Trabalhar na Bolsa de Valores: o que estudar e como atuar?

Trabalhar na Bolsa de Valores: o que estudar e como atuar?
Share on twitter
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email

Ao falar sobre o mercado financeiro, diversas são as possibilidades de atuação que um profissional possui. E uma delas é a de trabalhar na Bolsa de Valores.

Para trabalhar na Bolsa de Valores, o profissional pode desempenhar diferentes papéis, todos eles com igual importância para gerar rendimentos através deste investimento.

Como trabalhar na Bolsa de Valores?

Trabalhar na Bolsa de Valores é o sonho de muitas pessoas, especialmente pelos valores salariais atrativos do mercado financeiro.

E uma dúvida que normalmente surge junto deste tema é sobre como trabalhar na Bovespa, ou na B3, como é chamada a Bolsa de Valores atualmente após a fusão entre a BM&FBovespa e a Cetip em 22 de março de 2017.

De toda forma, cabe ressaltar que os profissionais da Bolsa de Valores podem assumir diferentes funções. E, dentre elas, as principais são:

  • corretor financeiro;
  • agente de investimentos; e
  • trader.

Podemos elencar algumas dicas para que você se torne um bom corretor financeiro, por exemplo, sendo elas:

  • invista no aprendizado de finanças;
  • aprimore o seu inglês, preferencialmente chegando ao nível avançado; e
  • estude bastante para os exames de qualificação, principalmente os da Ancord.

Quais os pré-requisitos para trabalhar nesta área?

Ao falar sobre exigências necessárias para trabalhar nesta área, normalmente a dúvida que fica é sobre que faculdade fazer para trabalhar na Bolsa de Valores.

Algumas das opções de graduação para esse segmento incluem:

  1. Economia;
  2. Administração;
  3. Direito;
  4. Ciências Atuariais;
  5. Engenharia;
  6. Estatística;
  7. Física;
  8. Matemática;
  9. Relações Internacionais;
  10. Ciências Contábeis; e
  11. TI.

Vale ressaltar que não existe algum curso Bolsa de Valores que ensine ao candidato sobre como atuar neste mercado.

Contudo, o profissional pode buscar por alguma das principais certificações financeiras, principalmente pelo CNPI (Certificado Nacional do Profissional de Investimentos) e as da Anbima, que são a CPA-10 e CPA-20.

Além disso, investir no inglês em nível avançado é essencial para começar a atuar dentro deste setor.

Como trabalhar na Bolsa de Valores?

Para trabalhar com a Bolsa de Valores é necessário procurar por vagas dentro da B3.

De toda forma, para entrar nesta empresa existem dois tipos de formas:

  1. através do estágio normal; ou
  2. por meio do estágio de férias, ou estágio de verão.

Isso se dá uma vez que as vagas mais anunciadas pela B3 são as de estágio, se tornando apto a ser efetivado na empresa.

Ainda assim, existem diferenças entre os dois tipos principalmente quando falamos sobre o público.

Em ambos os casos é necessário ser um estudante, mas a diferença se dá no ano em que está sendo cursado.

Para o estágio comum o estudante deve estar no penúltimo ou no último ano, enquanto no estágio de verão é possível ingressar desde o segundo até o último da formação.

Isso porque, na segunda opção, a pessoa irá apenas trabalhar por um mês dentro da B3, enquanto na primeira ele será estagiário da empresa por tempo integral.

Entretanto, todos os cursos citados no tópico anterior são válidos para poder se candidatar à vaga.

Vale dizer que a carga horária deste profissional, enquanto estagiário, é de seis horas por dia, totalizando 60 horas semanais.

Em quais áreas o estagiário pode atuar?

Assim como existe uma alta gama de campos os quais um profissional do mercado financeiro pode atuar, dentro da B3 se dá da mesma forma.

