Juros compostos: saiba tudo sobre esse importante cálculo

JUROS COMPOSTOS: saiba tudo sobre esse importante cálculo
Share on twitter
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email

Um dos principais pontos da economia é: seu impacto abrange profissionais da área, pessoas que buscam investir e a população em geral. Portanto, entender como funcionam juros compostos, impostos, inflação, dívida, investimentos, e todas outras vertentes do mercado é essencial para todos.

Todavia, por vezes assuntos que têm o peso de juros compostos parecem ficar restritos a pessoas que atuam na área econômica. Por isso, é preciso disseminar cada vez mais os significados e impactos de cada relação comercial, mostrando que tem importância tanto para o profissional , quanto para a parcela da população que não trabalha diretamente com finanças.

O que são juros compostos?

Juros compostos: saiba tudo sobre esse importante cálculo

Os juros compostos são uma forma de rendimento no qual o valor é acrescido sobre o montante que já foi acumulado, isso é, os juros incidem sobre os juros acumulados, e não apenas no valor inicial.

Como resultado, o valor final do negócio é potencializado. Não à toa, esse tipo de negociação financeira também é conhecida como “juros sobre juros” e “capitalização acumulada“.

Ainda que parte da população não conheça sua aplicação exata, essa modalidade está presente no cotidiano de todos os brasileiros.

Afinal, os juros sobre juros são utilizados especialmente em transações comerciais e financeiras.

Portanto, é de extrema importância o entendimento sobre para que servem os juros de capitalização acumulada.

Trabalhe no mercado financeiro! Acesse o Certifiquei e descubra os principais cursos preparatórios voltados para quem busca os certificados da área. Confira!

Para que servem os juros sobre juros

Como apontado, os juros compostos são relevantes de diferentes formas para a economia do país.

Essa matemática financeira é utilizada especialmente para direcionar e limitar determinadas negociações, das quais pode-se citar três:

  1. empréstimos bancários;
  2. dívidas com instituições financeira por meio de financiamentos;
  3. investimentos em determinados ativos do mercado financeiro.

Assim, essa modalidade financeira pode ter papéis diferentes, sendo que a aplicabilidade dela será relacionada ao que busca e afeta a pessoa.

Além disso, a capitalização acumulada pode ser aplicada em contextos específicos, nos quais as formas em que elas são executadas variam de acordo com o objetivo.

Quando são utilizados os juros sobre juros

Esse tipo de juro é de extrema importância para economia, indo desde o pagamento de contas fixas, como luz, até investimentos em ações da bolsa de valores.

Dessa forma, faz-se necessário uma atenção maior nos momentos em que eles são aplicados, afinal o resultado financeiro pode ser tanto positivo, quanto desastroso.

Portanto, vamos destacar três cálculos de rotina em que eles estão presentes:

Empréstimos

Grande parte das instituições financeiras têm os juros sobre juros incluídos na matemática financeira de seus empréstimos.

Ou seja, o cálculo dos juros compostos fazem parte do valor que é emprestado por essas empresas.

Assim, o valor final que o credor deve pagar não será relacionado ao montante inicial, mas sim ao rendimento que os juros sobre juros tiveram durante o período de empréstimo.

Contas

Buscando garantir que os compromissos sejam quitados na data prevista, a matemática financeira por trás da capitalização acumulada é utilizada nos contratos.

Ou seja, as multas por atraso são calculadas com base nos juros compostos. O que ocasiona o seguinte resultado: quanto maior o atraso, maior será o valor a ser pago.

Entre os exemplos de contas que possuem esse funcionamento, pode-se citar contas de:

  • Luz;
  • Internet;
  • Telefone;
  • Prestações de automóveis;
  • Condomínio;
  • Água;
  • Gás.

Assim, a atenção em relação às datas de vencimentos de contas se faz fundamental na educação financeira do brasileiro.

Investimentos

Os juros compostos não são associados apenas a perdas e prejuízos, também é possível ter ganhos através deles.

Isso porque investimentos no mercado financeiro, especialmente em renda fixa, também utilizam essa modalidade em sua base de cálculos.

