CNPI-T: saiba como se tornar um Analista Técnico de investimentos

CNPI-T: tudo sobre essa certificação importante ao mercado financeiro
Share on twitter
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email

A fim de que analista de valores mobiliários possa atuar corretamente no mercado, a Apimec implementou em nosso país uma certificação que valida sua qualificação. Assim, o CNPI-T é uma das possibilidades de selo para este profissional.

O CNPI-T faz com que o profissional se torne o chamado Analista Técnico. Se você deseja conhecer mais sobre essa possibilidade de certificado, não deixe de conferir conosco este artigo!

O que é o CNPI-T?

CNPI-T é o nome de uma das categorias presentes do Certificado Nacional do Profissional de Investimento (CNPI), uma certificação obrigatória para atuar como analista de valores mobiliários.

Essa obrigação foi instituída pela Comissão de Valores Mobiliários, órgão responsável pela regulamentação do mercado de atuação desse profissional.

O certificado do CNPI é dividido em três tipos, que são:

  1. fundamentalista;
  2. CNPI Técnico, o qual abordaremos neste artigo; e
  3. CNPI Pleno.

A diferença entre eles se dá na forma de atuação a qual o profissional possui em sua rotina.

Além disso, para ser qualificado em cada uma das três possibilidades, é necessário ser aprovado em pelo menos em dois dos exames oferecidos pela Apimec , exceto no caso do Pleno que deve passar em todos.

Estas provas, por sua vez, são oferecidas com três conteúdos: Conteúdo Brasileiro (CB), Conteúdo Global 1 (CG1) e Conteúdo Técnico 1 (CT1).

Se o profissional desejar se tornar um Analista Técnico é necessário realizar as provas de CB e CT1.

Após a aprovação em ambos os exames, o profissional consegue então o Certificado Nacional do Profissional de Investimento em nível Técnico.

De tal forma, a atuação desse tipo de analista se dá na capacidade de indicar o melhor investimento para os clientes conforme o perfil de investidor de cada um.

Somado a isso, ele realiza também a análise de riscos de cada operação, reconhecimento das melhores oportunidades por meio de interpretações gráficas, gerenciamento de riscos e elaboração de estratégias para cada operação.

Para quem essa certificação é indicada?

Para quem essa certificação é indicada?

A primeiro momento, é necessário ter em mente que todos os profissionais que desejam ser analistas de investimento devem possuir o certificado CNPI, já que se trata de uma uma obrigação colocada pela CVM.

Afinal, é uma forma de comprovar a capacidade técnica do profissional para que, assim, o profissional dê recomendações e orientações com segurança para os clientes.

Além disso, os clientes ficarão mais seguros por saber que tudo o que é dito por este profissional se dá pelo seu conhecimento do mercado e sem qualquer tipo de interesse pessoal.

Agora, quando falamos sobre a indicação para a versão CNPI-T, vale lembrar que ela é direcionada para quem deseja ser um Analista Técnico.

Também conhecido como analista gráfico devido a sua função, ele é capaz de realizar análises técnicas sobre os ativos, fazendo uma leitura dos gráficos apresentados por algum ativo.

Lembre-se também que todas as três certificações são independentes, ou seja, não é necessário possuir nenhuma das outras duas para poder então se tornar um analista técnico.

Assim, se torna necessário somente se inscrever para os exames da modalidade técnica. Após ser aprovado em ambos os exames, CB e CT1, ele se torna então totalmente apto para atuar como um analista técnico.

Qual o conteúdo cobrado na prova de CNPI-T?

Como dito anteriormente, para se tornar um profissional apto a realizar a análise técnica de ativos, é necessário que o candidato passe primeiro por duas provas, a Conteúdo Brasileiro (CB) e a Conteúdo Técnico (CT1).

Quando falamos sobre o conteúdo cobrado na prova de Conteúdo Brasileiro, que é o mesmo para todas as categorias, temos:

  • Sistema Financeiro Nacional;
  • Mercado de Capitais;
  • Mercado de Renda Fixa;
  • Conceitos Econômicos;
  • Mercado de Derivativos;
  • Conduta e Relacionamento;
  • Governança Corporativa;
  • Relações com Investidores; e
  • Vendas e Operações nos Mercados Financeiros e de Capitais.

O preço cobrado por esse exame para associados da Apimec é de R$457 enquanto o valor sobre para R$610 para quem não é associado ao grupo.

Já para a prova CNPI-T de Conteúdo Técnico 1, o que cai no exame é o seguinte:

  • Fundamentos de Análise Técnica;
  • Teoria de Dow;
  • Conceito de Tendência;
  • Figuras Gráficas;
  • Teoria das Ondas de Elliot;
  • Padrões de Candlestick;
  • Indicadores;
  • Gerenciamento de Risco;
  • Estratégias Operacionais; e
  • Trading Systems.

