenção é contar com a cooperação de todos e garantir ótimos resultados.

Qual a importância de uma gestão de riscos financeiros?

A gestão de riscos no mercado financeiro é uma das formas mais simples e efetivas de descobrir possíveis furos da empresa. Assim, faz com que os impactos sejam previstos e reduzidos.

Como se trata, inclusive, de uma medida gerencial, consegue preparar a empresa para qualquer situação. Isso, logicamente, é algo extremamente atrativo e necessário.

Além do mais, pode ocorrer de nem sempre a culpa se dar pela oscilação do mercado. Ou seja, muitas vezes, a gestão de riscos financeiros salva a empresa de um suicídio.

Dependendo da situação, a corporação está sofrendo com perdas financeiras difíceis de identificar. Nesse momento, descobre-se que o maior problema estava, de fato, nos donos.

Afinal, não são todos que possuem o discernimento de separar as contas da empresa e as contas pessoais. Assim como também não separam o dinheiro da empresa e seus salários.

Nessas questões, a gestão de riscos financeiros também pode ajudar de forma muito participativa. Logicamente, é preciso seguir algumas estratégias e passos para implementá-la de forma correta.

Como fazer a gestão de riscos financeiros corretamente

Primeiramente, é preciso que o profissional da gestão de riscos financeiros tenha pleno conhecimento sobre o assunto. Afinal, é necessário um indivíduo capacitado para que ocorra a implementação.

Em seguida, pode-se dar início ao passo a passo. No entanto, todo e qualquer procedimento dentro da gestão de riscos financeiros precisa de planejamento.

Dessa maneira, nada pode ser feito sem a devida estratégia, sem pensar e sem calcular os efeitos que tal decisão poderá causar. Portanto, uma equipe preparada e a comunicação entre todos é fundamental.

Quer trabalhar no mercado financeiro e atuar como gestor? O Certifiquei oferece os melhores cursos preparatórios para você tirar a sua certificação. Confira!

1. Identifique e analise os riscos

Analisar os riscos engloba uma série de ações. Logo, o primeiro passo vai muito além de somente identificar os riscos, pois exige grande concentração e seriedade da equipe.

Na hora de realizar a análise de risco financeiro, é preciso ir mais a fundo.

Em suma, as empresas possuem tipos de riscos financeiros diferentes, bem como gravidades que divergem entre si. Entre os tipos de riscos, podem ser citados:

  • risco de crédito;
  • risco de mercado;
  • o risco de liquidez;
  • risco operacional;
  • risco de taxa de juros;
  • o risco cambial.

Após identificá-los, é preciso saber qual a gravidade e a probabilidade que cada um deles apresenta.

2. Determine e implemente estratégias

Após a devida identificação dos riscos, é preciso determinar e implementar as estratégias escolhidas. Em relação às estratégias, cada empresa possui uma.

Logo, não existe uma regra que diz que determinada estratégia terá um efeito melhor para todos. Afinal, o cotidiano financeiro sempre diverge de uma empresa para outra.

Logicamente, tais estratégias não serão pensadas e executadas sozinhas. É preciso ter profissionais capacitados e ideias inovadoras para mitigar os riscos.

De fato, muitas vezes tais estratégias podem ser mais simples do que se imagina. Ou seja, o empresário pode se surpreender ao saber que a melhor estratégia é a organização de alguns setores da empresa e conscientização dos funcionários, por exemplo.

3. Monitoramento e refinamento

Após colocar as estratégias em prática, é comum que a equipe responsável esteja acompanhando devidamente o progresso ou regresso de cada estratégia. É importante ressaltar, inclusive, que tudo deve ser feito de maneira rigorosa.

Esse momento é indispensável, já que é possível verificar se as ideias implementadas estão, de fato, surtindo resultado. Se não for esse o caso, pode-se realizar um refinamento.

4. Comunicação

Não há formas de fazer uma gestão de riscos financeiros efetiva sem haver uma comunicação adequada entre a equipe. Isso deve ocorrer em todas as etapas.

Ademais, a diretoria da empresa deve ser mantida devidamente informada durante todo o processo, já que são as únicas pessoas que poderão tomar alguma atitude diferente juntamente aos gestores financeiros.

Dentro da comunicação, é possível também incluir os funcionários da empresa. Afinal, é muito importante que eles saibam o que está acontecendo e saibam como ajudar.

Principais causadores de falhas financeiras nas empresas

É comum que a gestão de riscos financeiros identifique que as causas dos problemas vão além de falta de público, oscilações de mercado etc. Muitas vezes, o despreparo é um dos principais motivos.

Ou seja, é comum encontrar empresas que trabalham com ótimas técnicas, mas não possuem conhecimento sobre o mercado e nem como reduzir seus gastos. Outras, inclusive, simplesmente deixam de lado os aspectos financeiros.

Entretanto, é de suma importância contar com uma equipe capacitada, mas também estudar sobre o mercado e ter planejamentos e estratégias para encará-lo. Assim, o risco será menor.

De qualquer forma, a gestão de riscos financeiros se faz presente em todas as empresas que buscam ter saúde em suas finanças.

Guilherme Almeida
Guilherme Almeida
Bacharel em Economia e Especialista em Finanças Corporativas e Mercado de Capitais pelo Ibmec-MG. Mestrando em Estatística pela UFMG, atua como professor, palestrante e porta voz das áreas de economia e finanças, tendo concedido mais de mil entrevistas para os principais meios de comunicação. Atualmente, leciona matérias ligadas à Economia e ao Mercado Financeiro em cursos preparatórios para certificações financeiras, além de ser o Economista-Chefe do departamento de Estudos Econômicos da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Minas Gerais (Fecomércio MG).

relacionadas