Como o economista pode atuar no Mercado Financeiro?

economista
Share on twitter
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email

Mesmo que muitos digam que a profissão tende a desaparecer, o economista ainda é um profissional extremamente presente e necessário em diversos aspectos. Com uma grande abrangência, é possível encontrá-lo em diversas áreas do mercado de finanças.

Além disso, o economista também é um profissional comprometido, dedicado e que busca aperfeiçoamento constante. Com isso, muitos indivíduos se interessam pela profissão e buscam meios de adentrar no mercado financeiro.

O faz o economista?

Economista é o profissional que possui formação superior em Economia e carrega conhecimentos extensos sobre o mercado financeiro. Por isso, ele é o profissional mais adequado para exercer determinadas funções de grande importância dentro de uma empresa.

Dentre outras coisas, o economista pode:

  • analisar o mercado;
  • identificar investimentos lucrativos ou não;
  • apontar oscilações; e
  • mostrar mudanças nos hábitos de compras.

As chances de crescimento dentro dessa área são muitas. Porém, tudo depende também do esforço e dedicação que o profissional deposita em sua carreira.

Afinal, trabalhar no mercado financeiro como economista exige uma grande dose de conhecimento e adaptabilidade para sair da zona de conforto.

Em quais áreas do mercado financeiro o economista pode atuar?

Uma das maiores vantagens de atuar como economista é que, sem dúvida, a atuação do profissional no mercado é muito ampla. Abaixo, destacamos 4 áreas de atuação:

  1. Pesquisa;
  2. Políticas públicas;
  3. Planejamento;
  4. Auditoria.

Além dessas, também é possível citar todo o mercado financeiro, a economia ambiental e agroindustrial, comércio internacional, entre outros.

Como é o mercado de trabalho para quem atua neste segmento?

Como tem a capacidade de analisar situações a partir de dados muito concretos e exatos, o economista encontra ótimas oportunidades de emprego.

Um exemplo é que é possível encontrar o economista no mercado financeiro atuando em outros papéis de destaque.

Além disso, empresas de grande porte estão constantemente em busca de talentos que possam aperfeiçoar e garantir o crescimento da corporação como um todo.

Por isso, é muito importante que esse profissional tenha as devidas qualificações e, acima de tudo, perfil para atuar nesse ramo.

O que o economista faz em cada área de atuação?

Como o economista encontra uma oportunidade de emprego nas mais variadas áreas, não é difícil se colocar no mercado de trabalho.

No entanto, saber quais as funções desempenhadas em tais áreas é fundamental para quem já atua no mercado ou está procurando recolocação, bem como adentrar pela primeira vez nessa carreira profissional.

1. Orientação financeira

Uma das áreas de atuação que mais está crescendo é a orientação financeira.

O economista pode atuar nesse ramo com o intuito de orientar quais os melhores momentos para que seja realizado um investimento, bem como o melhor momento para vender uma ação, por exemplo.

É uma área que possibilita o profissional a atuar até mesmo de forma autônoma.

O motivo é que, mesmo que muitas empresas necessitem desse tipo de consultoria e orientação, também há uma grande quantidade de pessoas que buscam conselhos pessoais para seus investimentos.

Por esse e por outros motivos, é sempre bom estar atento às novidades do mercado e se aperfeiçoar através de cursos como os do Certifiquei, por exemplo.

Quer trabalhar no mercado financeiro? O Certifiquei oferece os melhores cursos preparatórios para você tirar a sua certificação. Confira!

2. Economista no mercado financeiro

Dentro das áreas de atuações do economista, o mercado financeiro é uma das que mais crescem. Afinal, ele realiza todos os estudos necessários para que a economia seja acompanhada de maneira geral.

A intenção, além disso, é que o economista atue de forma individual ou dentro de empresas para acompanhar todo o desenvolvimento dela, bem como:

  • fluxo de caixa;
  • orçamentos;
  • investimentos; e
  • possibilidades de ganhos.

3. Setor público

O profissional que deseja atuar no setor público precisa estar apto a se adaptar às mudanças pelas quais esse setor passa.

Afinal, periodicamente, ocorrem modificações governamentais e um economista precisa saber analisar seus aspectos e impactos econômicos.

4. Planejamento estratégico

Outra área de muito destaque, principalmente nos dias de hoje, é o planejamento estratégico. A intenção é, de fato, planejar o crescimento da empresa e quais ações devem ser tomadas nos próximos anos.

Ou seja, é preciso que o economista, para atuar nesse segmento, tenha um conhecimento profundo e consiga realizar uma análise minuciosa para, assim, garantir um planejamento devidamente estratégico.

Dentro disso, também pode ser possível apontar uma prévia para que haja o retorno dos investimentos e demais aspectos econômicos.

Para atuar no mercado financeiro

Primeiramente, para atuar no mercado financeiro é altamente indicado que o profissional esteja devidamente munido do curso de ensino superior em Economia, ou Ciências Econômicas, como também é conhecido.

Dessa maneira, é possível já ter uma espécie de apoio e preparo para garantir que o indivíduo esteja devidamente ciente sobre o mercado que entrará. Assim, ninguém é pego de surpresa.

Além disso, é preciso frisar que as faculdades precisam ser reconhecidas e bem avaliadas pelo MEC, já que isso impacta profundamente no ensino que o aluno receberá.

Principais certificações recomendadas para o economista que deseja atuar no mercado financeiro

Infelizmente, nem sempre o diploma de ensino superior é o suficiente para garantir que o economista atue no mercado financeiro com sucesso.

Nesse caso, algumas certificações financeiras se tornam obrigatórias. Ademais, muitas delas possuem especificações restritas quanto às áreas de atuação.

Entre as principais, é possível citar:

A certificação CPA-10 é o tipo de certificação voltada para quem deseja atuar diretamente com o público em agências bancárias ou demais plataformas de atendimento.

Já a CPA-20 diz respeito aos profissionais que podem desempenhar todas as funções de um CPA-10 e ainda trabalhar no segmento de alta renda.

Também é possível encontrar a CEA, que é a certificação que garante a permissão ao profissional para desempenhar todas as funções de CPA-10 e CPA-20.

Em contrapartida, a CGA é voltada para os profissionais que desejam se tornar gerentes de fundos de investimento.

Já a CNPI permite que todos os conhecimentos do economista sejam levados aos investimentos a nível internacional.

Enquanto isso, a CFP é para quem deseja atuar como consultor financeiro, outro grande mercado para os economistas.

Por fim, a CFA é uma certificação que atesta o extremo prestígio do economista e garante uma ótima visibilidade.

Mesmo sendo difícil de conquistar, é ideal para o economista que deseja novos rumos profissionais.

Guilherme Almeida
Guilherme Almeida
Bacharel em Economia e Especialista em Finanças Corporativas e Mercado de Capitais pelo Ibmec-MG. Mestrando em Estatística pela UFMG, atua como professor, palestrante e porta voz das áreas de economia e finanças, tendo concedido mais de mil entrevistas para os principais meios de comunicação. Atualmente, leciona matérias ligadas à Economia e ao Mercado Financeiro em cursos preparatórios para certificações financeiras, além de ser o Economista-Chefe do departamento de Estudos Econômicos da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Minas Gerais (Fecomércio MG).

relacionadas