Profissões do mercado financeiro: quais as principais?

profissões do mercado financeiro
Share on twitter
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email


As profissões do mercado financeiro vêm atraindo cada vez mais profissionais devido às diversas possibilidades de atuação e ótimos salários.

Além disso, as profissões do mercado financeiro não são apenas para quem faz faculdade, os profissionais que adquirem algumas certificações financeiras também são habilitados para trabalhar neste mercado.

O que são profissões do mercado financeiro?


As profissões do mercado financeiro, como o próprio nome já diz, são aquelas que envolvem o trabalho na área das finanças. Dentro dela, é possível construir carreira dentro de organizações públicas e privadas analisando créditos, investimentos, fazendo auditorias e consultorias.

Quem já trabalha no mercado financeiro também percebe que, ao longo do tempo, acabam surgindo novas possibilidades de atuação. Por isso, é importante conhecer quais são as existentes para estar familiarizado dentro desse setor e todas as técnicas envolvidas nele.

Quais as principais profissões do mercado financeiro?


profissões do mercado financeiro

O mercado financeiro é famoso por atrair diversos profissionais por conta de sua grande valorização e possibilidade de crescimento.

No entanto, essa atratividade acaba causando uma enorme concorrência, o que exige dos profissionais algumas exigências para que eles possam se destacar. Portanto, saiba quais os conhecimentos exigidos nas principais carreiras do mercado financeiro:

  • Planejador Financeiro
  • Gestor de fundos
  • Bancário
  • Analista de Investimentos
  • Trader
  • Analista de Private Equity
  • Economista
  • Consultor Financeiro Pessoal e Empresarial
  • Analista Financeiro
  • Analista Contábil

Planejador Financeiro

O planejador financeiro, também conhecido como assessor de investimentos, é o profissional responsável por auxiliar na organização das finanças pessoais de seus clientes conforme seus objetivos e necessidades.

Apesar de possuir diversos modelos de atuação, a CVM não requer licença profissional por parte do planejador financeiro. No entanto, é recomendado à esse profissional possua a certificação CFP, a fim de conferir credibilidade à sua atuação.

Além da certificação, o planejador financeiro também necessita ter conhecimentos financeiros e contábeis.

A partir daí, o profissional estará habilitado para oferecer suporte à famílias e indivíduos em prol de uma melhor gestão de seus patrimônios.

O escopo da Certificação CFP® abrange seis áreas de conhecimento:

  1. Planejamento Financeiro e Ética
  2. Gestão de Investimentos
  3. Planejamento da Aposentadoria
  4. Gestão de Riscos e Seguros
  5. Planejamento Fiscal
  6. Planejamento Sucessório

O planejador financeiro inicia sua carreira com uma média salarial de R$ 2.160,00 e pode chegar a ganhar até R$ 8.877,00.

Gestor de fundos

O Gestor de Fundos é responsável por tomar decisões sobre as alocações de fundos de investimento. Ele costuma atuar se baseando nas informações dos analistas de ativos, que os auxiliam na operação de diversas ordens, sejam elas conservadoras ou mais arriscadas.

O gestor de fundos é uma das funções mais seniores do mercado financeiro. Portanto, para alcançar essa posição, é importante direcionar sua formação nesse sentido.

Uma alternativa possível para se tornar um gestor de fundos é obter a certificação CGA ou a certificação CEA.

Quer se tornar um especialista em investimentos certificado pela CEA? O Certifiquei tem um dos melhores cursos para preparar você para os exames de certificação, confira!

Bancário

O bancário é o profissional que atua em instituições bancárias realizando pagamentos, atendimento ao cliente, aconselhamento financeiro, venda de produtos etc. Ou seja, esse profissional realiza diversas tarefas administrativas e comerciais dentro do banco.

Para quem almeja desenvolver sua carreira como bancário e alcançar maiores salários, além da graduação, certificações financeiras específicas são necessárias.

