Bancário: o que faz esse profissional e como se qualificar?

Bancário: o que é, o que faz e como me qualificar para o cargo
Share on twitter
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email

Atualmente, devido ao avanço da tecnologia nos mais variados âmbitos, a definição da profissão de bancário e sua forma de atuação tem sido alterada com certa frequência.

Isso se dá uma vez que os serviços oferecidos pelas instituições financeiras têm sido alterados, e o mesmo ocorre, então, para o bancário, um cargo de alta importância dentro dos bancos e instituições financeiras.

O que é ser um bancário?

Bancário é um profissional que trabalha em bancos e é responsável, principalmente, pela execução das atividades de administração da empresa contratante.

De tal forma, ele possui contato direto com a gestão do banco, com o público e com as tarefas administrativas características do cargo.

Em outras palavras, podemos entender que este profissional é o responsável pelo atendimento público de um banco.

Porém, não acaba por aí, cabe a ele também garantir que as metas e objetivos estabelecidos pela empresa do setor bancário sejam alcançadas.

Esta é ainda uma profissão de grande interesse, assim como outros cargos dentro do setor financeiro, uma vez que o principal produto de empresas deste ramo é o próprio capital.

Por outro lado, o mercado desta profissão não tem crescido nos últimos anos, mesmo sendo uma área com alta possibilidade de remuneração e de benefícios, o que mostra uma baixa concorrência.

Contudo, este cargo não deve ser confundido com o de correspondente bancário.

Afinal, este segundo é uma pessoa jurídica que realiza intermediações financeiras entre o banco e os respectivos clientes.

Além disso, o profissional pode se tornar também um consorciado de banco, tendo como principal função o oferecimento de produtos bancários em seu estabelecimento.

E uma outra forma de atuação deste profissional é nas casas lotéricas, que são sócias bancárias da Caixa Econômica Federal.

Quais as funções de um bancário?

Para entender o que faz um bancário, primeiro devemos ter em mente que a sua atuação e função pode variar de acordo com a instituição a qual ele trabalha e também a posição que ele possui.

De forma geral é possível entender que as responsabilidades desse profissional são:

  • rotinas de pagamentos;
  • saques;
  • atendimento ao cliente;
  • aconselhamento financeiro; e
  • análise de empréstimos, crédito e venda de produtos, como investimentos, seguros, consórcios, entre outros.

Podemos analisar, então, que ele está fortemente ligado a atividades administrativas.

Porém, quando este profissional trabalha em agências, ele também pode abrir contas, tirar dúvidas sobre cartões de crédito, fechar caixas e contar o dinheiro de transações feitas naquele dia.

Tudo dependerá, diretamente, da posição hierárquica a qual ele ocupa na empresa, podendo ser caixa, atendente ou gerente.

Cada uma dessas posições altera, de forma direta, as demandas que ele possui.

Agora, antes de prosseguirmos, é necessário entender a diferença entre as terminologias.

Isso se dá uma vez que, normalmente, este profissional é chamado de banqueiro ou bancário.

E isso ocorre pela confusão gerada entre os termos, mesmo sendo diferentes.

O banqueiro é o dono do banco, ou seja, a pessoa que detém o maior cargo hierárquico dentro de uma instituição bancária.

Em contraponto, o bancário é aquele profissional que realiza atividades do cotidiano em bancos, como todas as citadas acima.

Agora, uma vez exposto o que é cada um deles, cuidado para não confundi-los, pois se tratam de funções distintas.

Possíveis cargos dentro de um banco

Na vida bancária, existem diversas ocupações as quais um profissional pode tomar ao escolher trabalhar em banco.

Sendo assim, separamos abaixo uma lista com os principais cargos e respectivos salários que cada um recebe. Confira conosco:

  1. estagiário de banco: profissional responsável por ações mais simples, com remuneração que varia conforme a instituição que ele trabalha;
  2. caixa de banco: cargo inicial na instituição bancária quando efetivado, na qual o profissional se encontra no caixa e realiza procedimentos para clientes, recebe um salário médio de R$2.200;
  3. atendente comercial: quando o atendente vai para a área comercial, possuindo uma mesma média salarial que o cargo anterior;
  4. agente comercial: uma evolução do cargo anterior, com salário médio de R$2.400;
  5. bancário: possui uma média salarial de R$3.000;
  6. assistente de gerência: um profissional que presta auxílio para o gerente da instituição, recebe uma média salarial de R$3.000;
  7. gerente de contas: o cargo mais alto dentro de um banco de varejo, com remuneração média de R$3.500;
  8. banqueiro: este é um dos cargos mais difíceis de precisar uma vez que varia conforme a renda que o banco o qual ele é dono recebe mensalmente.

