Gestão Patrimonial: entenda a importância no processo de evolução patrimonial

gestao-patrimonial
Share on twitter
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email

Investir e controlar as finanças pessoais tende a ficar mais complexo quanto maior é o patrimônio de uma pessoa ou empresa. Por esse motivo, o serviço de gestão patrimonial é altamente demandado, uma vez que com ele o investidor não precisa se preocupar com todas as questões ligadas a gestão dos seus recursos.

Nesse sentido, a gestão patrimonial¸ principalmente aquela ofertada por empresas de wealth management e Family office, possibilita maior tranquilidade aos investidores, que possuem uma equipe multidisciplinar de assessoria atuando para proteger, crescer e perpetuar seu patrimônio.

O que é gestão patrimonial?

A gestão patrimonial é um modelo de consultoria no qual um especialista de mercado, que por força de lei deve possuir certificação que o habilite a exercer essa função, administra os bens dos indivíduos e, em alguns casos, de famílias.

Esse modelo de consultoria é conhecido internacionalmente como wealth management, e oferece aos seus clientes desde o planejamento até a gestão ativa dos recursos (bens, direitos e passivos), sempre com foco na proteção do patrimônio e na sua evolução via investimentos.

Nesse sentido, o serviço de gestão patrimonial tende a ser demandado pelos indivíduos que se enquadram no perfil de alta renda e que não dispõem de tempo para realizar o gerenciamento de seus recursos.

Para o caso de empresas, a gestão do patrimônio é ainda mais sensível, uma vez que ela tende a demonstrar transparência aos denominados stakeholder.

Para que serve a gestão patrimonial?

O objetivo central da gestão patrimonial e a gestão eficiente dos recursos de famílias, pessoas e empresas que não possuem o conhecimento necessário para realizar de forma autônoma a alocação dos recursos, visando a sua manutenção e crescimento.

Nesse sentido, o serviço de gestão de patrimônio visa concentrar em apenas um local todas as demandas financeiras, tributárias e jurídicas, contando com uma equipe multidisciplinar.

De forma geral, as equipes de grandes gestoras patrimoniais são compostas por Gestores de Investimento, os quais devem possuir certificação CGA, Planejadores Financeiros, que necessariamente devem ter a certificação CFP®, bem como economistas, contadores e advogados.

Quais são as vantagens e desvantagens da gestão patrimonial?

O serviço de wealth management, pode ser demandando tanto por empresas quanto por pessoas físicas. Desse modo, é necessário entender quais são as vantagens e desvantagens para cada um desses públicos.

No caso das empresas, as principais vantagens são uma melhor previsão da matriz de custos, uma redução dos gastos e da depreciação.

Além disso, as empresas que realizam a gestão de seu patrimônio apresentam as seguintes vantagens:

  1. Confecção de balanços aderentes as necessidades de cada negócio e família, auxiliando no momento de tomar decisões;
  2. No caso das empresas, ao realizar a gestão patrimonial ela passa a entender quanto realmente vale, isto é, fica mais fácil realizar o valuation da empresa;
  3. Auxilia na hora de tomar decisões, evitando que a empresa e as famílias optem por investimentos desnecessários;
  4. Possibilita uma melhor percepção de risco ao qual o patrimônio está exposto.

Por esses motivos, as empresas que não realizam a gestão do patrimônio passam uma impressão ruim sobre a sua estrutura, além de impossibilitar que as frentes que tomam decisões não tenham insumos para pautarem as escolhas de investimento.

Adentrando as vantagens para as pessoas físicas, tem-se:

  1. Redução de gastos e acesso a ativos financeiros alinhados com o perfil de investidor de cada cliente;
  2. A gestão do portfólio de investimentos é realizada por um profissional certificado e que possui um elevado nível de qualificação;
  3. Existe uma reavaliação, isto é, um rebalanceamento da carteira de forma periódica, sempre levando em consideração a relação entre risco e retorno;
  4. Acesso a uma gestão que passa desde a criação de uma carteira de investimentos até a assessoria fiscal (contabilidade) e jurídica.

Importante frisar, que para as pessoas físicas, não realizar a gestão patrimonial implica em possíveis quedas no valor do patrimônio, tomada de riscos desnecessários e uma alocação pouco eficiente dos recursos, o que impacta de forma direta a rentabilidade do patrimônio.

Por isso, para aqueles indivíduos que possuem elevado capital, a procura pelo serviço de gestão de patrimônio é a melhor saída para a obtenção de uma carteira que busca crescer de forma sustentável.

Quais são os tipos de gestão patrimonial?

Existe, no mercado, um leque de opções para quem deseja realizar a gestão de seu patrimônio, sendo os mais conhecidos o serviço oferecido por bancos e por wealth management.

Entretanto, existem as seguintes possibilidades para o investidor contratar serviços de gestão de patrimônio:

  • Bancos e consultores de investimento;
  • Wealth management e private banking;
  • Consultorias empresariais;
  • Family Office.

Bancos e consultores de investimento

A primeira alternativa aqueles que desejam investir seus recursos é buscar por um banco ou uma corretora de investimentos.