As mais procuradas são as certificações financeiras da ANBIMA:

  • CPA 10: para profissionais que desejam atuar na distribuição de produtos de investimento em agências bancárias ou plataformas de atendimento;
  • CPA 20: para profissionais que desejam atuar na distribuição de produtos de investimento para clientes dos segmentos varejo alta renda, private, corporate e investidores institucionais em agências bancárias ou em plataformas de atendimento, além das atividades abrangidas pela CPA 10;
  • CEA: para profissionais que desejam ser especialista em investimentos, pois habilita o profissional a exercer as atividades relacionadas à CPA 10 e CPA 20.

No Brasil, o salário médio do bancário é de R$3.537,15. Porém, as certificações financeiras adequadas podem conferir credibilidade a influenciar no aumento salarial deste profissional.

Se você quer em trabalhar com produtos de investimentos, o Certifiquei oferece o melhor curso preparatório para você tirar a sua certificação da CPA-10. Confira!

Analista de Investimentos

O profissional analista de investimentos orienta seus clientes, sejam eles pessoas físicas ou empresas, a fazerem investimentos mais vantajosos. Ele também atua buscando oportunidades de negócios, a partir de um mapeamento e estudo sobre o mercado desejado.

São dois os setores de atuação para esse profissional: o técnico, obtido após a aprovação no exame CNPI-T, e o fundamentalista, obtido através do exame CNPI.

Portanto, ambos exigem a certificação conhecida como Certificado Nacional do Profissional de Investimento (CNPI).

Antes disso, também é preciso fazer uma prova chamada Conteúdo Brasileiro (CB). A média salarial nessa área é de R$2.300 para principiantes e R$10 mil para os mais experientes.

Trader

O cargo de trader serve para quem tem deseja atuar com investimentos de maneira autônoma, ou seja, aplicando o próprio dinheiro ou sendo contratado por uma empresa. Uma particularidade do profissional trader é sua estratégia de aplicações, que costuma ser de curtíssimo prazo.

Por conta da necessidade de análise e balanço de dados, além de oscilações e comportamentos incomuns no mercado, é recomendado que o trader possua formação em Engenharia e/ou Contabilidade.

Com a imprevisibilidade do mercado, a renda de um trader pode variar bastante, de R$1 a mais de R$30 mil de lucro por dia de negociação. No entanto, é importante lembrar do alto risco de prejuízo financeiro, que pode comprometer todo o orçamento disponível desse profissional do mercado de ativos.

Analista de Private Equity

Esses profissionais analisam uma grande quantidade de empresas que possam ser investidas no futuro. Isso é feito a partir do monitoramento de um setor ou grupo de pessoas dentro do mercado.

O analista de Private Equity também pode chegar a assumir posições estratégicas na gestão de empresas, como a diretoria ou planejamento financeiro.

Para atuar nessa área, é necessário ser bastante analítico e ter profundo conhecimento das empresas a serem acompanhadas e avaliadas. Além disso, para quem deseja atuar nessa área, ser certificado com a CFA (Chatered Financial Analyst Qualification) pode ser um bom diferencial.

O salário médio dessa profissão varia entre R$7 mil a R$35 mil, dependendo da experiência do analista.

Economista

Por possuir uma formação específica nessa área, o economista pode atuar fazendo pesquisa e análise de indicadores macroeconômicos e microeconômicos, sugestões de aplicações em ativos, projeções e identificação de cenários econômicos.

Em geral, bancos e outras empresas privadas necessitam dessas informações para que seus outros profissionais, como os gestores, possam tomar decisões sobre aplicações financeiras.

Para essa profissão, é preciso ter uma boa argumentação e possuir um certo domínio da análise política. A remuneração de um economista é, em média, R$3 mil, mas costuma ser definida de acordo com o desempenho desse profissional.

Para alcançar cargos superiores, o mestrado é importante, já que é preciso ter conhecimentos sobre modelagem, econometria e teoria econômica.

Consultor Financeiro Pessoal e Empresarial

A consultoria financeira pode ser contratada para resolver problemas pontuais financeiros, e também para evitá-los. O trabalho do consultor financeiro envolve tarefas como tirar endividados do vermelho, fazer uma projeção financeira ou montar uma carteira de investimentos para multiplicação da renda do cliente.