Separamos aqui alguns exemplos dos cinco maiores banqueiros brasileiros no ano de 2019, de acordo com o ranking da Forbes, sendo eles:

  1. Joseph Safra, com fortuna estimada de US$15 bilhões;
  2. André Esteves, que possui cerca de US$4 bilhões em patrimônio;
  3. Aloysio de Andrade Faria, dono de US$3,3 bilhões em propriedades;
  4. Fernando Roberto Moreira Salles, com um patrimônio de US$2,8 bilhões;
  5. Pedro Moreira Salles, detentor de US$2,8 bilhões em posse.

Dentre eles, analisamos, respectivamente os seguintes bancos: Safra, BTG Pactual, Banco Alfa (primeiro proprietário do Banco Real) e Itaú Unibanco.

Existem outros cargos possíveis em bancos?

Porém, cabe ressaltar que existem ainda diversas outras funções que entram na classificação de Back Office, ou seja, que não faz serviço direto para algum cliente.

Sendo assim, os serviços são feitos “por trás”, ou na retaguarda, como também é chamado este setor.

Além desta, existem outros possíveis áreas de atuação como:

  • comercial, separado em captação e originação;
  • corporate;
  • crédito;
  • investment;
  • middle;
  • operações;
  • private banking;
  • risco de mercado; e
  • trade.

E para todos os cargos em cada uma destas áreas, é possível ter  uma remuneração média acima dos R$3.760.

Qual a formação ideal para se tornar um bancário?

Quando falamos sobre pré-requisitos para poder exercer essa profissão, devemos ter em mente que, a primeiro momento, é necessário completar o ensino médio.

E quando falamos sobre a formação acadêmica, temos:

  1. Administração de Empresas;
  2. Direito;
  3. Marketing;
  4. Comunicação;
  5. Tecnologia da Informação;
  6. Contabilidade;
  7. Engenharia, nas mais variadas possibilidades;
  8. Economia;
  9. Administração.

Além disso, possuir uma pós-graduação pode ser um diferencial que auxilia na hora da contratação para bancário.

Além disso, é necessário ainda prestar um concurso bancário para poder, então, exercer a atividade.

Uma outra dúvida que pode surgir é: “quero ser correspondente bancário, o que devo estudar?”, e para isso é necessário possuir os requisitos para a profissão.

Contudo, cada instituição bancária possui os próprios procedimentos para contratar mais sócios em sua rede.

Sendo assim, para ser admitido no banco correspondente é necessário, primeiro, entrar em contato com a instituição desejada.

As melhores certificações financeiras para o bancário

Por fim, é impossível falar sobre a atuação do bancário sem entrar no quesito de certificações, um ponto que tem ganhado cada vez mais expressividade nos mais variados setores.

Por isso, quando falamos sobre as principais certificações financeiras recomendadas para quem deseja seguir o ramo de bancário, temos as cedidas pelas seguintes empresas:

  • ABECIP;
  • ACREFI;
  • FEBRACON;
  • ROBORTELLA;
  • FEBRABAN; e
  • ANEPS.

Contudo, destas, as que normalmente são aceitas por qualquer banco são a FEBRABAN e ABECIP, sendo as mais recomendadas para quem deseja atuar na área.

De toda forma, as certificações são: FBB-300, FBB-310, FBB-320, FBB-330, CA-300 e CA-600.

Porém, cabe ressaltar que elas valem tanto para quem deseja ser um bancário, como para quem quer ser um correspondente de banco. Por isso, não perca tempo e conquiste a sua certificação o mais rápido possível para atuar neste ramo!

Guilherme Almeida
Guilherme Almeida
Bacharel em Economia e Especialista em Finanças Corporativas e Mercado de Capitais pelo Ibmec-MG. Mestrando em Estatística pela UFMG, atua como professor, palestrante e porta voz das áreas de economia e finanças, tendo concedido mais de mil entrevistas para os principais meios de comunicação. Atualmente, leciona matérias ligadas à Economia e ao Mercado Financeiro em cursos preparatórios para certificações financeiras, além de ser o Economista-Chefe do departamento de Estudos Econômicos da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Minas Gerais (Fecomércio MG).

relacionadas