Entre investimentos que aplicam a capitalização acumulada, estão:

  • Certificados de Depósito Bancário (CDB);
  • Títulos de Tesouro Direto;
  • Letra do Crédito Imobiliários (LCI);
  • Letra de Crédito do Agronegócio (LCA).

Entre outros tipos de títulos de renda fixa.

Além de onde ele é aplicado, também é necessário destacar que existem diferenças entre os juros sobre juros e os juros simples.

Juros compostos x juros simples

Uma das “confusões” mais comuns feitas quando o assunto são juros, são entres os juros compostos e os juros simples.

Enquanto nos juros compostos o valor acrescido leva em consideração os rendimentos acumulados, nos juros simples a soma sempre é feita com base no valor inicial.

Assim, fatores como tempo se tornam irrelevantes, afinal o montante sempre será baseado em um mesmo valor.

Um exemplo de como ele funciona é a seguinte conta, no qual são aplicados R$1 mil com juros de 1% ao mês:

  • 1° mês – 1% de R$1000 = R$10
  • 2° mês – 1% de R$1000 = R$10
  • 10º mês – 1% de R$1000 = R$10
  • 20º mês – 1% de R$1000 = R$10

Se essa mesma conta fosse feita com a capitalização acumulada o valor no 20° mês seria de R$1220, com um total de R$220 em ganhos através dos juros.

Dessa forma é possível perceber como essas duas relações comerciais se diferem e, principalmente, como o fator tempo impacta em cada rendimento.

Vantagens e desvantagens dos juros compostos

Assim como qualquer cálculo impactante na economia, os juros sobre juros podem acarretar em vantagens e desvantagens.

Por isso é necessário se aprofundar em quais as formas de usar esse cálculo a seu favor.

Além disso, entender quais cuidados deve-se tomar em relação ao mesmo.

Vantagens

Como citado anteriormente, a principal vantagem desse tipo de cálculo está relacionada aos investimentos de renda fixa.

Afinal, a capitalização acumulada possibilita um crescimento exponencial nos investimentos realizados.

Ou seja, pode ser uma negociação de mercado mais interessante se comparada a investimentos semelhantes.

Outro grande ponto a se analisar quando são realizados investimentos com rentabilidade voltada ao juros sobre juros é a segurança.

Por ser aplicado na maior parte das vezes em renda fixa, o risco desse tipo de investimento é considerado baixo. Fator que atrai muitos investidores, especialmente iniciantes.

Além disso, vale ressaltar que os juros compostos são opções interessantes para quem busca investir no longo prazo.

Sendo que enquanto o investidor não resgatar seu capital investido, ele seguirá rendendo com base no cálculo desse tipo de juros.

Contudo, quando os juros compostos não estão trabalhando a seu favor podem representar um risco considerável.

Desvantagens

Definitivamente a maior desvantagem dos juros sobre juros é quando esse cálculo está ligado às dívidas.

Isso porque a matemática por trás dessa modalidade pode fazer uma dívida pequena se tornar uma verdadeira “bola de neve”, com valores exorbitantes se comparado ao inicial.

Não à toa, muitas pessoas têm receio de cartões de crédito, empréstimos bancários e atraso em contas.

Afinal, a tendência é que quanto maior o tempo para quitar, maior será o valor pago.

Dessa forma, tanto nas vantagens quanto nas desvantagens é necessário entender como é o cálculo feito para chegar à capitalização acumulada.

Fórmula do juros compostos

A fórmula usada para o cálculo dos juros sobre juros é a seguinte: M=C x (1+i)t.

No qual, cada símbolo significa:

  • Montante (M) – Valor final da transação;
  • Capital (C) – Valor inicial investido, que serve como referência para o cálculo dos juros posteriormente;
  • Taxa de juros (i) – Porcentagem cobrada em cima do capital que está rendendo, sendo que essa taxa pode ser referente a diferentes períodos, indo desde diárias até anual. Mesmo sendo porcentagem, na equação é sempre importante colocá-la na forma decimal.
  • Tempo (t) – Representa o tempo no qual o capital ficará aplicado. Tanto o “i” quanto o “t” devem estar sempre na mesma unidade de medida. A decimal é utilizada na maior parte das vezes.

