Os princípios éticos do AAI: saiba mais sobre estas características

Os princípios éticos do AAI: saiba mais sobre estas características
Share on twitter
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email

Entre as profissões do mercado financeiro, talvez o Agente Autônomo de Investimentos esteja entre as que a relação com investidor seja mais direta, pois, entre outras coisas, este profissional é o intermediador entre o investidor e a bolsa. Assim, é natural que tal relação seja complexa, ao ponto de existir uma cartilha sobre os princípios éticos do AAI.

Isso porque as funções deste profissional vão além da realização de compra de ativos financeiros, assim os princípios éticos do AAI são formas da ANCORD manter a relação entre profissional e cliente em um ponto correto para ambas as partes.


Tenha uma carreira de sucesso no mercado financeiro! Acesse agora o Certifiquei e descubra os principais cursos preparatórios voltados para quem deseja as certificações da área. Confira!

 O que são os princípios éticos do AAI

Os princípios éticos do código de conduta de Agente Autônomo de Investimentos são princípios que a Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários, Câmbio e Mercadorias cobra dos profissionais que atuam como AAI ao longo de sua jornada de trabalho.

Dessa forma, esta cartilha tem como fundamento preparar e aprimorar a capacidade de relação do profissional com os clientes.

Algo que ganha ainda mais relevância quando considerado que as funções exercidas por este profissional vão além da realização de operações.

Por exemplo, é comum que o agente autônomo realize as seguintes atividades:

  • Apresentar a bolsa de valores e os conceitos existentes na mesma;
  • Participar da construção da educação financeira de um investidor;
  • Auxiliar na construção do perfil de investidor do cliente;
  • Montagem e indicações de investimentos que podem fazer parte da carteira de investimentos do cliente.

Ou seja, o profissional que exerce tal função tem um papel complexo na intermediação entre a relação entre o investidor e a bolsa de valores.

Assim, é natural que este seja um dos temas cobrados na certificação para o AAI da ANCORD.

Portanto, é útil conhecer os princípios que caem na prova da ANCORD.

Quais são os princípios éticos do AAI

Os princípios éticos do AAI: saiba mais sobre estas características

Como visto até aqui, os princípios éticos do AAI são temas relevantes tanto para a aprovação na certificação, quanto para a vida de um profissional desta área.

Assim, é útil conhecer os 7 princípios básicos para o agente autônomo, que, no caso são:

  1. Integridade;
  2. Competência;
  3. Profissionalismo;
  4. Confidencialidade;
  5. Probidade;
  6. Diligência;
  7. Conhecimento do cliente.

Dessa forma, é importante conhecer cada um destes princípios que servem para nortear as atividades de um AAI.

Integridade

Inicialmente, vale destacar que um dos princípios que deve reger a função do AAI é a integridade, pois esta é uma peça fundamental na relação entre profissional e cliente.

Afinal, é fundamental que o investidor que recorra aos serviços do agente autônomo tenha confiança tanto nas capacidades do profissional, quanto na ética do mesmo.

Isso porque o AAI lida diretamente com o patrimônio do seu cliente.

Além disso, este profissional também é “depositado” os objetivos do investidor, incluindo o sonho de conquistar a independência financeira.

Dessa forma, é importante que o profissional preze por valores como honestidade, sinceridade e transparência no trato com seus clientes.

Caso contrário, as chances de não ter uma relação íntegra com o mesmo não seriam possíveis, fazendo com que o investidor busque outra alternativa para que o profissional perca sua credibilidade no mercado.

5 motivos para se tornar um Agente Autônomo de Investimentos

EBOOK GRATUITO | 5 motivos para se tornar um Agente Autônomo de Investimentos

Baixe o ebook gratuito e descubra as vantagens de ser um Agente Autônomo de Investimentos

5 motivos para se tornar um Agente Autônomo de Investimentos

EBOOK GRATUITO | 5 motivos para se tornar um Agente Autônomo de Investimentos

Competência

Tão relevante quanto ser íntegro na relação com o cliente, é seu competente em sua atuação, isto é, o profissional deve ter competência para atuar como AAI.

Afinal, o mercado financeiro é complexo, tendo uma série de estratégias que visam rentabilidade, podendo esta ser a curto ou longo prazo.

Outro ponto a se destacar é o risco existente na bolsa de valores, algo que faz com que muitas pessoas evitem o segmento.

Dessa forma, é importante que o agente autônomo mostre que tenha conhecimento sobre a área, entenda sobres as possibilidades e riscos de cada investimento, sendo que tais pontos podem ser determinantes para convencer alguém a iniciar uma jornada de investimentos.

Profissionalismo

A credibilidade é um dos principais “ativos” na profissão de AAI, o que faz com que o profissionalismo seja indispensável.

Por exemplo, é importante que antes de tomar uma decisão, o profissional avalie como tal medida pode repercutir.

Assim, tratar clientes de forma respeitosa, tendo paciência e sendo didática são pontos relevantes para quem busca atuar na área.

Por fim, vale reforçar que manter uma relação profissional com o cliente ainda é outro aspecto importante, isto é, a prática de emprestar ou pegar dinheiro emprestado do investidor deve ser evitada.

Confidencialidade

O AAI lida com diversas informações relevantes em sua rotina de trabalho, pois trata diretamente com o patrimônio e as escolhas de terceiros.

Portanto, a confidencialidade acerca das informações do cliente é um passo importante para quem deseja seguir carreira de agente autônomo.

Ou seja, não revelar dados, escolhas, informações pessoais sobre os clientes é algo que o AAI deve ter consciência.

A única exceção para tal regra é em situações que envolvam decisões judiciais.

Probidade

O princípio da probidade parte da ideia que o AAI atua de maneira íntegra. Assim, não há conflitos de interesse em suas atividades como agente autônomo.

Dessa forma, o profissional age com imparcialidade no momento de lidar com o patrimônio de seus clientes, prezando sempre pelo perfil de investimentos e objetivos que o mesmo tem.

Além disso, é importante segregar o patrimônio próprio do patrimônio do investidor, não misturando o interesse de ambos e entendendo as particularidades de cada proposta.

Diligência

O Agente Autônomo de Investimentos deve atuar com diligência, isto é, ter o cuidado de exercer suas atividades de forma adequada, respeitando sua profissão.

Assim, respeitar prazos, estar à disposição, realizar os serviços de forma eficiente e cuidados, são práticas indispensáveis para um AAI.

Além disso, o agente autônomo também deve entender que é responsável pelos dados do cliente, sendo parte do seu serviço atualizar tais informações.

Conhecimento do cliente

Por fim, mas não menos relevante, o conhecimento do cliente é outro passo importante para um AAI que deseja exercer a função de modo correto.

Assim, o profissional deve buscar informações sobre o histórico do cliente, seu perfil, seus objetivos, sua aceitação ao risco.

Ou seja, o conhecimento de cada um dos

Não à toa esta é uma das características mais relevantes entres os princípios éticos do AAI, impactando diretamente na carreira do Agente Autônomo de Investimentos.

Guilherme Almeida
Guilherme Almeida
Bacharel em Economia e Especialista em Finanças Corporativas e Mercado de Capitais pelo Ibmec-MG. Mestrando em Estatística pela UFMG, atua como professor, palestrante e porta voz das áreas de economia e finanças, tendo concedido mais de mil entrevistas para os principais meios de comunicação. Atualmente, leciona matérias ligadas à Economia e ao Mercado Financeiro em cursos preparatórios para certificações financeiras, além de ser o Economista-Chefe do departamento de Estudos Econômicos da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Minas Gerais (Fecomércio MG).

relacionadas