Por isso, separamos abaixo os dez setores os quais um estagiário desta empresa pode ocupar, veja:

  1. administração de risco;
  2. central depositária;
  3. comercial;
  4. compliance;
  5. finanças;
  6. jurídico;
  7. produtos;
  8. RH;
  9. regulação de emissores; e
  10. tecnologia.

E a diferença para o estágio de férias é que, quem trabalhar no período de um mês, não pode atuar na área de administração de risco ou de compliance, sendo que esta última é trocada pelo setor de auditoria.

Por outro lado, existem quatro etapas de seleção para os profissionais.

Tudo começa com uma triagem de currículos, onde alguns serão aprovados para realizar uma prova de inglês e raciocínio lógico.

Uma vez aprovado neste exame, o candidato realizará uma entrevista individual para então, após aprovado, realizar uma apresentação individual e aplicação de um case junto a uma entrevista final com o gestor.

Quais benefícios cada tipo de estagiário da B3 recebe?

Mesmo sendo duas vagas de estágio, existe diferença no que cada um dos profissionais recebe.

Sendo assim, enquanto quem faz estágio de férias recebe bolsa-auxílio, vale refeição e vale transporte, quem passa para o estágio integral recebe:

  • bolsa-auxílio;
  • 13ª bolsa, que funciona como um décimo terceiro só que no valor da bolsa;
  • assistência médica;
  • assistência odontológica;
  • vale refeição;
  • vale alimentação;
  • seguro de vida;
  • vale transporte;
  • ações de qualidade de vida; e
  • subsídio para academia.

Contudo, cabe ressaltar que, para pessoas já formadas, é possível procurar por vagas dentro da B3 por meio do site da empresa.

Dicas para viver de rendimentos da Bolsa de Valores

Além de trabalhar com Bolsa de Valores como um profissional formado, sabemos que é possível também ter sua renda mensal ao tornar-se um investidor. Portanto, separamos algumas dicas que podem ajudar àqueles que desejam conseguir um bom rendimento mensal neste mercado.

Vale lembrar que normalmente ele será um corretor da Bolsa de Valores, mas essas dicas servem tanto para quem está iniciando em investimentos deste mercado como para quem já está acostumado. Confira:

  1. conheça bem o mercado o qual você está investindo, principalmente o que move o mercado;
  2. identifique e analise qual é o seu perfil investidor;
  3. determine objetivos e estratégias para alcançar as metas;
  4. selecione a corretora certa para o seu investimento e que possui profissionais qualificados;
  5. esteja sempre preparado e realize um planejamento semanal de quantas horas você operará no mercado;
  6. sempre procure por oportunidades, adiantando movimentos do mercado;
  7. acumule todo o conhecimento possível sobre tudo o que envolve o mercado financeiro e os investimentos;
  8. faça investimentos com segurança a fim de fugir das perdas;
  9. diversifique os investimentos;
  10. seja disciplinado em sua rotina de trabalho;
  11. acompanhe o mercado dia após dia; e
  12. monitore os investimentos que você fez.

Para esta última dica, vale lembrar que existem vários mercados de investimentos os quais será necessário horas por dia no pregão para viver de forma integral pela Bolsa.

Sendo assim, fique de olho para analisar eventuais alterações sobre o mercado.

E através destas dicas sobre como trabalhar na Bolsa de Valores, é possível melhorar a sua carreira, se tornando profissional do mercado financeiro.

Guilherme Almeida
Guilherme Almeida
Bacharel em Economia e Especialista em Finanças Corporativas e Mercado de Capitais pelo Ibmec-MG. Mestrando em Estatística pela UFMG, atua como professor, palestrante e porta voz das áreas de economia e finanças, tendo concedido mais de mil entrevistas para os principais meios de comunicação. Atualmente, leciona matérias ligadas à Economia e ao Mercado Financeiro em cursos preparatórios para certificações financeiras, além de ser o Economista-Chefe do departamento de Estudos Econômicos da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Minas Gerais (Fecomércio MG).

relacionadas