Importância de entender juros compostos para profissionais do mercado financeiro

JUROS COMPOSTOS: saiba tudo sobre esse importante cálculo

É natural que cálculos econômicos façam parte da rotina de profissionais que atuam no mercado financeiro. Com os juros compostos não poderia ser diferente, ainda mais pela relevância que este cálculo tem para os investimentos.

Comumente atrelado à renda fixa, o entendimento sobre a capitalização acumulada também pode ser de extrema relevância para investimentos em renda variável.

Pretende seguir carreira no mercado financeiros? O Certifiquei possui os melhores cursos preparatórios para você conquistar as certificações necessárias. Confira!

Ações

Sendo um dos investimentos mais tradicionais da bolsa de valores, as ações podem permitir que o investidor possua rentabilidade através dos juros sobre juros.

Dessa forma, é fundamental que os profissionais do segmento tenham conhecimento sobre como isso é possível.

Inicialmente, vale destacar que quem possui ações têm direito a parte do fluxo de caixa gerado pela empresa. O que pode ser considerado como os “juros” da empresa.

Tal qual os juros compostos, quando replicado, o fluxo de caixa tende a ter um crescimento exponencial, favorecendo diretamente investidores que buscam rentabilidade no longo prazo.

Todavia, é necessário que os investidores tenham uma rotina de investimentos, isso é, sigam reinvestindo seu capital ao longo do tempo.

Assim, o cálculo referente a capitalização acumulada e o entendimento de seu funcionamento tendem a ser úteis para análise dos profissionais do segmento financeiro.

Como trabalhar no Mercado Financeiro

EBOOK GRATUITO | Como trabalhar no Mercado Financeiro?

Baixe agora nosso ebook gratuito para descobrir o que você precisa para conseguir uma oportunidade no Mercado Financeiro!

Como trabalhar no Mercado Financeiro

EBOOK GRATUITO |
Como trabalhar no Mercado Financeiro?

ETFs

Para profissionais do mercado e investidores é relevante entender que: o conceito dos juros compostos aplicados em ações é semelhante ao aplicado nos ETFs.

Isso porque os ETFs são fundos de investimentos passivos, ou seja, sua rentabilidade está diretamente atrelada a diversas ações do mercado.

Dessa forma, a ideia sobre o crescimento exponencial pode ser refletida aqui.

Além disso, é necessário entender que os ETFs podem ser uma boa solução para quem busca investir ou indicar investimentos que somam rentabilidade interessante e risco controlado.

Fundos de Investimentos Imobiliários (FIIs)

Por fim, mas não menos importante, temos os Fundos de Investimentos Imobiliários, os FIIs.

Esse tipo de fundo é relacionado a ativos imobiliários, ou seja, os investidores compram cotas de imóveis, em troca disso ele tem direitos a proventos mensais.

Caso o investidor utilize essas cotas para reinvestir nos FII de sua escolha, a tendência é que no longo prazo ele tenha um patrimônio maior, sendo que teve um crescimento semelhante ao dos juros sobre juros.

Não à toa, é necessário que pessoas que buscam atuar nas profissões do mercado financeiro tenham amplo conhecimento sobre juros compostos, afinal esse cálculo pode ser utilizado de diversas formas dentro da bolsa de valores.

Guilherme Almeida
Guilherme Almeida
Bacharel em Economia e Especialista em Finanças Corporativas e Mercado de Capitais pelo Ibmec-MG. Mestrando em Estatística pela UFMG, atua como professor, palestrante e porta voz das áreas de economia e finanças, tendo concedido mais de mil entrevistas para os principais meios de comunicação. Atualmente, leciona matérias ligadas à Economia e ao Mercado Financeiro em cursos preparatórios para certificações financeiras, além de ser o Economista-Chefe do departamento de Estudos Econômicos da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Minas Gerais (Fecomércio MG).

relacionadas