Porém, como grande parte do atendimento não apresenta exclusividade, para aqueles que possuem um montante de recursos elevados pode ser que o atendimento não seja satisfatório, uma vez que eles demandam maior atenção.

Nesse sentido, buscar por áreas private dos grandes bancos é uma alternativa, mas da mesma forma, o atendimento ainda será geral, tendo apenas um aumento na atenção dos gerentes.

Uma alternativa a esse atendimento é a busca por profissionais que realizam, de forma autônoma, consultorias de investimentos. Esses profissionais devem possuir, no mínimo, a Certificação de Especialista de Investimentos, CEA, da Anbima e registro na CVM.

A grande vantagem de contratar esse serviço é a possibilidade de isenção no que versam os produtos que o consultor irá alocar o patrimônio, uma vez que ele não está preso a nenhuma instituição financeira.

Quer migrar para o mercado de capitais e se tornar um consultor de investimentos? Acesse nosso curso CEA!!

Wealth management

Aqui, adentramos ao serviço especializado de gestão de patrimônio, uma vez que ele foca não só na alocação dos recursos, mas também em toda a parte da administração dos recursos e das despesas.

Por esse motivo, para aqueles investidores que possuem um patrimônio elevado e não dispõem de conhecimento e tempo para gerenciá-lo, o serviço de Wealth management é o mais assertivo, uma vez que ele já foi criado para esse perfil de investidor.

Dessa forma, ao contratar esse serviço, o investidor conta com a manutenção, a administração e valorização de seu patrimônio financeiro.

O grande diferencial do serviço de gestão patrimonial é o entendimento por parte dos gestores sobre questões como o mercado imobiliário, tributos, legislação, conhecimento sobre os produtos financeiros e todo o impacto que esses quesitos podem gerar ao patrimônio do cliente.

Portanto, ao contratar uma Wealth management, o investidor está exposto a uma equipe com foco na proteção, crescimento e perpetuação de seu patrimônio.

Consultorias empresariais

Até aqui, abordou-se apenas as formas de gestão patrimonial voltadas as pessoas físicas, porém o serviço é altamente demandado por empresas, muitas delas familiares.

Nesse sentido, para aqueles gestores que buscam melhorar a gestão do patrimônio de suas empresas, contar com o apoio de gestores focados em pessoa jurídica é primordial.

Para que a empresa possa contratar uma gestora de patrimônio aderente aos seus desejos, será necessário definir quais os objetivos, tanto estratégicos quanto patrimoniais e buscar por empresas consolidas no mercado.

Family Office

gestao-patrimonial

O serviço de Family office é o mais indicado para famílias com patrimônio elevado, mas que não possuem necessariamente uma empresa.

Assim, o Family Office tem por objetivo realizar investimentos, analisar o patrimônio, realizar o planejamento tributário e sucessório e, claro, levantar quais os melhores produtos para compor o portfólio da família.

Geralmente, ao adotar esse tipo de serviço, é criado um fundo restrito, ou seja, um fundo onde a quantidade de participantes que podem participar é limitada e, de modo geral, busca atender famílias, grupos de amigos ou até mesmo grupos de funcionários.

Por ser restrito, esse fundo só aceitará a participação dos familiares, o que permite que a gestão dos recursos se torne mais simples e, por conta de todas as demonstrações que o fundo deve prestar, seja mais transparente a todos os familiares.

Considerações Finais

Todo o dispêndio de tempo e conhecimento utilizados para acumular capital durante a vida não pode ser negligenciado, por isso possuir uma assessoria para realização de uma gestão de todo o patrimônio conquistado é essencial.

Com isso, e conforme discutido no decorrer do artigo, procurar serviços de Wealth management ou até mesmo um Family office para constituir um fundo restrito são excelentes alternativas para que pessoas físicas e empresas possam manter e, até mesmo, multiplicar o patrimônio conquistado até então.

Assim, além de permitir multiplicar o patrimônio, esses serviços possibilitam tranquilidade desde a escolha dos ativos que vão compor a carteira até a parte jurídica e tributária intrínseca ao processo de sucessão patrimonial.

Portanto, contando com o auxílio de profissionais certificados e com experiência de mercado, será possível garantir uma vida mais confortável, sem preocupações com as decisões de investimento.

Dessa forma, optar pela contratação de uma empresa para realizar a gestão patrimonial é o primeiro passo que investidores individuais e famílias com muito recurso devem buscar.

Guilherme Almeida
Guilherme Almeida
Bacharel em Economia e Especialista em Finanças Corporativas e Mercado de Capitais pelo Ibmec-MG. Mestrando em Estatística pela UFMG, atua como professor, palestrante e porta voz das áreas de economia e finanças, tendo concedido mais de mil entrevistas para os principais meios de comunicação. Atualmente, leciona matérias ligadas à Economia e ao Mercado Financeiro em cursos preparatórios para certificações financeiras, além de ser o Economista-Chefe do departamento de Estudos Econômicos da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Minas Gerais (Fecomércio MG).

relacionadas