Todos esses conhecimentos são necessários para que o profissional consiga realizar com destreza todas as análises as quais ele estará sujeito em sua rotina de trabalho.

Porém, o preço dessa prova é diferente da anterior, sendo de R$571 para associados e R$762 para não associados.

Lembre-se de que o período máximo para realização de ambas as provas é de um ano a partir do momento em que a pessoa se inscreve no primeiro exame, o que dá seis meses para cada uma delas.

Ao passar esse período, se torna necessário realizar novamente a inscrição caso o candidato não seja aprovado em ambas as provas, fator necessário para conquistar a certificação de CNPI-T.

Como me tornar um analista em CNPI-T?

Para se tornar um profissional especialista em análise gráfica, o candidato deve observar o requisito mínimo de possuir um diploma de ensino superior.

Vale lembrar que não importa qual é a área a qual o diploma pertence, desde que a pessoa seja formada em um curso superior. Além disso, ele não é cobrado no momento de inscrição para o exame, mas sim no momento de retirada do certificado.

Concluído esse passo, se torna possível se inscrever para a prova e realizá-la. Uma vez feita a inscrição, é preciso se preparar da melhor forma possível para a prova. Para isso, podem ser seguidos alguns passos os quais colocamos logo abaixo, veja:

  1. esteja a par do conteúdo cobrado no exame;
  2. aumente a rotina de estudos próximo da prova, priorizando tópicos de mais fácil entendimento; e
  3. se necessário, procure por algum curso preparatório para o exame.

De toda forma, seguindo esses passos você consegue se colocar a frente de outros candidatos que estarão realizando a mesma prova que você.

Para ser aprovado, é necessário acertar cerca de 67% das 60 questões que cada uma das provas possui, totalizando um total de 40 acertos para cada prova.

Onde eu posso procurar por um curso preparatório?

Se você estiver em busca de um curso curso CNPI-T, não deixe de conferir nosso curso do Certifiquei.

Através dele, você consegue se preparar para cada uma das categorias do Certificado Nacional do Profissional de Investimento, com foco nas provas que serão realizadas.

E no curso voltado para CNPI-T, você contará com mais de 43 horas de aulas gravadas, cerca de 28 módulos, um simulado preparatório, uma apostila para acompanhar os conteúdos e um certificado de conclusão.

Ficou interessado? Clique aqui para saber mais sobre o nosso curso e garantir já a sua vaga!

Vale a pena realizar a prova para essa certificação atualmente?

Um questionamento que pode ser feito por profissionais dessa área é seo CNPI vale a pena nos dias de hoje.

Para isso, porém, vale lembrar que o CNPI é um tipo de certificação altamente importante para quem atua no setor de investimentos. Afinal, através desse selo o profissional consegue obter um maior conhecimento para indicar investimentos.

Além desse conhecimento, essa certificação gera uma maior credibilidade para que o profissional atue no mercado financeiro, gerando maiores possibilidades de emprego.

Somado a isso, temos ainda um outro fator: a segurança que os clientes adquirem nesse profissional, o que torna os seus serviços mais procurados.

Tudo isso possui uma base em comum, que é o Código de Ética e Padrões de Conduta Profissional que gera uma série de garantias para os investidores que seguem as recomendações do Analista.

Outro ponto que merece destaque é que se você for um Analista e estiver realizando a indicação de ações sem possuir essa certificação, a Comissão de Valores Mobiliários pode aplicar uma penalização.

Por fim, vale lembrar que essa certificação foi implementada em nosso país a fim de aumentar o padrão dos analistas do mercado financeiro.

Sendo assim, a intenção é justamente a de atingir um nível internacional para todos os profissionais que realizam análise de investimentos e oferecem indicações.

O mercado de analistas está em crescente, e a certificação CNPI-T é um bom diferencial para que você consiga um emprego em alguma das grandes instituições do mercado financeiro!

Guilherme Almeida
Guilherme Almeida
Bacharel em Economia e Especialista em Finanças Corporativas e Mercado de Capitais pelo Ibmec-MG. Mestrando em Estatística pela UFMG, atua como professor, palestrante e porta voz das áreas de economia e finanças, tendo concedido mais de mil entrevistas para os principais meios de comunicação. Atualmente, leciona matérias ligadas à Economia e ao Mercado Financeiro em cursos preparatórios para certificações financeiras, além de ser o Economista-Chefe do departamento de Estudos Econômicos da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Minas Gerais (Fecomércio MG).

relacionadas