Portanto, são diversos os campos em que o consultor pode atuar para transformar suas finanças:

  • Gestão financeira;
  • Gestão de ativo e de investimentos;
  • Planejamento da aposentadoria;
  • Planejamento tributário;
  • Gestão de risco;
  • Planejamento sucessório.

O que modifica o trabalho do consultor são os objetivos decididos junto ao cliente. A remuneração para essa profissão é, em média, R$4.000. No entanto, é possível obter mais ganhos trabalhando de maneira autônoma.

Analista Financeiro

O analista financeiro tem como objetivo identificar como os processos econômicos de uma empresa podem ser otimizados, de acordo com os interesses do negócio. Para isso, ele lida com toda as atividades financeiras da empresa, que abrangem:

  • Recebimento de montantes;
  • Pagamento de impostos;
  • Pagamento de serviços contratados e despesas;
  • Análise do fluxo de caixa;
  • Projeções de lucro.

Quando há a necessidade de corte de gastos, elevando o lucro da empresa, esse profissional costuma ser convocado para verificar quais os procedimentos que podem ser adotados pela empresa. Por conta disso, esse profissional consegue trabalhar em diversos ramos, como bancos, indústrias, ONGs e instituições em geral.

Com os cursos de atualização e pós-graduação, como o Master In Business Administration (MBA), é possível ter mais chances de progressão na carreira de analista financeiro.

O salário médio de um analista financeiro iniciante é de R$3.600. Já um profissional master pode receber de R$7.000 até R$9.000. Em posições gerenciais, a remuneração salta para os R$20 mil.

Analista Contábil

O analista contábil é um dos profissionais responsáveis pela manutenção financeira das empresas. Sua principal responsabilidade é analisar os gastos e lucros de determinado negócio. Esse profissional se responsabiliza pela análise dos gastos e dos lucros de um negócio.

Além disso, o analista contábil deve:

  • organizar recibos e comprovantes;
  • elaborar relatórios e balanços;
  • acompanhar processos de auditoria;
  • garantir o pagamento de impostos.

Nesse sentido, também é importante que o analista contábil conheça sobre legislação fiscal e tributária.

Para ser um analista contábil o profissional deve ser registrado no Conselho Regional de Contabilidade (CRC), além de atender às exigências formativas do Conselho Federal de Contabilidade (CFC), como o Programa de Educação Profissional Continuada (PEPC).

A remuneração de profissionais com formação técnica costuma ser de R$1.000 a R$1.900. Já aqueles com formação superior podem chegar a receber de R$3.300 a R$10 mil, em cargos mais altos. Quem atua como autônomo nessa área pode chegar a conseguir ganhos maiores.

Qual a vantagem de se tornar um profissional do mercado financeiro?


O mundo das finanças é bastante extenso e dinâmico, oferecendo diversas oportunidades em diferentes setores e funções, com boas remunerações e oportunidades de crescimento.

Mas, para isso, é preciso ter uma boa formação e conhecimentos sólidos sobre o mercado. Isso pode ser obtido através de formações em cursos superiores voltados à área e também com certificações financeiras, como: CNPI, CEA, CGA, CFA E CEI.

Quer trabalhar como Analista de Valores Mobiliários? O melhor curso preparatório para você tirar sua certificação CNPI está na Certifiquei. Confira! 

Com elas, os profissionais conseguem alcançar posições de destaque no mercado, garantindo um futuro bastante promissor dentro das principais profissões do mercado financeiro.

Guilherme Almeida
Guilherme Almeida
Bacharel em Economia e Especialista em Finanças Corporativas e Mercado de Capitais pelo Ibmec-MG. Mestrando em Estatística pela UFMG, atua como professor, palestrante e porta voz das áreas de economia e finanças, tendo concedido mais de mil entrevistas para os principais meios de comunicação. Atualmente, leciona matérias ligadas à Economia e ao Mercado Financeiro em cursos preparatórios para certificações financeiras, além de ser o Economista-Chefe do departamento de Estudos Econômicos da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Minas Gerais (Fecomércio MG).

relacionadas